segunda-feira, 28 de novembro de 2016

“O Dinheiro é a Raiz de Todos os Males”

As armadilhas que podem nos
matar tanto material quanto
espiritualmente não estão no
que temos, mas sim na forma
como usamos o que temos; o
dinheiro em si não é um mal,
porém o amor a ele revela
toda a maldade existente no
coração daquele que se faz
dependente dele.
1ª Tm 6:10a - “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males [...]”
    Interpretação exige atenção e senso crítico: quem tem atenção percebe que o texto diz que o problema não está no dinheiro, mas no amor a ele, e o senso crítico serve para a pessoa não aceitar tudo o que ouve costumeiramente sem verificar se realmente está escrito dessa forma. O equívoco no entendimento em relação a esse versículo tem causado uma verdadeira demonização da imagem do dinheiro; é como se ser bem-sucedido financeiramente fosse pecado. Mas nem é preciso ser muito inteligente para perceber que o pecado está no apego às coisas materiais.
    Nessa carta, entre vários outros assuntos, era tratada a questão da ganância e da preocupação com as coisas terrenas, questão essa sobre a qual ele advertia que o maior lucro do questão é a prática verdadeira da religião: a piedade, ou seja, a prática do amor (1ª Tm 6:6; Tg 1:26,27); as coisas dessa vida são passageiras (1ª Tm 6:7; Sl 49:16,17); o Senhor provê o necessário para a nossa vida (1ª Tm 6:8; Mt 6:30-32); a cobiça leva à perdição da alma (1ª Tm 6:9; Lc 12:16-21); e essa perdição inclui muito sofrimento também aqui na terra (1ª Tm 6:10; Pr 1:18,19); por isso os crentes são orientados a manterem-se longe de desejos que os impeçam de priorizar as coisas espirituais (1ª Tm 6:11; Mt 6:19-21); exercendo seu chamado visando a vida eterna (1ª Tm 6:12; Mt 19:16-24). É também necessário esclarecer que as riquezas não são um mal por si só, pois, sendo bem aplicadas tornam-se bênçãos tanto para os que as possuem quanto para o seu próximo (Sl 37:25,26). Entretanto, aqueles que vivem apenas focados nelas tornam-se avarentos, egoístas, orgulhosos e autoconfiantes a tal ponto de achar que não devem confiar ou não precisam depender de Deus (Pr 30:8,9). Os males que temos presenciado na sociedade atual - inclusive na igreja - comprovam o que diz a Bíblia, pois, de uma forma ou de outra, sua raiz está no amor existente pelo passageiro conforto causado pela conquista do dinheiro (Mt 26:14,15; 27:3-5).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.