quinta-feira, 24 de novembro de 2016

“Seja Este Tal Entregue à Satanás”

Deixar uma pessoa entregue ao
próprio pecado não é falta de
amor, mas sim uma forma de
preservar a imagem da Igreja
de escândalos e o próprio
pecador de se manter iludido
com um nome de crente sem
estar realmente servindo a
Deus.
1ª Coríntios 5:5 - “Seja o tal entregue a Satanás, para a destruição da carne, a fim de que o espírito seja salvo no dia do Senhor.”
    Esse é um dos desafios maiores para a liderança ministerial e para outros, um pretexto para não perdoar que cai em pecado. A primeira coisa que devemos entender é em que situação se enquadra esse texto, ou seja, o seu contexto. Lendo, podemos ver que se trata de punir alguém que estava praticando imoralidade sexual. Então analisemos detalhadamente.
    A crise estava tão séria que ocorriam atos sexuais tão imorais que nem mesmo entre os incrédulos eram considerados normais, inclusive o fato de um homem que mantinha relações com sua própria madrasta (1ª Co 5:1); ato esse repudiado por Deus (Lv 20:11,12). Os crentes estavam tão despreocupados que achavam isso como normal (1ª Co 5:2-4); só que o pecado nunca deve ser visto como normal (1ª Jo 5:16,17). Então o apóstolo ordenou que ele fosse entregue à Satanás para destruição da carne, para que o espírito fosse salvo (1ª Co 5:5); isso significa não considera-lo como irmão, mas como pecador, deixando-o afundar naquela situação até que reconhecesse seu erro (Sl 51:1-11), pois o problema do grande “amor” da Igreja é aceitar o ímpio com sua impiedade, fazendo-o pensar que está sendo aceito por Deus dessa forma (Rm 8:13,14). Por isso ele exorta os irmãos a terem cuidado com o tipo de gente que recebem como membros (1ª Co 5:6-8) em vez de corrigi-los mostrando-lhes o que é preciso para servir a Cristo (1ª Jo 5:3,4). Então Paulo explica que não se deve aceitar o pecado por parte daqueles que se dizem crentes, mas deixa claro que há diferença quanto aos que estão assumidamente no mundo (1ª Co 5:9-12), então isso não tira nossa responsabilidade de pregar para os de fora (Lc 24:46,47). Resumindo, deixar o falso crente “nas mãos de Satanás” é dizer para ele se converter ou se assumir de vez (1ª Co 5:13). Optando pela segunda alternativa, depois de sofrer as consequências do pecado ele pode se arrepender e voltar (Lc 15:21); porém, isso não vai acontecer se ele for bem aceito pecando dentro da igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.