sábado, 3 de setembro de 2016

“O Sofrimento de Jó Foi Causado por Seu Próprio Medo de Sofrer”

O medo nem sempre
é sinônimo de falta
de fé em Deus, pois
todos nós estamos
sujeitos às mais
diversas fraquezas,
inclusive à
preocupações em
relação a tudo o que
nos cerca; além do
mais, o medo não
exagerado é uma
demonstração de
prudência.
Jó 3:25 - “Por que o que eu temia me veio, e o que receava me aconteceu?”   
    Essas lamentações de Jó têm sido a causa de alguns intérpretes afirmarem que seu sofrimento foi causado por seu próprio medo de sofrer. Essa teoria, embora pareça fazer sentido, não possui base no contexto de sua história. Só para começar, logo no início, o próprio Deus não o acusa de nada e nem aponta motivos para castiga-lo; muito pelo contrário, após elogiá-lo, apenas permite que Satanás o toque (Jó 1:8), inclusive, numa segunda conversa com o inimigo, Ele ainda diz claramente: “[...] havendo-me tu incitado contra ele para o consumir sem causa”. O próprio Jó não compreendia o motivo dessa situação, pois, mesmo sendo um homem sujeito a falhas como todos nós, sabia que não havia cometido nenhum pecado tão grave a ponto de considerar aquilo como castigo (Jó 9:17; 10:7; 16:17; 23:11,12). Suas palavras de angústia mostram o quanto ele estava sofrendo; no entanto, apesar da murmuração - lembrando que murmurar é apenas o ato de expressar descontentamento com a dor­ -, ele não blasfemou e nem perdeu a confiança no Todo-Poderoso (Jó 2:9,10; 13:15; 19:25,26).
    A teoria do sofrimento causado pelo temor é o que leva muitos a crerem que todo sofrimento é castigo de pecado, ou seja: doenças, pobreza, desilusões amorosas, depressão e os demais problemas não podem ser simples provação ou o resultado de nossa própria negligência, e sim uma prova de que estamos em pecado; mas, embora nossas iniquidades também sejam sim punidas por Deus com consequências como essas (Rm 6:23a; Gl 6:7), bênçãos ou sofrimentos não sevem como termômetro para medir nossa vida espiritual (Mt 5:44b). Julgar o medo de Jó como uma falta de confiança em Deus leva muitas pessoas a acharem que seus piores pesadelos se concretizarão a menos que consigam tirá-los da cabeça. Isso, na verdade, em vez de gerar fé, tem provocado é a existência de uma geração de crentes supersticiosos que acham que pensamentos negativos ou positivos sejam fatores determinantes em relação ao seu futuro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.