quinta-feira, 1 de setembro de 2016

“Deus Não Vê Como Vê o Homem"

Esconder o pecado apelando para
a própria Bíblia em busca de
justificativa só contribui para
aumentar o problema. O fato de
Deus não ver como vê o homem
não significa que Ele aprove
nossos erros, mas sim que Ele
nos conhece profundamente e
não deixará de fazer justiça caso
não nos arrependamos e
mudemos.
1º Sm 16:6,7 - "Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração."
    A expressão “Deus não vê como vê o homem” é uma resposta quase que automática quando questionamos as atitudes de alguém que está fazendo algo errado. É como se dissesse: “Deus sabe o porquê, compreende e aceita o meu erro! Você não pode me julgar!”. É uma forma de usar a Bíblia como defesa em justificativa ao pecado. Mas o contexto desse versículo está muito longe dessa pretensiosa aplicação. Quando Deus disse essas Palavras, estava repreendendo o profeta Samuel pelo seu equívoco em julgar pela aparência. Sua missão naquele momento, como sacerdote, era ungir um rei em substituição a Saul; no entanto, em sua visão humana, ao observar os filhos de Jessé, atentou primeiramente à Eliabe devido à sua altura. Porém, na verdade, o Senhor já havia escolhido a Davi, o qual, naquele momento, estava no campo.
    O fato de Deus não ver como vê o homem significa simplesmente que Ele conhece o que se passa na mente e no coração humano, e não serve como justificativa ao pecado, como alguns tentam fazer em muitos casos citando esse versículo. Muito pelo contrário, pois sua onisciência é a principal testemunha contra a nossa natureza pecaminosa (Lc 16:15; Jr 17:10). Mas Deus não é benigno e perdoador? Sim. Ele é benigno e perdoador! Mas isso depende de nosso arrependimento e intenção de mudança (At 3:19). Prevalecer no erro por achar que por Ele conhecer suas fraquezas não irá te condenar por elas, consiste em negar sua justiça (Na 1:3aporque tolerar não significa aprovar; a tolerância divina é apenas uma oportunidade de arrependimento, a qual um dia cessa (Ap 2:20-22). Em vez de afrontar quem nos corrige insinuando que tal pessoa não tenha visão espiritual, devemos assumir nossas falhas sem justificar a fraqueza da carne (Mt 26:41).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.