sábado, 20 de abril de 2013

As Bases do Casamento Cristão

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  2º Trimestre de 2013 - Lição 3  |  Jonas M. Olímpio

A base de um relacionamento
firme e duradouro está no
conhecimento e na prática da
Palavra de Deus, que é o único
livro que ensina o que é o
verdadeiro amor
TEXTO ÁUREO
    Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela (Ef 5:25),

VERDADE PRÁTICA
    O casamento cristão tem de ser edificado tendo como base o amor a Deus e ao próximo. Sem amor não há casamento feliz.

PALAVRA-CHAVE
    Amor Conjugal: O amor entre os cônjuges.

OBJETIVOS
Após esta aula, o teu aluno deverá ser capaz de:
Compreender qual é a verdadeira vontade divina para o casamento.
Conscientizar-se da importância do amor único e verdadeiro para se estabelecer uma família.
Enfatizar a importância da fidelidade conjugal no casamento.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Efésios 5:22-28,31,33
22 - Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor;
23 - Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.
24 - De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.
25 - Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,
26 - Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,
27 - Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula[1], nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
28 - Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
32 - Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.
33 - Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.

INTRODUÇÃO
·         O casamento foi instituído por Deus, e esse é um fator que muito incomoda os que querem viver no pecado, os quais o atacam de todas as maneiras possíveis.
·         Se não tivermos cuidado, até nós podemos acabar sendo confundidos e enganados passando também a defender algumas práticas pecaminosas contra os valores morais da família, por isso devemos estar sempre atentos ao conteúdo das Escrituras Sagradas.
·         Casamento não é simplesmente uma união entre dois corpos, ele consiste num relacionamento de total respeito, não somente entre os cônjuges, mas também - e principalmente - a Deus.
·         As bases do casamento cristão são formadas pelos princípios básicos do cristianismo, tanto na vida espiritual quanto familiar é necessário que se produzam em nós as virtudes do fruto do Espírito:
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
(Gl 5:22)

I - A VONTADE DE DEUS PARA O CASAMENTO
1. Um plano global
·         Como podemos ver em Gênesis 2:24, logo no momento da criação, Deus já ordenou que o homem deixasse seu pai e sua mãe e se unisse à sua mulher. Essa união, a qual torna os dois numa só carne, acontece durante o ato conjugal.
·         A obediência a esse padrão de relacionamento afetivo não depende de crença ou religião, mas simplesmente de respeito aos princípios básicos de educação e de moral.
·         A união entre apenas duas pessoas e de sexo oposto é um fator essencial para a procriação e a multiplicação da raça humana;
·         são apenas duas pessoas por uma questão de organização da família e respeito sentimental, e do sexo oposto porque essa é a única maneira que possibilita a concepção de novas vidas não visando apenas o prazer humano.
·         Viver priorizando a si mesmo como vivem os liberalistas é egoísmo; nossa vida deve ser dedicada em agradar a Deus:
Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito. 6Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. 7Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. 8Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus.
(Rm 8:5-8)

2. Os indicadores da vontade de Deus
·         Muitos cristãos, ao escolherem seu cônjuge, esperam que Deus venha a lhes falar de forma sobrenatural - o que realmente pode chegar a acontecer -, porém, a melhor forma de saber a vontade divina é conhecendo a sua Palavra e perseverando em oração pedindo discernimento para não fazer uma escolha errada, e as regras são simples:
a)      A paz de Deus no coração: quando sua escolha está de acordo com a vontade de Deus, seu coração têm paz, ou seja: você não fica inquieto, perturbado pela dúvida, com aquela sensação de estar fazendo algo errado e com medo de traição.
b)      O comportamento pessoal: é extremamente importante observar todos os detalhes no comportamento da pessoa em quem você está interessado, pois da mesma forma que ela trata sua família e a responsabilidade com que age em seu cotidiano também será a mesma maneira com a qual se comportará com você depois do casamento.
c)       Naturalidade: de fato, Deus nos ama e também nos orienta de várias formas, inclusive através de seus servos; mas, correr atrás de profecias para casamento é um grande perigo, pois qualquer erro nesse sentido pode trazer consequências que te farão sofrer pelo resto da vida. Uma pessoa que tenha o temor de Deus e que queira realmente te fazer feliz, naturalmente, vai te passar segurança, demonstrar que se preocupa com você e que sente a sua falta. Os sentimentos são recíprocos e um se sente completo quando está com o outro.
d)      Os princípios de santidade: as tentações sexuais no namoro são inevitáveis, mas um cônjuge temente a Deus sabe respeitar e busca força espiritual para aguentar o período de espera. Alguém que te forçar a ultrapassar os limites usando o amor como pretexto, e tentar te seduzir de forma ameaçadora quanto à continuidade do relacionamento, definitivamente, não te ama de verdade e também não tem nenhum compromisso com sua própria vida espiritual.
·         Nunca se deixe guiar pela aparência ou por sentimentos, pois enganosos são os olhos e o coração.
·         Busque orientação naquEle que tudo vê e tudo sabe e que verdadeiramente te ama, não te deixando confundido pelas armadilhas do inimigo se você realmente o buscar de todo o seu coração.
·         Ser bem sucedido em uma escolha vai além de conhecer a sua Palavra ou as suas promessas, pois isso depende também de santidade e obediência; será que o Senhor está se agradando do seu caminho, ou seja: das suas atitudes?
Os passos de um homem bom são confirmados pelo SENHOR, e deleita-se no seu caminho. 24Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o SENHOR o sustém com a sua mão.
(Sl 37:23,24)

1) Quando o marido se torna “uma só carne” com a esposa?
R.) Durante o ato conjugal.

2) Cite pelo menos três indicadores da vontade divina no relacionamento.
R.) Paz de Deus no coração, o comportamento pessoal e naturalidade.

II - O AMOR VERDADEIRO NO CASAMENTO
1. O dever primordial do casal
·         Conforme nos ensina Efésios 5:25, amar a esposa é uma ordem e não uma opção: “Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela”;
·         O amor do marido pela esposa deve ser igual ao de Cristo pela Igreja, ou seja: aquele amor que faz a pessoa se entregar ao ponto de dar o máximo de si pelo bem da pessoa amada.
·         Amor não significa apenas palavras ou gestos de carinho e nem somente provisão financeira; amor é a mistura de tudo isso incluindo a preocupação do bem-estar espiritual.
·         O texto de 1ª Coríntios 13 trata do amor em sentido espiritual e fraternal, porém ele se aplica perfeitamente à área familiar, porque nos ensina porque nos ensina procedimentos indispensáveis de como devemos agir com nosso cônjuge, nossos filhos, nossos pais e com todos os demais que estão a nossa volta:
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. 5Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 7Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8aO amor nunca falha;"
(1ª Co 13:4-8a)

2. O amor gera união plena
·         O texto de Efésios 5:31 é bem claro: “Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne”; isso simboliza união, igualdade, proteção, “cumplicidade” e concordância em pensamentos e atitudes;
·         Obviamente, mesmo sendo considerado uma só carne, dois seres humanos sempre vão ter seus lados opostos com suas inevitáveis diferenças; porém, essa unificação se concretiza a partir do momento em que eles consigam superar suas adversidades sabendo respeitar, compreender, renunciar a si próprios e aceitar os limites um do outro;
·         Outro detalhe interessante é que a Palavra diz que os dois serão uma só carne e não um só espírito, o que nos permite entender que a salvação é individual; podemos ajudar, mas não salvar um ao outro com nossa espiritualidade.
·         Em 1ª Coríntios 7:3, o apóstolo Paulo vai além e entra num assunto ainda mais delicado: “O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido”; isso quer dizer que não deve haver discordância entre o casal e ainda que as opiniões sejam diferentes, eles devem procurar um meio de entrar em comum acordo, e isso inclui a área financeira, ministerial, social, familiar e até o prazer sexual.
·         Para pessoas que querem se dedicar mais em sua vida espiritual é de grande importância - mas não obrigatório - que haja uma certa abstinência por um período moderado; porém, considerando-se a fraqueza da carne humana e também o fato de um dos cônjuges não ser crente - ou ser crente, mas não ter a mesma força -, é importante que haja comum acordo sobre o assunto e que de ambas as partes haja respeito pela decisão. Em todo caso, deve-se dar preferência ao sexo, a não ser em caso de impossibilidades provocadas por problemas de saúde:
A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. 5Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência[2].
(1ª Co 7:4,5)

3) Como deve ser o amor do marido pela esposa?
R.) O amor à esposa, ordenado pelas escrituras, deve ser o mais elevado possível. É semelhante ao amor de Cristo pela Igreja: “Como também Cristo amou a Igreja”.

III - A FIDELIDADE CONJUGAL
1. Fator indispensável à estabilidade no casamento
·         A fidelidade é uma das principais bases do casamento, porque a sua violação nada mais é do que a prova da falta de amor.
·         O adultério é tão repugnante que, conforme está escrito em Mateus 5:32 e 19:9, nesse caso, até Jesus admitiu a possibilidade de divórcio, não dando ao adúltero nem sequer o direito de se casar novamente.
·         É importante destacar que não é só a infidelidade entre os casados que pode ser considerada como adultério, pois pessoas solteiras que cometem atos ilícitos também estão adulterando.
·         Existe um maligno sentimento carnal dentro no coração dos seres humanos chamado de “amor”, o qual, na verdade, geralmente, apenas valoriza a aparência física; esse tal tipo de sentimento, normalmente estimulado pelas novelas e pelas músicas mundanas, é responsável pela grande maioria dos casos de traição entre casais. Por isso devemos nos deixar guiar pelo Espírito e não pelo coração ou pela mente:
Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias."
 (Mt 15:19)

2. Cuidado com os falsos padrões
·         A falsa realidade passada pela mídia por meio de filmes, novelas e a fantástica vida dos artistas não chega nem perto da verdadeira realidade do povo cotidiano, pois o que eles acabam inserindo na mente dos fracos que se guiam por eles é o diabólico padrão da “união sem compromisso”, ou seja: casamentos por interesse já feitos pensando na separação, é a maldita filosofia do “se não der certo, separa”;
·         A separação é tão comum entre as pessoas sem o temor de Deus que eles costumam justifica-la simplesmente fazendo uso do seguinte argumento: “Não houve nenhum problema, essa separação ocorreu simplesmente devido ao desgaste natural do relacionamento causado pelo tempo”;
·         Lamentavelmente, estão encarando a união conjugal como a simples compra de um aparelho eletrônico, o qual seu tempo de vida útil se acaba quando atinge o seu limite de desgaste.
·         O padrão do verdadeiro casamento estabelecido por Deus é exemplificado no amor de Cristo por sua Igreja, totalmente baseado no amor e não em interesses pessoais. O verdadeiro amor somente pode ser separado pela morte, e o padrão que devemos seguir para uma união familiar bem sucedido está claramente exposto pela Palavra de Deus:
Da mesma sorte as esposas sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo. 12Os diáconos[3] sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas.
(1ª Tm 3:11,12)

4) O que é indispensável à estabilidade no casamento?
R.) A fidelidade conjugal.

5) Qual é o verdadeiro padrão do amor conjugal?
R.) O verdadeiro padrão do amor conjugal é o de Cristo para com a Igreja!

CONCLUSÃO
·         O grande segredo da edificação da família está no conhecimento da Palavra de Deus, pois ela é a base sólida sobre a qual um lar construído jamais será destruído.
·         Dentro dos diabólicos padrões mundanos, o sexo livre, a traição, a poligamia e o homossexualismo não apenas são considerados normais como também têm sido causa da luta do seu reconhecimento público pela sociedade como um “direito”; antigamente, essas coisas  eram feitas às escondidas, mas agora querem nos forçar a aceitá-las como parte do nosso cotidiano;
·         Isso é uma clara prova de que a volta do Senhor Jesus Cristo está muito próxima, pois Ele não permitirá que os seus santos sofram por muito tempo assistindo a toda essa depravação.
·         O que está acontecendo nos últimos dias não é nenhuma surpresa para os autênticos servos de Deus; mas, diante de tudo isso, sabendo que o Senhor já tem reservada a justa retribuição aos pecadores que não se arrependerem, a nossa verdadeira missão é permanecermos fiéis até o fim, firmemente edificados na base a qual nos é ensinada pelas Sagradas Escrituras:
Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. 13Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados. 14Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido,
(2ª Tm 3:1,13,14)

Jonas M. Olímpio



As máculas que surgem
no casamento são sujeiras
feitas por Satanás para
tornar a união
insuportável; o único
remédio contra isso está
em aceitar a limpeza feita
pelo Espírito Santo por
meio de uma plena
comunhão com Ele
[1]Mácula: Mancha (Êx 12:5). Figuradamente, significa pecado, imperfeição (Ef 5:27; Hb 7:26).
[2]Incontinência: Lascívia. Falta de moderação no controle do apetite sexual.
[3]Diácono: Obreiro que ajuda nos trabalhos de administração e serviços gerais da igreja e cuidava dos pobres (At 6:1-8).

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  2º Trimestre de 2013 - Lição 3  |  Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.