quarta-feira, 14 de setembro de 2016

"Ele Tomou Sobre Si as Nossas Enfermidades, e as Nossas Dores Levou Sobre Si"

Apesar da dispensação da Graça
proporcionar vários benefícios em
nossa vida terrena, o sacrifício de
Cristo na cruz tem um objetivo
muito maior do que o nosso
conforto físico ou material: seu
foco principal é a libertação e a
salvação da nossa alma.
    Esse é um dos versículos preferidos dos pregadores da saúde perfeita, os quais o usam para dizer que crente não pode sofrer e para atacar a fé e a santidade daqueles que não são curados; então isso quer dizer que eles próprios nunca ficam doentes? Bom... isso é uma outra história. Por outro lado, os cessacionistas - teólogos que defendem a teoria de que as curas milagrosas foram cessadas na era apostólica, não tendo mais validade para os dias atuais - afirmam que as enfermidades e dores aqui descritas não são físicas, mas sim espirituais; porém, uma declaração do próprio Senhor Jesus deixa claro que isso se refere sim à doenças físicas (Mt 8:16,17). Assim sendo, por que então muitos crentes sofreram e ainda sofrem com vários problemas de saúde?
    Todos os problemas de modo geral - não apenas os relacionados à saúde - são consequências do pecado original cometido lá no Jardim do Éden (Gn 3:16-19), sob o qual já nascemos com uma natureza pecaminosa, ou seja, com tendência a pecar. No entanto, não é o pecado ou a santidade, ou mesmo a fé que definem o nosso mal ou bem-estar - embora também possam influir -, mas, normalmente, as consequências do próprio modo de vida que levamos. O próprio Jesus afirmou que no mundo teríamos aflições (Jo 16:33), mostrando também que vivemos num mundo habitado pelo mal (Jo 17:14,15; 1ª Jo 5:19). Então, dizer que um crente enfermo está em pecado ou não tem fé, significa acusar alguns profetas e apóstolos de pecado ou falta de fé porque viveram e morreram doentes. O contexto desse versículo de Isaías apenas mostra o quanto o Messias sofreria para dar à humanidade - os que nEle crescem - uma oportunidade de libertação tanto espiritual quanto física, mas não é uma garantia de que não passaríamos por desconforto em nosso corpo humano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.