sábado, 30 de novembro de 2013

O Tempo para Todas as Coisas

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 4º Trimestre de 2013 - Provérbios e Eclesiastes - Lição 9 | Jonas M. Olímpio

Cada tempo perdido significa uma
oportunidade desperdiçada; por
isso devemos continuamente
buscar a direção de Deus para
que nos oriente em como
aproveitarmos cada segundo de
todos os preciosos momentos que
Ele nos dá
TEXTO ÁUREO
Ec 3:1 - "Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu."

VERDADE PRÁTICA
    O tempo e o espaço em que vivemos são limitados, por isso, devemos ser bons despenseiros de Deus nessa vida.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Ec 3:1-8

INTRODUÇÃO
  • No tempo em que vivemos, o afastamento do homem em relação aos mandamentos bíblicos o tem feito viver de uma forma vazia e cheia de incertezas.
  • Para as pessoas sem Deus, e para aquelas que o servem de aparência, não existe uma definição sobre o significado de valores, pois foram criadas várias regras que classificam o certo e o errado de acordo com cada circunstância. 
  • O que predomina no tempo atual é aquele maligno pensamento que diz: "Se isso me faz feliz e não traz prejuízos a mim e nem a ninguém, então não é errado!".
  • Planejar sem consultar a Deus é egoísmo humano, pois o nosso futuro a Ele pertence e devemos entender que estamos sujeitos a sua vontade (Tg 4:13-16).

I - ECLESIASTES, O LIVRO E A MENSAGEM
1. Datação do livro
  • O livro de Eclesiastes foi escrito por volta dos anos 930 e 1000aC.
  • Nessa época o reino de Israel era governado pelo rei Salomão.
  • Seus escritos visam mostrar a vaidade da vida e a importância em se servir a Deus.
  • As informações contidas em seu primeiro capítulo deixam claro que seu autor foi Salomão (Ec 1:1,12).

2. Conhecendo o pregador
  • Salomão se identifica como "o pregador", um termo que em seu sentido original se refere a alguém que fala ou discursa em uma reunião ou assembléia.
  • Nessa época, ele já estava com uma idade avançada e, por tanto ter realizado diversos trabalhos e observar seu povo, havia adquirido bastante experiência de vida.
  • O reino de Israel enfrentava crises naquele período, e Salomão consolava seu povo ensinando-o o quanto as coisas da vida são supérfluas e passageiras ao passo que as coisas de Deus são o único tesouro eterno por não ser perecível.
  • Uma das maiores ocupações de Salomão era observar e relatar tudo o que se passava a sua volta; isso o transformou em um dos maiores narradores históricos de sua época (Ec 1:13).

II - DISCERNINDO OS TEMPOS
1. A transitoriedade da vida

  • Por mais importante que sejam ou pareçam, as coisas da vida são passageiras; por isso, o tempo que dedicamos a elas deve ser limitado.
  • Bens materiais, conhecimento e os mais diversos tipos de prazeres são de fato necessários para o nosso bem viver; porém, nada disso pode satisfazer por completo nossas dificuldades.
  • Em cada área de nossa vida, por diversas vezes, precisamos mudar nossas prioridades, pois nada é tão importante quanto a preservação das coisas espirituais para preencher nosso vazio.
  • O homem pode adquirir muitas posses e obter muita força tornando-se poderoso nas atividades que exerce, mas tudo isso é ilusão passageira (Sl 39:5).

2. A eternidade de Deus
  • Uma das maiores preocupações de Salomão é mostrar a vaidade das coisas terrenas em relação à eternidades das coisas espirituais.
  • Um de seus grandes objetivos foi mostrar que tudo debaixo do sol é perecível, e que a dura luta diária do homem para conquistá-las é um esforço com recompensa temporária, pois tudo se acaba com o fim dessa vida.
  • Salomão foi um homem temente a Deus e muito se dedicou em mostrar que a melhor atividade que o ser humano pode exercer nessa terra é preparar sua vida eterna sendo fiel a Ele.
  • Até o desejo no coração do homem em conhecer o infinito foi dado por Deus; porém, mesmo permitindo-lhe ter muito conhecimento, deu a ele inteligência limitada, pois nem tudo a humanidade tem o direito de saber (Ec 3:11).

III - O TEMPO E AS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
1. Na família

  • Quanto tempo você tem dedicado à sua família? Não basta sustentar, é necessário participar ativamente de seu cotidiano.
  • Outra coisa que se pode observar é que Salomão sempre refere à família como algo sagrado, assim mostrando a importância de apresentarmos nosso lar nas mãos do Senhor.
  • A família deve ser uma extensão da igreja, e vice-versa; por essa razão, tudo o que conhecemos como sagrado se aplica também ao nosso lar.
  • Devemos usufruir das bênçãos de Deus juntamente com aqueles a quem amamos e convivemos; pois a vida é passageira, e cada vez que adiamos nossa felicidade corremos o risco de lamentar por não termos proporcionado prazer aos nossos entes queridos enquanto podíamos em nome de uma santidade excessiva ou da exagerada preocupação com o trabalho secular (Ec 9:8,9).

2. No trabalho
  • Qual é o objetivo do seu trabalho? Seja ele secular ou não, ele não deve ser sua grande prioridade, porque tudo nessa terra é perecível.
  • Nossa dedicação ao trabalho é uma das atividades atividades que mais consomem nosso tempo, por isso devemos fazer com que ele seja proveitoso.
  • Um dos maiores segredos para o sucesso é termos prazer naquilo que fazemos, pois só aprendemos a fazer direito aquilo que gostamos e isso também é dom de Deus.
  • O que fazemos secularmente deve ser apenas suficiente para satisfazer nossas necessidades; pois, devido ao fato de o nosso tempo ser curto, nossa maior preocupação deve ser em construirmos nossa vida eterna (Ec 5:15-17).

IV - ADMINISTRANDO BEM O TEMPO
1. Evitando a falsa sabedoria e o hedonismo

  • Muitos têm aplicado seu tempo na busca do conhecimento sobre os mais variados assuntos; e quanto mais aprende, mais o homem descobre o quanto é frágil perante a grandiosidade de todas as criações de Deus a sua volta.
  • Outros dedicam sua vida em busca do prazer desperdiçando seu precioso tempo com atos pecaminosos, não se dando conta de que essa breve alegria, além de trazer consequências negativas na vida terrena, também conduz à perdição eterna.
  • O verdadeiro cristão sabe que o seu único e verdadeiro prazer deve estar em conhecer e praticar a Palavra de Deus.
  • As (Ec 12:11,12).

2. Evitando a falsa prosperidade e o ativismo
  • A excessiva dedicação de tempo em exaustivas atividades parecem ser uma grande virtude, mas são na verdade, pura ilusão e desgaste desnecessário.
  • A vaidade do acúmulo de riquezas não proporciona conforto e nem segurança, pois quem vive essa ganância morre sem usufruí-la e acaba deixando suas conquistas para que não trabalhou por elas e que certamente as desperdiçará.
  • Seja em sentido secular ou ministerial, progredir e prosperar não é viver para o trabalho, mas simplesmente trabalhar para viver.
  • Não devemos nos privar de usufruir do fruto do trabalho das nossas mãos, porque, assim como nossa vida, elas são passageiras (Ec 2:10,11).

CONCLUSÃO
  • Existe um tempo para cada propósito em nossa vida, ou seja: o que tiver que acontecer, acontecerá em seu devido momento; isso significa que temos que manter a calma e viver cada coisa ao seu tempo.
  • De que maneira você tem aproveitado seu tempo? Um cristão que tenha a mente sadia sabe que muitas coisas lhe são necessárias e que para não haja prejuízos causados pelo desgaste é preciso saber executar todas as tarefas equilibradamente.
  • Não importa qual seja nossa busca desde que Deus esteja na direção e que nosso objetivo seja glorificar seu nome em cada uma de nossas atividades.
  • O tempo da humilhação pode parecer grande, mas se formos humildes buscando a presença de Deus, no momento certo Ele nos exaltará (1ª Pe 5:6).

DICIONÁRIO
Aguilhão: Ponta de ferro fixada na extremidade de um bastão, para picar os bois. Ferrão. 
Efêmero: Passageiro, transitório.
Hedonismo: Doutrina ética, ensinada por antigos epicureus e cirenaicos (Epícuro e Aristipo de Cirene são dois filósofos gregos) e por modernos utilitaristas, que afirma constituir o prazer, só ou principalmente, a felicidade da vida.
Septuaginta: É o nome da versão da Bíblia hebraica para o grego koiné, traduzida em etapas entre o terceiro e o primeiro século antes de Cristo em Alexandria. A tradução ficou conhecida como a Versão dos Setenta (ou Septuaginta, palavra latina que significa setenta, ou ainda LXX), pois setenta e dois rabinos (seis de cada uma das doze tribos) trabalharam nela e, segundo a história, teriam completado a tradução em setenta e dois dias. A Septuaginta, desde o século I, é a versão clássica da Bíblia hebraica para os cristãos de língua grega e foi usada como base para diversas traduções da Bíblia.
Transitoriedade: Aquilo que é transitório. Que tem pequena duração ou permanência; breve, passageiro, efêmero.
Vaidade: Ilusão. Qualidade do que é vão, instável ou de pouca duração. Desejo imoderado e infundado de merecer a admiração dos outros. Vanglória, ostentação. Presunção mal fundada de si, do próprio mérito; fatuidade, ostentação. Coisa vã, fútil, sem sentido. Futilidade. V. de língua: jactância, presunção.

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 4º Trimestre de 2013 - Provérbios e Eclesiastes - Lição 9 | Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.