quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Um Libertador para Israel

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 1º Trimestre de 2014 - Uma Jornada de Fé - Lição 2 | Jonas M. Olímpio

A expressão "libertador" não
significa exatamente que Israel
tenha sido salvo pelo "poder" de
Moisés, pois, ele foi apenas um
instrumento usado por Jeová
para realizar essa missão
TEXTO ÁUREO
Êx 3:14 - "E disse Deus a Moisés: Eu Sou o que Sou. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: Eu Sou me enviou a vós."

VERDADE PRÁTICA
    Assim como Moisés, usado por Deus, libertou Israel do cativeiro, Cristo nos liberta da escravidão do pecado e do mundo.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Êxodo 3:1-9
1 - E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto, e chegou ao monte de Deus, a Horebe.
2 - E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.
3 - E Moisés disse: Agora me virarei para lá, e verei esta grande visão, porque a sarça não se queima.
4 - E vendo o Senhor que se virava para ver, bradou Deus a ele do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés. Respondeu ele: Eis-me aqui.
5 - E disse: Não te chegues para cá; tira os sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.
6 - Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus.
7 - E disse o Senhor: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores.
8 - Portanto desci para livrá-lo da mão dos egípcios, e para fazê-lo subir daquela terra, a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do perizeu, e do heveu, e do jebuseu.
9 - E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim, e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem.

COMENTÁRIO RESUMIDO
UM LIBERTADOR PARA ISRAEL
Introdução
    Depois de ter passado 40 anos no Egito, aonde recebeu ensinamento familiar e religioso por parte de sua mãe e educação profissional e cultural da filha do faraó, e mais 40 anos em Midiã cuidando de ovelhas, Moisés certamente nem imaginava que tudo isso fazia parte de um propósito de Deus, o qual lhe faria passar mais 40 anos no deserto usando o que havia aprendido para cuidar de um grande povo.
    Muitas vezes não entendemos, mas nada em nossa vida é por acaso, pois o Senhor tem um propósito e, para realiza-lo, nos permite  ter experiência com aquilo que Ele nos permite ter ou passar.
Êx 3:1-9

I - MOISÉS - SUA CHAMADA E SEU PREPARO
1. Deus chama o seu escolhido
A Bíblia não relata uma razão específica para que Deus tenha escolhido exatamente Moisés para essa missão. Mas o fato de ele ter sido um hebreu nascido no Egito numa ocasião em que precisou receber um livramento milagroso para sobreviver indica que ele já era escolhido desde o ventre. Isso quer dizer que não foram suas qualidades religiosas, morais, intelectuais, financeiras ou físicas que determinaram o seu chamado; porém, obviamente, essas virtudes precisaram ser desenvolvidas com o tempo, pois caso ele não obedecesse à voz de Jeová, com certeza sofreria as consequências e outra pessoa seria enviada em seu lugar ou a libertação de Israel ocorreria de outra forma.
    Não cabe a nós questionar ou tentar entender o porquê de Deus ter nos escolhido ou não para determinado tipo de trabalho; seja qual for a situação, o que devemos fazer é obedecer pedindo-lhe orientação sobre o que, quando e como fazer, tendo a certeza de que, mesmo em meio às dificuldades, se foi mesmo Ele quem chamou, Ele se responsabiliza suprindo todas as necessidades e ajudando a superar todos os problemas.
1ª Pe 5:10
2. O preparo de Moisés
 Ao estudar nas melhores universidades do Egito, Moisés provavelmente fez muitos planos quanto ao seu futuro profissional, mas uma atitude impensada ao se envolver numa briga e matar um egípcio o levou a ter que fugir para bem longe. Tudo isso poderia ter sido evitado se ele não perdesse o controle sobre o seu temperamento naquele momento, porém, independentemente da forma como aconteceu ou poderia ter acontecido, isso era plano de Deus, o qual queria que ele usasse todo o seu conhecimento adquirido com os estudos juntamente com as habilidades que ele aprenderia apascentando ovelhas para libertar Israel da escravidão.
    Toda a nossa vida é uma escola na qual cada fato, seja ele teórico ou prático, é uma valiosíssima lição da qual precisaremos no futuro para resolver algo ou aconselhar alguém.
2ª Co 3:5
3. O objetivo da chamada divina
    O povo de Israel vivia escravizado e oprimido no Egito aonde era influenciado pela idolatria pagã correndo o risco de se esquecer de suas origens e também exposto ao perigo de haver uma mistura de raças que os levaria a perder sua identidade, por isso eles precisavam ser retirados de lá com urgência; mas essa não seria uma tarefa nada fácil e exigia a escolha de um líder que tivesse seu coração e sua vida voltada a obedecer a Deus. Moisés tinha esse perfil, mas esse não era um mérito seu, pois foi Jeová quem o preparou desde o nascimento para essa missão: ele foi milagrosamente salvo da morte e criado pelos pais hebreus que o instruíram no conhecimento da Palavra, o que o levou a crescer com temor ao Senhor.
    Hoje, o objetivo divino é libertar os escravos do pecado, e o chamado de cada um de nós consiste em usar os dons que recebemos do Espírito Santo para cumprir essa obrigação. Mas para isso é necessário estarmos firmes e fielmente ligados àquEle que nos chamou e confiou essa importante Obra.
Jo 15:5

II - AS DESCULPAS DE MOISÉS E A SUA VOLTA PARA O EGITO
1. O receio de Moisés e suas desculpas
    Assim como o profeta Jonas, Moisés também relutou fortemente em obedecer ao chamado divino; porém, ao invés de fugir, ele tentou arrumar desculpas: alegou que ninguém acreditaria em suas palavras e que ele também não tinha facilidade para falar. Mas Jeová lhe mostrou seu poder transformando a vara em serpente, e colocando e retirando lepra em sua mão e, diante de sua persistência em só olhar para suas dificuldades, o Senhor, mesmo irado com sua atitude, prometeu preparar seu irmão Arão para ajuda-lo.
    Nossas desculpas jamais conseguirão convencer a Deus, pois por mais que o nosso medo pareça justo, a recusa em obedecer ao chamado divino é uma demonstração de falta de confiança, atitude essa que desperta sua ira, pois quem não confia não tem fé, e sem fé é impossível agradá-lo. Se temos a certeza de que é Ele quem realmente está mandando, podemos estar certos de uma coisa: Ele proverá todos os meios para que essa missão seja cumprida.
Mt 10:18-20
2. Deus concede poderes a Moisés
    Sabendo das dificuldades de Moisés, o Senhor lhe demonstrou seu poder para encorajá-lo. Aparentemente seria desnecessário Deus ter que “provar” seu poder, afinal, Moisés tinha conhecimento religioso e foi criado ouvindo falar sobre as maravilhas que aconteceram na vida de Abraão, Isaque e Jacó; porém, essa era a hora de obter experiência, e Moisés precisava saber da autoridade que estava recebendo naquele momento.
    O Senhor compreende a fraqueza humana respeitando os limites do homem atendendo a sua necessidade de muitas vezes precisar ver algo para sentir-se encorajado. Quando aceitamos Jesus em nossa vida, depois que alcançamos a promessa do recebimento do Espírito Santo - o qual se manifesta por meio dos dons espirituais -, somos agraciados com grande autoridade sobre os poderes malignos. Deus nunca nos manda ao trabalho sem as ferramentas certas para executá-lo. Mas é importante lembrar que nossa maior alegria não deve estar nos dons, e sim na salvação da alma.
Lc 10:19,20
3. O retorno de Moisés
    Depois de finalmente aceitar o chamado divino, Moisés precisava retornar ao Egito. Mas ele achou por bem não contar ao seu sogro o verdadeiro motivo da sua viagem, pois, provavelmente, naquele momento, ele não entenderia e talvez tentasse desencorajá-lo. Ele simplesmente lhe disse que iria rever seus parentes; com isso ele não mentiu, pois certamente os reencontraria, ele apenas fez uso de seu direito de não contar todos os seus planos. Então, pegou sua família, e deu início a uma longa viagem de 320 quilômetros de Midiã a Gósen. Enquanto isso, Deus o encorajara mais uma vez, dizendo-lhe que os que queriam mata-lo já estava mortos.
    Nunca devemos revelar nossos planos a qualquer pessoa, pois sempre alguém tentará nos desencorajar; principalmente se eles tiverem sido revelados por Deus, pois aí o Diabo lutará mais intensamente usando seus instrumentos para nos impedir. Não desmereça o privilégio de sua intimidade com Deus revelando-o a quem, muitas vezes movido pela inveja, possa querer impedir sua vitória.
Lc 10:23,24

III - MOISÉS SE APRESENTA A FARAÓ
1. Moisés diante de Faraó
    Moisés e Arão, ordenados pelo Senhor, se foram a presença do faraó, pedindo-lhe permissão para ir com todo o povo hebreu ao deserto prestar um ato de adoração a Deus. O faraó, não sendo nada ingênuo, sabendo que se eles fossem não mais voltariam, não somente negou o pedido como também aumentou seu serviço achando que eles estavam muito ociosos e que se tivessem mais trabalho não teriam tempo para pensar e planejar sacrifícios no deserto.
    Mesmo agindo de forma certa, há momentos em que tudo parece dar errado, mas é importante nos lembrarmos que se estamos sob a direção de Deus, até as situações que tiverem resultados aparentemente desfavoráveis fazem parte de seu propósito.
Jo 16:33
2. A queixa dos israelitas
    Diante dessa aparente derrota, os israelitas, em vez de buscarem força e orientação em Deus, preferiram atacar Moisés e Arão culpando-os porque sua promessa de sair do Egito não fora cumprida. O erro deles foi achar que Deus tinha a obrigação de cumprir a promessa imediatamente e, com certeza, imaginaram que se nada aconteceu foi porque Moisés talvez estivesse mentindo. Naquele momento de grande pressão, Moisés também sem entender o porquê daquele “fracasso” se pôs a questionar, e então Deus lhe respondeu revelando-lhe que queria antes mostrar o seu poder ao faraó, fazendo com que ele próprio os expulsasse de lá. Moisés talvez não tenha percebido, mas essa primeira apresentação diante do faraó, a recusa ao seu pedido e a murmuração do povo eram apenas mais um teste de sua capacidade de liderança, ou seja: mais uma experiência que contribuiria ao seu aprendizado sobre o que ele enfrentaria depois no deserto com aquele povo.
    Um bom líder cristão não se deixa desanimar pelas dificuldades e nem pelas críticas de seus liderados, pois ele sabe primeiramente que a Obra não é dele e também que Deus não o permitiria estar ali se ele não pudesse ser capacitado para isso. Em momentos de crise durante a execução de um trabalho, a pressão das pessoas envolvidas é inevitável; porém, é preciso ter equilíbrio para não perder o controle, confiar em Deus sabendo que Ele não te abandonou e continuar trabalhando até que todos vejam que aquelas adversidades faziam parte do processo para alcançar o resultado esperado.
1ª Co 10:12,13
3. Deus promete livrar seu povo
    Apesar da murmuração daquele povo, Deus manteve sua promessa de livrá-lo da escravidão, porque Ele tinha prometido a Abraão, Isaque e Jacó que eles e seus descendentes herdariam a terra de Canaã. O compromisso de Jeová não era exatamente com aquelas pessoas, mas por serem herdeiras dos que receberam a promessa, elas teriam o direito de usufruir daquela bênção. Porém, precisariam ser obedientes, caso contrário receberiam o livramento da escravidão, mas apenas seus filhos entrariam na terra; e foi exatamente isso o que aconteceu.
    Agora, na era cristã, nossa situação não é diferente daquela do povo de Israel: a promessa da salvação continua de pé, mas o compromisso de Deus é com aqueles que são fiéis a Ele, pois os que o rejeitarem, mesmo que tenham sido libertos da escravidão do inimigo, não poderão entrar na Terra Celestial. Apenas os que fizerem a sua vontade alcançarão essa graça.
2ª Pe 3:13

Conclusão
    Ser um líder na grande libertação de Israel não fazia parte dos planos de Moisés, porque ele tinha medo das dificuldades que iria enfrentar, não se sentia capaz de liderar, não tinha facilidade para se expressar e achava que não conseguiria conquistar a confiança do povo. Mas Deus já o tinha escolhido e lhe provou que a capacidade não vem do homem, mas que é Ele próprio quem o capacita.
    O segredo do nosso sucesso, principalmente a nível ministerial, é não traçar planos por nossa própria conta, mas sim pedir a Deus que nos oriente sendo Ele o mentor de todos os nossos projetos. Muito provavelmente não teremos uma grande nação para libertar da escravidão, mas certamente sempre haverá situações e pessoas que precisarão de nossa ajuda de alguma forma. E é aí que precisaremos mostrar que somos obreiros guiados por Deus. Não importa qual seja a sua função, você é um “Moisés” naquilo que faz, então ouça a voz do Senhor e faça como Ele te ordenar.
Gl 2:20
Comentário e edição: Jonas M. Olímpio

DICIONÁRIO
Amorreu: Povo mau e guerreiro que morava nas montanhas de Canaã e que foi dominado por Josué (Gn 15:16; Js caps. 10-11).
Arão: Significa "Iluminado". Filho de Anrão e Joquebede e irmão de Moisés (Nm 26:59). Foi auxiliar de Moisés na tarefa de tirar os israelitas do Egito (Êx 4:14-16; 7:1-2) e de levá-los a Canaã. Foi pai de quatro filhos: Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar (Êx 6:23). Arão teve seus momentos de fraqueza (Êx 32:1-29; Nm 12.1-15}. Ele e os seus filhos foram consagrados para servirem como sacerdotes (Êx 28:1). Sua morte está registrada em (Nm 20:22-29). 
Atributo: Aquilo que é próprio de um ser; qualidade (Rm 1:20).
Cananeu: Descendente ou morador de Canaã (nome antigo da Palestina).
Escusa: Ato de escusar, ou dispensar. Desculpa. Pretexto.
Exator: Feitor. Capataz; chefe (Êx 3:7). Cobrador de impostos (Dn 11:20). 
Ferezeu: Povo que morava em Canaã antes da invasão de Josué (Js 9:1).
Gósen: Distrito do Egito onde Jacó e sua família foram morar quando José era primeiro-ministro (Gn 46:28).
Heteu: Distrito situado na região no norte do Egito, a leste do baixo Nilo, onde os filhos de Israel viveram desde o tempo de José até a época de Moisés .
Heveu: Significa "Camponeses". Um dos sete povos que Josué derrotou por ocasião da conquista de Canaã (Js 24:11). Provavelmente o mesmo que horeus. 
Horebe: Também chamado de Sinai, está situado entre os golfos de Suez e de Ácaba. Nesse monte foi dada a Moisés a Lei (Êx 19:20-20.26). É também o nome do deserto ao seu redor (Êx 19:1).
Jacó: Significa "Enganador". Filho de Isaque e Rebeca e irmão gêmeo de Esaú (Gn 25:21-26). A Esaú cabia o direito de Primogenitura por haver nascido primeiro, mas Jacó comprou esse direito por um guizado (Gn 25:29-34). Jacó enganou Isaque para que este o abençoasse (Gn 27:1-41). Ao fugir de Esaú, Jacó teve a visão da escada que tocava o céu (Gn 27:42-28:22). Casou-se com Léia e Raquel, as duas filhas de Labão (Gn 29:1-30). Foi pai de 12 filhos e uma filha. Em Peniel lutou com o anjo do Senhor, tendo recebido nessa ocasião o nome de Israel. Para fugir da fome, foi morar no Egito, onde morreu. Esse nome também era usado para identificar o povo de Israel (Nm 24:5). Pai de José, o marido de Maria (Mt 1:15-16).
Jebuseu: Morador de Jebus, um nome antigo de Jerusalém (2º Sm 5:6).
Midiã: Significa "Contenda". Foi um filho de Abraão e Quetura (Gn 25:2). É o nome de uma região localizada a leste do golfo de Ácaba (Êx 2:15-22). É o progenitor da tribo dos midianitas (os árabes), localizada principalmente no deserto ao norte da península Árabe; terra para onde Moisés foi quando fugiu do faraó.
Murmurar: Censurar ou reclamar.
Prerrogativa: Direito, inerente a um ofício ou posição, de usufruir um certo privilégio ou exercer certa função. Direito ou privilégio especial pertencente a uma pessoa, grupo ou classe de indivíduos. Direitos dados ao rei.
Protelar: Adiar, demorar, procrastinar, prorrogar, protrair.
Redimir: Salvar. Remir.
Sarça: Espinheiro. Arbusto espinhoso.

AUXÍLIO COMPLEMENTAR
Mapas e imagens ilustrativas
(clique nas imagens para ampliá-las)
Provável trajeto de 320 quilômetros que foi percorrido por Moisés
com sua família em sua viagem de Midiã ao Egito

A Sarça ("Seneh" em hebraico, origem do topônimo "Sinai") é uma
planta espinhosa da família das fabáceas, gênero Acácia, o mesmo
das árvores conhecidas genericamente no Brasil como "Jurema"

Serpentes sempre foram muito comuns em regiões desérticas;
Moisés, por ter sido um trabalhador do campo, devia estar
acostumado a lidar com elas, por isso não teve medo de pegar
uma na mão quando o senhor transformou sua vara

Se apresentar diante do faraó não era nada fácil deviso a sua
alta posição política e a sua postura autoritária que lhe permitia
condenar à morte quem o desafiasse

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 1º Trimestre de 2014 - Uma Jornada de Fé - Lição 2 | Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.