sábado, 3 de agosto de 2013

As Virtudes dos Salvos em Cristo

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  3º Trimestre de 2013 - Filipenses - Lição 5 |  Jonas M. Olímpio
As virtudes de um salvo em
Cristo dependem, e muito, de
seu equilíbrio tanto espiritual,
quanto também moral. Essa
capacidade de equilíbrio é o
que não o deixa cair nas
armadilhas do inimigo
Leitura Bíblica em Classe - Fp 2:12-18

Texto Áureo - “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” (Fp 2:13).


Verdade Prática - A salvação é obra da graça de Deus,  garantida à humanidade mediante a morte expiatória de Jesus.

ESBOÇO DO COMENTÁRIO RESUMIDO

INTRODUÇÃO
- A principal das virtudes de um verdadeiro cristão é a obediência, pois é através dela que cumprimos a vontade divina em nossa vida.
- Obedecer ao Evangelho é colocar em prática aquilo que ele ensina (Fp 4:8).

I - A DINÂMICA DA SALVAÇÃO
1 - O caráter dinâmico da salvação
- A salvação operada por Cristo tem basicamente três aspectos: o seu sacrifício na cruz
nos libertou da escravidão; a transformação é progressiva e, aos poucos vamos ganhando forças para resistir ao pecado; esse nosso zelo espiritual nos fará herdar o Reino dos Céus.
- Apesar da salvação ser operada pela graça de Cristo através de nossa fé e não por nossas obras, ela depende muito das nossas atitudes (Ef 2:8-10).

2 - Deus é a fonte da vida
- A salvação não é por méritos humanos, e sim uma obra do Espírito Santo quando lhe damos liberdade para agir.
- Para se dizer cristão e se considerar como filho de Deus é necessário ser guiado pelo Espírito Santo (Rm 8:9,14).

3 - A bondade divina
- A salvação é para todos, mas nem todos creem ou a levam a sério, e esses, apesar do fato de Deus querer que se salvem, serão condenados.
- O crente salvo em Cristo não se contenta apenas com a sua salvação, pois dentro dele cresce um ardente desejo de fazer algo  para Deus de forma que venha a contribuir para a salvação de outras almas (Jo 15:16).

II - OPERANDO A SALVAÇÃO COM TEMOR E TREMOR
1 - “Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas”
- Paulo alertava os filipenses  sobre as murmurações e as contendas, porque esses dois pecados, entre outros, também impedem a salvação da alma.
- As virtudes do crente precisam ser visíveis diante de todos (Mt 5:13-16).

2 - “Sejais irrepreensíveis e sinceros”
- O crente, por piores que sejam as adversidades que ele enfrente, deve ter paz interior; caso contrário, algo está errado em sua vida espiritual.
- Somente quem anda em Espírito consegue resistir aos desejos carnais (Gl 5:16,17).

3 - “Retendo a Palavra da vida”
- Reter a Palavra da vida da vida é muito mais do que conhecer a Bíblia, pois isso significa colocá-la em prática.
- O verdadeiro servo de Deus, assim como Paulo, não apenas se dedica, mas também se preocupa com a qualidade do seu trabalho (Fp 2:15,16).

III - A SALVAÇÃO OPERA O CONTENTAMENTO E A ALEGRIA
1 - O contentamento da salvação operada
- Paulo optou por uma vida privações em nome da propagação do Evangelho;  suas dificuldades eram superadas pela alegria de ver o fruto do seu trabalho crescendo cada vez mais.
- Seu conceito de sacrifício, ele levou a sério até o fim de sua vida não se importando com suas duras consequências (Fp 2:17; 2ª Tm 4:6-8).

2 - A alegria do povo de Deus
- A verdadeira alegria de Paulo, a qual ele transmitia aos crentes de Filipos, não consistia em qualquer bem terreno, mas unicamente na salvação alcançada através da fé e a obediência aos princípios divinos.
- Nem mesmo a alegria por uma vida espiritual ou ministerial bem sucedida deve superar a alegria da salvação (Lc 10:20).

CONCLUSÃO
- A transformação operada pelo Espírito Santo nos faz agir de forma que o mundo veja nossas virtudes; essa é a verdadeira marca da promessa.
- As virtudes de um salvo em Cristo são medidas pelo fruto que ele produz (Gl 5:22).

DICIONÁRIO
Concupiscência: Forte e continuado desejo de fazer ou de ter o que Deus não quer que façamos ou tenhamos (Rm 7:8).
Graça: Favor imerecido. O vocábulo Graça provém do latim gratia, que deriva de gratus (grato, agradecido) e que em sua primeira acepção designa a qualidade ou conjunto de qualidades que fazem agradável a pessoa que as têm. Teologicamente, refere-se ao período que se iniciou com a morte de Cristo na cruz, o qual pôs fim às rígidas imposições da Lei mosaica, colocando em vigor o Novo Testamento.
Libação: Derramamento de um líquido (vinho, óleo, leite) como ato de culto a Deus (Êx 29:40-41) ou a outra divindade (Jr 44:17-25), juntamente com outros sacrifícios.
Lisura: Qualidade de liso. Macieza, suavidade. Planura. Franqueza, sinceridade.
Nocivo: Prejudicial.
Predisposição: Ato de predispor ou de se predispor. Disposição ou tendência natural para; aptidão, vocação, inclinação.
Redenção: Libertação.
Reter: Guardar. Conservar.
Temor: Medo. Respeito. Reverência.
Tremor: Termo que expressa uma situação de medo.
Virtude: Hábito de praticar o bem, o que é justo; excelência moral; probidade, retidão. Boa qualidade moral. O conjunto de todas as boas qualidades morais. Austeridade no viver. Força moral; valor, valentia, coragem.

Clique aqui para obter uma melhor vizualização da imagem acima

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  3º Trimestre de 2013 - Filipenses - Lição 5 |  Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.