terça-feira, 20 de setembro de 2011

O nome de Deus sempre deve ser glorificado em nossas orações

Oração é mais do que petição;
oração é adoração!
    Mt 6:9 - Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Não é implicância não, mas antes de mais nada, vou, mais uma vez ressaltar o seguinte: esse ensinamento de Jesus conhecido como a Oração do Pai Nosso é um modelo de oração e não uma seqüência de palavras mágicas que tenha que ser repetida várias vezes ou recitada antes de cada oração, como se fosse uma espécie de senha para que as portas da bênção possam se abrir. Mas, antes que alguém me xingue, continuemos:
Boa educação é essencial para
se conseguir algo diante do homem,
e reverência é essencial para se
conseguir algo diante de Deus.
    Quando vamos nos encontrar com alguém importante com quem precisamos falar, qual é a nossa maior preocupação? Causar uma boa impressão, certo? Ensaiamos bem o que vamos dizer, colocamos a melhor roupa, passamos o perfume mais cheioroso e, chegando ao local do encontro, enquanto esperamos, reensaiamos o que vamos dizer, damos uma raspadinha na garganta pra voz sair legal e, tremendo de nervosismo, batemos a porta com o máximo de cuidado possível. E qual é a primeira coisa que fazemos quando estamos na frente da pessoa? Com uma delicadeza sobre-humana, cheios de estilo e gentilezas, assim como mandam os básicos princípios da boa educação, a cumprimentamos, espontaneamente a elogiamos e, geralmente, mesmo não achando graça de nada, ainda nos esforçamos para esboçar nem que seja um sorrisinho amarelo, né não? Mas por que tudo isso? Por que estamos diante de alguém que, pelo menos por aquele momento, é superior a nós e dependemos de uma resposta dele para alguma coisa: seu “sim” ou “não” pode ser fundamental para que consigamos conquistar nosso objetivo. Agora raciocina comigo: se diante do homem agimos com tanto respeito mesmo que ele não mereça, por que diante de Deus, muitas vezes, chegamos de qualquer maneira querendo que Ele nos ouça a qualquer custo? Muitas orações não são ouvidas por falta de reverência. Sempre que nos dirigirmos a Ele deveremos nos lembrar de tratá-lo como Ele verdadeiramente merece ser tratado (Sl 96:8,9).
Quando reconhecemos nossa
fragilidade e exaltamos o nome
do Senhor em nossas orações,
os céus se abrem em nosso
favor
    Deus está no céu, nós estamos na terra (Is 55:9); Deus é Criador, nós somos criatura (Hb 4:13[1]); Deus é Pai, nós somos filhos (2ª Sm 7:14); Deus é Senhor, nós somos servos (Cl 4:1); Deus é soberano, nós somos subordinados[2] (Sl 76:7,12); Deus é infinitamente poderoso, nós somos extremamente limitados (Pr 16:8); Deus é perfeito, nós somos falhos (2ª Sm 22:31)... De que outra maneira poderíamos nos apresentar diante de tão excelsa[3] personalidade, senão com total reverência e respeito? Pare nesse instante para refletir: se sempre queremos ser bem tratados e também nos preocupamos com a maneira como estamos agindo em relação as outras pessoas, como estamos agindo perante o Senhor? De fato, sabemos que Ele é onisciente, onipresente e onipotente, porém seus atributos pessoais também expressam sentimentos iguais aos nossos como por exemplo a tristeza (Ef 4:30) e a ira (Rm 1:18). Sabendo disso, não seria bom examinarmos com mais cuidado nossas atitudes na vida cotidiana e também o nosso comportamento diante dEle?
Uma das melhores formas de
glorificar o nome de Deus é
orar com o coração
arrependido e disposto a se
consertar diante dEle
    Santidade é uma das características mais notáveis na pessoa de Deus. E Ele quer que reconheçamos isso em nossas orações. No entanto, mais do que reconhecer, o nosso dever, por termos sido criados a sua imagem e semelhança (Gn 1:26,27), é buscar viver em santidade[4] (Lv 20:7,8[5]) por mais que sejamos fracos, falhos e errantes em nosso caminho (Mc 14:38). É claro que pela lógica natural isso parece ser impossível, mas dentro do âmbito[6] espiritual, ser santo significa ser separado, ou seja: por mais que estejamos vivendo num mundo conturbado e perdido na corrupção do pecado (Jo 17:15), não devemos nos deixar ser contaminados por esses males e procurarmos sempre ter uma vida voltada a cumprir a vontade de Deus (Rm 12:2). Cometer erros é inevitável, mas permanecer neles conscientemente é intolerável. Só que nada está perdido desde que nos voltemos ao Senhor suplicando por perdão através de sua grandiosa misericórdia (Sl 130:1-4). Quando buscamos ser perfeitos em nossos caminhos (Mt 5:48) estamos honrando ao nosso Criador, e nada mais justo do que lembrarmos seus maravilhosos atributos também em nossas orações (Sl 30:1,2).



[1]Patente: Aberto, acessível, franco. Claro, manifesto, evidente.
[2]Subordinado: Aquele que recebe ordens de outro; quem recebe a lei de outro. Quem ou quem está ligado a alguma coisa ou tem conexão com ela. Quem tem apenas um papel secundário em relação a outro. Inferior, secundário, subalterno.
[3]Excelso: Alto, elevado. Egrégio, grandioso, sublime. Ilustre. Magnificente, maravilhoso, portentoso.
[4]Santidade: Atributo de Deus (Pai, Filho e Espírito) pelo qual ele é moralmente puro e perfeito, separado e acima do que é mau e imperfeito (Êx 15.11; Sl 29.2; Hb 12.10). Qualidade do membro do povo de Deus que o leva a se separar dos pagãos, a não seguir os maus costumes deste mundo, a pertencer somente a Deus e a ser completamente fiel a ele (1Ts 3.13). No AT, separação de coisas ou pessoas para Deus e para o culto. Eram santos os sacerdotes (Lv 21.6-8), os nazireus (Nm 6.5-8), Canaã (Zc 2.12), Jerusalém (Is 52.1), o Templo (Sl 11.4), os altares, o óleo e os utensílios do culto (Êx 30.25-29), os sacrifícios (Êx 28:38), etc.
[5]Santo: (Latim: sanctu) Separado. Que obteve no Céu a recompensa prometida aos que observam os ensinamentos evangélicos; bem-aventurado, eleito. Que vive conforme a lei de Deus; que inspira benevolência e piedade; bondoso; que cumpre com todo o escrúpulo, com a maior exatidão, os seus deveres religiosos e morais; virtuoso. Com o caráter de santidade; dotado de santidade. Que se refere à religião ou ao rito sagrado. Consagrado ao culto, à divindade; sagrado. Digno de respeito e veneração pelo seu caráter, talento e virtudes. Que é digno de respeito; quem o desrespeita comete um ato de profanação. Que não faz mal a ninguém; ingênuo, inocente, simples. Benéfico, profícuo, útil.
[6]Âmbito: Circuito, circunferência, recinto. Campo de ação; esfera.

Jonas Martins Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.