terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A Celebração da Primeira Páscoa

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 1º Trimestre de 2014 - Uma Jornada de Fé - Lição 4 | Jonas M. Olímpio

Embora a páscoa tenha sido
instituída por Deus para lembrar
aos judeus a libertação dos seus
antepassados da escravidão, para
nós cristãos ela representa a
morte de Cristo na cruz para nos
libertar do pecado; em memória
a esse tão grandioso ato de amor,
celebramos a Santa Ceia, a qual
também foi ordenada por Ele
TEXTO ÁUREO
1ª Co 5:7b - "[...] Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós."

VERDADE PRÁTICA
    Cristo é o nosso Cordeiro Pascal. Por meio do seu sacrifício expiatório fomos libertos da escravidão do pecado e da ira de Deus.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Êxodo 12:1-11
1 - E falou o Senhor a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo:
2 - Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano.
3 -  Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família.
4 - Mas se a família for pequena para um cordeiro, então tome um só com seu vizinho perto de sua casa, conforme o número das almas; cada um conforme ao seu comer, fareis a conta conforme ao cordeiro.
5 - O cordeiro, ou cabrito, será sem mácula, um macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras.
6 - E o guardareis até ao décimo quarto dia deste mês, e todo o ajuntamento da
congregação de Israel o sacrificará à tarde.
7 - E tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambas as ombreiras, e na verga da porta, nas casas em que o comerem.
8 - E naquela noite comerão a carne assada no fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão.
9 - Não comereis dele cru, nem cozido em água, senão assado no fogo, a sua cabeça com os seus pés e com a sua fressura.
10 - E nada dele deixareis até amanhã; mas o que dele ficar até amanhã, queimareis no fogo.
11 - Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor.

COMENTÁRIO RESUMIDO
A CELEBRAÇÃO DA PRIMEIRA PÁSCOA
Introdução
    Depois de nove pragas, o Senhor disse a Moisés que ainda naquela noite mataria a todos os primogênitos egípcios e lhe mandou ordenar ao povo de Israel que lhe preparasse uma celebração especial que, ao longo do tempo, serviria de memorial sobre sua libertação do Egito que ainda ocorreria no dia seguinte.
    Comemorar a libertação estando ainda no Egito foi uma grande demonstração de fé. Espiritualmente, isso representa a fé que devemos ter em Deus que deve ser expressa através do ato de sempre adorá-lo mesmo em meio às dificuldades.
Êx 12:1-11

I - A PÁSCOA
1. Para os egípcios
    A páscoa, para os egípcios, representou o julgamento divino sobre o Egito como consequência pelos 430 anos em que eles oprimiram os israelitas. Foi nessa noite em que todos os primogênitos foram mortos.
    Deus é amor e misericórdia, mas sua ira e sua justiça são implacáveis quando o homem, depois de várias oportunidades, não se arrepende e persiste em confrontá-lo com o pecado. Porém, assim como ele poupou Israel das pragas que atingiram o Egito, seja física ou espiritualmente, ele também livra seus fiéis da aflição. No entanto, seu castigo sobre os ímpios não devem ser razão para a nossa alegria, mas sim uma oportunidade para demonstrarmos misericórdia pelos que estão caminhando para o abismo, tratando-os com amor.
2ª Pe 2:7-9
Mt 5:44
2. Para Israel
    Para Israel, a páscoa significa libertação da escravidão depois de quase quatro séculos e meio de muito sofrimento. Foi nessa ocasião que eles ganharam não somente a liberdade, mas também a esperança de uma vida próspera numa terra muito melhor.
    As promessas de Deus vão muito além da libertação do pecado: elas nos levam a viver a certeza de uma vida eterna num lugar perfeito aonde nenhum mal poderá nos afligir. Nossa salvação está em Cristo e somente quem segui-lo com fidelidade será realmente liberto.
Jo 10:9
3. Para nós
    Sendo a páscoa um memorial referente à libertação de Israel, automaticamente os gentios estariam excluídos; porém, com o sacrifício de Cristo, o qual nos deu a oportunidade de sermos libertos do pecado, todos nós fomos incluídos no grandioso plano de salvação.
    Jesus nos permitiu ter acesso à salvação, mas alcança-la depende de nós. Quem realmente está liberto das imundícies malignas tem como principal característica a obediência à Palavra de Deus. Qualquer um pode ser religioso e, contudo, não ser praticante daquilo que as Escrituras Sagradas ensinam.
Jo 8:36,37

II - OS ELEMENTOS DA PÁSCOA
1. O pão
    Na pressa da fuga do Egito não haveria tempo para o fermento crescer, então seria necessário assar o pão sem ele. Isso representava o consumo de um alimento sem mistura: totalmente puro; pois, a partir daí, eles não teriam mais nenhum contato com os egípcios.
    Jesus, por algumas vezes, usou o fermento como símbolo da mistura com o mundo e do crescimento do pecado. Como cristãos, nosso alimento espiritual deve dos ensinos da sua maravilhosa Palavra, ou seja: Ele é o nosso Pão: o nosso sustento..
1ª Co 5:6-8
2. As ervas amargas
    As ervas amargas incluídas na celebração dos israelitas tinham a finalidade de não deixa-los esquecer do grande sofrimento que enfrentaram por 430 anos. Sendo assim, cada vez que os seus descendentes comemorassem a páscoa, saberiam o quanto seus antepassados sofreram no Egito e honrariam ao Senhor por serem libertos.
    Agora, na era cristã, isso significa que temos que nos lembrar do quanto Jesus Cristo sofreu na cruz para nos dar direito à liberdade. Embora muitos hoje preguem somente aquilo que lhes pareça conveniente, jamais devemos nos esquecer, que apesar de Ele sempre nos abençoar, segui-lo com fidelidade significa suportar várias aflições tendo alegria simplesmente em saber que Ele está conosco e que um dia estaremos eternamente ao seu lado.
1ª Ts 1:6
Lc 10:20
3. O cordeiro
    Outro elemento de extrema importância na celebração era o cordeiro - um animal puro e inocente - , o qual tinha que ser morto e o sangue aspergido nos batentes das portas; isso era um sinal para que o primogênito daquela casa não fosse morto.
    Cristo foi sacrificado como um cordeiro, pois Ele também nunca teve nenhum pecado, sendo, portanto, totalmente puro e digno de ser recebido por Deus como um perfeito sacrifício.
1ª Pe 1:18,19

III - CRISTO, NOSSA PÁSCOA
1. Jesus, o Pão da Vida
    Na época do êxodo, os israelitas tinham em Moisés um porta-voz direto de Deus. Porém, mesmo com todos os milagres que foram feitos por meio dele no deserto, nem todos lhe davam seu devido respeito; porém, o próprio Moisés, de forma indireta, mencionou a vinda de Jesus, afirmando que se despertaria um profeta do meio deles e, que a Ele, eles ouviriam; essa profecia se cumpriu quase 600 anos depois.
    Hoje, embora tenhamos líderes ministeriais que nos ensinam a Palavra nas igrejas que frequentamos, não temos um líder humano que nos conduza a Deus; mas, muito melhor do que isso, temos Jesus Cristo, o qual nos leva diretamente a Ele.
Dt 18:15
Hb 3:1-6
Jo 14:6
2. O sangue de Cristo
    Apesar de somente ter protegido os israelitas, o sangue do cordeiro derramado na primeira páscoa tinha a função de indicar que um inocente já havia sido morto no lugar do primogênito da casa aonde ele estava derramado na porta.
    Para nós o sangue de Jesus derramado na cruz pode ser ilustrado como o carimbo de autenticação sobre a assinatura de um documento que testifica a libertação de um prisioneiro. Porém, essa libertação só terá validade enquanto aquele que foi liberto cumprir com todas as cláusulas que expõem as condições para que ele continue livre, ou seja: se aceitamos seguir a Cristo, devemos obedecer sua Palavra para não voltarmos à prisão do pecado.
1ª Jo 1:7
3. A Santa Ceia
    Para cada hebreu, participar da páscoa significava declarar publicamente que estava consciente sobre quem era o seu libertador da escravidão. Se, posteriormente, alguém negasse isso, simplesmente teria comido e bebido em vão, assim desmerecendo o cordeiro que foi sacrificado naquela ocasião.
    Os cristãos hoje, para lembrar sua libertação do pecado, celebram a Santa Ceia; ato esse ordenado pelo próprio Jesus pouco antes de sua crucificação. Participar desse tão grandioso evento significa dizer que está ciente do sacrifício feito pelo seu Salvador; portanto, se fizer isso estando em pecado, a própria pessoa está se condenando por desonrar a morte de um inocente que se entregou em seu lugar para lhe dar uma oportunidade de salvação.
Mt 26:26-28
1ª Co 11:27



Conclusão
    Os hebreus se encontravam numa situação muito difícil no Egito, mas, mesmo com suas falhas, obedeceram a Moisés e celebraram a páscoa antes mesmo de serem libertos, e Deus honrou a sua fé fazendo-os viver grandes milagres que antes eles apenas tinham ouvido falar.
    Se honrarmos a Cristo com nossa fé através de nossas atitudes, mesmo com nossas falhas, Ele nos honrará por seu amor e misericórdia desde que estejamos sempre dispostos a melhorar obedecendo-o segundo a sua vontade. E nesse ato de obediência está incluída a memória do seu sacrifício por nós.
Hb 11:28
Jo 6:53,54
Edição e comentário: Jonas M. Olímpio

DICIONÁRIO
Abib: Ou "abibe" (espigas verdes); também chamado de "nisan" (primeiros frutos). É o nome dado ao primeiro mês do calendário judaico religioso (sétimo mês do calendário civil), que se inicia com a primeira Lua nova da época da cevada madura em Israel. O nome Nissan tem origem babilônica: na Torá o nome do mês é Abib. Nissan é um mês de 30 dias que marca o início da primavera no hemisfério norte. Neste mês os judeus comemoram Pessach (14 de Nissan), Chag Hamatzot (15-22 de Nissan) e Yom HaShoah (27 de Nissan). O livro de Êxodo da Bíblia ensina que o mês de Abib é marcado pela libertação de Israel do regime escravo no Egito - ver em Êxodo capítulo 11, 12 e 13. Uma característica especial é que neste mês comemora-se a páscoa judaica, de acordo com o capítulo 12 de Êxodo.
Asmo: Também chamado de ázimo, é o alimento de massa preparado sem fermento. Não fermentado; não levedado.
Aspergir: Borrifar ou respingar com água ou outro líquido.
Ázimo: Também chamado de asmo, é o alimento de massa preparado sem fermento. Não fermentado; não levedado.
Ceia: Refeição da noite; janta.
Celebração: Ato de celebrar (festejar; comemorar; realizar com solenidade (Sl 98:4; Mt 22:2; 26:18)).
Cingido: Cercado, circunvalado, contornado, encurralado, ladeado, rodeado e sitiado. Vestido.
Cordeiro: Filhote ainda novo da ovelha; carneirinho. Sua carne servia de alimento e era usada nos sacrifícios (Êx 29:39). Figuradamente, Jesus Cristo é o Cordeiro de Deus (Jo 1:29).
Expiatório: Que serve de expiação (cumprimento de pena imposta para pagamento por crime ou erro).
Fermento: Massa velha de farinha que azedou e da qual se põe um pouquinho na massa do pão para fazê-la crescer. Simboliza o crescimento tanto do bem (Mt 13:33) como do mal (Gl 5:9).
Fressura: Miúdo de animal (fígado, coração, etc).
Jactância: Orgulho.
Juízo: Faculdade intelectual que compara e julga. Apreciação, conceito. Opinião, voto, parecer. Sensatez. Ato de julgar; julgamento.
Levedar: Deixar fermentar a massa de pão, fazendo-a crescer antes de assá-la.
Mácula: Mancha (Êx 12:5). Figuradamente, significa pecado, imperfeição (Ef 5:27; Hb 7:26).
Ombreira: Batente vertical de portas e janelas (Êx 12:7). A parte da vestimenta que fica no ombro (Êx 28:25).
Páscoa: Festa em que os israelitas comemoram a libertação dos seus antepassados da escravidão no Egito (Êx 12:1-20). Cai no dia 14 de Nisã (mais ou menos 1º de abril). Em hebraico o nome dessa festa é Pessach. A festa dos pães asmos era um prolongamento da Páscoa (Dt 16:1-8).
Primogênito: O filho mais velho.
Santa Ceia: Além da comunhão entre os irmãos, ela também é um memorial da morte de Cristo, um ato sagrado e uma ordenança divina. Comer do pão e tomar do cálice significa participar do Corpo e do Sangue de Cristo, relembrando seu vicário sacrifício pela humanidade. A Santa Ceia é uma celebração sagrada que merece total respeito e reverência, obedecendo a vontade do próprio Senhor Jesus que disse que deveríamos fazer isso em memória dEle (Mt 26:26-28).
Umbral: Batente da porta.
Verga: A madeira de cima no batente das portas (Êx 12:23). 

AUXÍLIO COMPLEMENTAR
Leia outros estudos referentes ao assunto:
Qual é a Importância da Santa Ceia?
Quem é Jesus?

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 1º Trimestre de 2014 - Uma Jornada de Fé - Lição 4 | Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.