quinta-feira, 28 de junho de 2012

No Mundo Tereis Aflições

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 3º Trimestre de 2012 - Lição 1 | AD Belém - Setor 20 (Arujá/SP) - Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio

Por mais que as tempestades da
vida venham a nos atingir, temos
um Grande Aliado ao nosso lado:
o Espírito Santo que nos consola,
fazendo-nos lembrar que a nossa
maior recompensa está guardada
para o final da batalha: a nossa
morada na Formosa Jerusalém
Texto Áureo
    Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições[1], mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. (Jo 16:33).

Verdade Prática
    Mesmo sofrendo as consequências da Queda, sabemos que Deus está no controle de todas as coisas.

Leitura Bíblica em Classe
    João 16:20,21,25-33 - Na verdade, na verdade vos digo que vós chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria. 21A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado à luz a criança, já não se lembra da aflição, pelo prazer de haver nascido um
homem no mundo. 25Disse-vos isto por parábolas[2]; chega, porém, a hora em que não vos falarei mais por parábolas, mas abertamente vos falarei acerca do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que eu rogarei por vós ao Pai; 27Pois o mesmo Pai vos ama, visto como vós me amastes, e crestes que saí de Deus. 28Saí do Pai, e vim ao mundo; outra vez deixo o mundo, e vou para o Pai. 29Disseram-lhe os seus discípulos: Eis que agora falas abertamente, e não dizes parábola alguma. 30Agora conhecemos que sabes tudo, e não precisas de que alguém te interrogue. Por isso cremos que saíste de Deus. 31Respondeu-lhes Jesus: Credes agora? 32Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada um para sua parte, e me deixareis só; mas não estou só, porque o Pai está comigo. 33Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.

Inaceitável para um cristão não
é passar pelo sofrimento, mas
sim entregar-se a ele; pois
quando estamos firmes em Cristo,
não há tentações que não
possamos suportar
Introdução
  •          Um crente pode sofrer?
  •          Quem pensa que um crente não pode sofrer, então também deve pensar que é santo demais para viver nesse mundo, porque todos os seres humanos - incluindo os crentes  -, passam por algum tipo de sofrimento.
  •          Todos os homens de Deus - inclusive o próprio Senhor Jesus - passaram por várias aflições enquanto estiveram aqui na terra; então, por que nós não poderíamos passar por adversidades?
  •          Jesus - que é o nosso exemplo maior - nunca deixou de ter problemas, mas sempre enfrentou e venceu todos eles.
  •          Ter problemas não é sinal de falta de fé, pecado ou maldição - como prega a Teologia da Prosperidade -, mas sim mais uma oportunidade de provar sua fidelidade a Deus, não deixando de servi-lo por causa disso.
  •          Vencer os problemas também não significa se livrar deles, mas sim continuar de pé mesmo convivendo com eles.
  •          A graça que está sob a nossa vida se manifesta mais intensamente quando ganhamos força divina para vencer batalhas que estejam muito acima de nossa capacidade.
  •          Muitas vezes nos sentimos abandonados em meio a “escravidão” dos problemas cotidianos; mas, da mesma forma que Ele estava vendo a aflição de seu povo no Egito e enviou Moisés para livrá-lo, Ele também vê o nosso sofrimento e já tem enviado o seu “Moisés” para nos livrar: o seu próprio Filho [At 7:34 - Tenho visto atentamente a aflição do meu povo que está no Egito, e ouvi os seus gemidos, e desci a livrá-los. Agora, pois, vem, e enviar-te-ei ao Egito.
Lc 4:18,19 -  O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados[3] do coração, 19a apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor[4].].

Muitas dores sentidas pelo ser
humano são provocadas por ele
próprio; a natureza apenas
nos responde da mesma forma que
a tratamos. Não temos o direito
de questionar com Deus o por
quê de Ele não nos livrar dos
problemas que nós mesmos
provocamos
I - As aflições do tempo presente
1. De ordem natural
  •         Grandes desastres naturais têm acontecido intensamente em todo o mundo; nessas tragédias, muitos inocentes, até mesmo muitos servos de Deus, tem sofrido e perdido até mesmo a vida. Será que Deus está sendo injusto ou não tem poder para impedir todo esse mal que aflige a terra?
  •          De duas coisas podemos ter absoluta certeza: o Senhor jamais age com injustiça e o seu poder mantém sob total controle cada acontecimento dessa terra, desde o mais simples até os mais complexos.
  •          Mas o que está acontecendo então? Esses problemas são consequências da interferência do homem na natureza, ou seja: as enchentes, os desabamentos e até os abalos sísmicos[5] são resultados do desmatamento, da poluição, da invasão de áreas verdes, do desvio do curso natural dos rios e de várias outras intervenções humanas que provocam a alteração do clima, trazendo doenças e causando reações na própria terra que transformam em vítima o próprio culpado.
  •          De fato, nem todos os que sofrem são responsáveis pela causa do sofrimento; mas, todos fazem parte de uma sociedade e, a partir do momento em que alguém convive num meio deficiente, acaba também sentindo as consequências dessa deficiência.
  •          Nós, crentes, que também somos vítimas disso, não podemos esperar uma vida perfeita aqui na terra, o que devemos fazer é estar preparados para que no momento em que a morte nos alcançar, a nossa morada na Cidade Celestial esteja preparada. Pois o maior livramento que o nosso Pai tem a nos dar não é físico e sim espiritual.
  •          Além do mais, será que somos totalmente inocentes nessa perigosa agressão a natureza? Raciocine comigo sobre o comportamento quase unânime de cada um de nós:
a)      Não temos o hábito de reciclar;
b)      Nem sempre jogamos o lixo no lugar certo e, as vezes, até colocamos fogo nele;
c)       Não regulamos nossos veículos corretamente;
d)      Quando compramos uma propriedade, não nos importamos em saber se aquela área é regularizada ou não.
e)      Incentivamos a matança de animais silvestres, comprando produtos feitos a partir de sua matéria-prima;
f)       Compramos alimentos com agrotóxicos[6] em excesso em vez de procurarmos uma alimentação mais saudável;
g)      Não ensinamos aos nossos filhos a importância da consciência ambiental;
h)      E votamos em pessoas que não estão preocupadas com isso.
  •                     Cuidar da terra é uma obrigação nossa e não de Deus, e quando não fazemos isso corretamente sofremos as consequências [Pr 28:19 - O que lavrar[7] a sua terra virá a fartar-se de pão, mas o que segue a ociosos[8] se fartará[9] de pobreza.].

Perdas financeiras levam as pessoas
espiritualmente despreparadas ao
desespero; o maior problema do
homem é confiar apenas no poder
daquilo que está em suas mãos e
não se colocar debaixo das
poderosas mãos de Deus
2. De ordem econômica
  •          Os problemas que mais atingem a população, de um modo geral, são os de origem financeira; pois tudo nesse mundo depende do dinheiro.
  •          A situação é tão séria que os números são alarmantes:
a)      Aproximadamente 15% da população mundial tem uma renda inferior ao equivalente a R$ 100,00 por mês;
b)      Mais de cem milhões de pessoas não têm nem sequer água potável em suas residências;
c)       Quase um bilhão dos habitantes do planeta sofrem com a fome, e um número muito maior enfrenta problemas decorrentes da má alimentação;
d)      Por volta de 114 milhões de crianças não concluem - e algumas nem iniciam - o ensino fundamental, ou seja: não sabem ler e nem escrever ou aprendem precariamente[10];
e)      Dados oficiais comprovam que, para ter todas as necessidades básicas, o salário mínimo de um trabalhador brasileiro deveria ser superior a R$ 2.300,00; o valor atual é R$ 622,00.
  •          Em decorrência de vários problemas causados pela falta de dinheiro, várias pessoas se submetem a viver em condições subumanas chegando até a morar nas ruas; outros, por falta de paz e conforto espiritual, chegam ao extremo de cometer suicídio; e alguns usam a pobreza como desculpa para cair na criminalidade.
  •          Apesar dos pregadores triunfalistas ensinarem que ser pobre é sinal de falta de fé, maldição ou de pecado, a pobreza também atinge sim os servos do Senhor; a grande maioria das igrejas evangélicas está situada em bairros periféricos e é freqüentada por pessoas de baixíssima renda, as quais estão mais suscetíveis à fé devido ao sofrimento.
  •          Muitas vezes, nos sentimos vítimas da pobreza, só que em muitos casos nós mesmos a causamos por meio de atitudes irresponsáveis como, por exemplo:
a)      Não pedir orientação divina nos negócios;
b)      Decisão errada na escolha da profissão;
c)       Gastar mais do que ganha;
d)      Compras desnecessárias;
e)      Fazer dívidas a longo prazo sem ter garantia de estabilidade no emprego;
f)       Empréstimos com altos juros;
g)      Confiar em pessoas erradas;
h)      Fazer grandes investimentos sem os devidos cálculos;
i)        Ganhos de origem desonesta;
j)        Infidelidade na Casa de Deus.
  •                    Direção espiritual, planejamento e prudência são fatores indispensavelmente essenciais para se obter sucesso material; o cumprimento de regras simples e práticas como essas pode impedir graves problemas econômicos e salvar um patrimônio da falência, um casamento da separação e até uma vida do suicídio, entre vários tipos de perturbações [Lc 14:28-30 - Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? 29Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, 30dizendo: Este homem começou a construir e não pôde acabar.].

Fidelidade a Deus não garante uma
saúde perfeita e nem a realização
de um milagre; e, da mesma forma,
ter uma boa saúde ou receber uma
cura milagrosa não é sinal de
santificação
3. De ordem física
  • ·                 De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), o câncer, a hepatite, a hipertensão arterial, a depressão, a obesidade e o estresse, entre outras doenças, podem ser considerados como as pragas do século XXI:
a)      Câncer: é o nome generalizado de mais de cem doenças que resultam de um crescimento desordenado de células que invadem os tecidos e os órgãos que podem se espalhar por outras regiões do corpo, causando tumores, que são o acúmulo de células[11]. Apesar de poder ser hereditário, geralmente é também causado por hábitos alimentares, vícios, exposição excessiva a produtos tóxicos ou mal cuidado com a pele. Em muitos casos não há cura.
b)      Hepatite: qualquer tipo de inflamação do fígado; pode ser causada inclusive pelo uso do álcool, drogas, alguns remédios e até a falta de higiene. Com exceção da hepatite A e B, não há cura.
c)       Hipertensão arterial: popularmente conhecida como pressão alta, é uma das doenças mais comuns da atualidade. Ela pode ser hereditária, mas também é causada por consumo de álcool, obesidade, falta de exercícios, vícios e estresse. Quando atinge um nível elevado, altera os vasos sanguíneos e a musculatura do coração causando um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e, muitas vezes, leva ao óbito.
d)      Depressão: Existem dois tipos de depressão: a depressão mental e a depressão nervosa. A depressão mental é uma perturbação que atinge e mente e é caracterizada pela ansiedade e pela melancolia. A depressão nervosa é um estado patológico[12] de sofrimento psíquico caracterizada pelo abatimento do sentimento de valor pessoal, por pessimismo e grande desinteresse pela vida. Depressão é um estado de grande tristeza, geralmente causado por falta de amor, atenção e compreensão, provocando na pessoa um forte sentimento de inferioridade e até desespero; ela pode levar ao suicídio.
e)      Obesidade: Excesso de peso. Normalmente é causado por maus hábitos alimentares: comida em excesso. Ela pode provocar várias doenças e levar a pessoa à morte.
f)       Estresse: Tensão e desgaste. É resultado da pressão física e/ou mental sofrida por um indivíduo no seu cotidiano, podendo também ser causado pela ansiedade e pela depressão. Causa inquietação, raiva, nervosismo e até pânico, podendo resultar em grandes distúrbios emocionais que cheguem até mesmo à violência. Seu tratamento é psicológico, e os remédios calmantes só servem para controlar a situação; uma pessoa estressada precisa viver na mais absoluta paz possível, sendo assim privada de várias atividades consideradas normais que possam exercer alguma pressão acima de sua capacidade de resistência.
  •          Grande parte das doenças é causada pela preocupação material, ansiedade sentimental, medo do futuro, trabalhos excessivos em busca de dinheiro ou ociosidade decorrente da preguiça.
  •          Cremos nos milagres de cura, mas o que Deus também espera de nós e que vivamos de uma forma saudável, preservando o corpo que Ele nos deu.
  •          Mas, apesar dos cuidados, obviamente, estamos sujeitos a qualquer tipo de doença; e isso não depende simplesmente de nossa fé ou de nossa fidelidade a Deus, embora isso seja extremamente importante.
  •          Cuidar do corpo é importante, mas não se deve confundir “cuidar do corpo” com “cultuar o corpo”, pois, em primeiro lugar, devemos preservar a nossa saúde espiritual [1ª Tm 4:8 - Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade[13] para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir.].

Satanás - a antiga serpente - que
provocou a grande queda do primeiro
casal, continua, nos dias atuais,
enganando aqueles que acham que "comer
dos frutos proibidos" não tem nada não
II - Porque o crente sofre
1. A Queda
  •          Você sabe o que trouxe o sofrimento para a humanidade? A resposta está no princípio de nossa existência: conforme está escrito em Gênesis 3:1-24, o pecado de Adão e Eva causou sua expulsão do jardim do Éden, fazendo com que todos os seus filhos - e isso inclui nós - nascessem dentro de um mundo de pecado.
  •          Essa situação somente será revertida com a volta de Jesus, ocasião em que a humanidade - os salvos - viverá novamente no paraíso.
  •          Essa queda espiritual se reflete em cada um de nós através de nossas atitudes diárias, pois vivemos num corpo que tem uma tendência natural a ceder às tentações do pecado.
  •          Embora tenhamos uma tendência natural a pecar, devemos resistir a isso; e essa resistência consiste em nos colocarmos por completo diante de Deus para que Ele faça em nós a sua vontade; somente assim usufruiremos realmente da sua graça, livres do domínio do pecado [Rm 6:12-14 - Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; 13nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. 14Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.].

O ser humano está atolado em
seus próprios pecados e nem
assim admite que precisa
regenerar-se para ser limpo
de todas as imundícies que o
afastam do seu Criador
2. A degeneração humana
  •          O pecado do primeiro casal proporcionou a nós não somente a degeneração espiritual, mas também moral e social.
  •          A primeira conseqüência grave dessa desobediência foi um conflito dentro da própria família de Adão: o assassinato de Abel por seu próprio irmão, Caim; e, daí por diante, ocorreu uma série de outras abominações que culminaram com a destruição da terra por meio do dilúvio.
  •          O inimigo de nossas almas tem usado o homem de uma forma que ele tem agido como inimigo de Deus.
  •          Aqueles que se apegam aos bens materiais acreditando que por terem alcançado algum favor divino estão cheios da graça de Deus se enganam completamente; pois para se obter riqueza espiritual é necessário haver regeneração da alma [Ap 3:17 - Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta (e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu),
Tt 3:4-7 - Mas, quando apareceu a benignidade e caridade[14] de Deus, nosso Salvador, para com os homens, 5não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, 6que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador, 7para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.].

Nascer de novo é lançar-se nos
braços do Pai como uma criança
que não teme o perigo porque
sabe que existe alguém para
defendê-la; confiar em Deus e
não em si mesmo: isso é
mudança de vida
3. O novo nascimento e o sofrimento
  •          Só um meio de suportar as conseqüências do fracasso espiritual que atingiu toda a humanidade: viver na contra-mão do mundo entregando sua vida ao Senhor.
  •          Mas é importante não se esquecer de que suportar não significa se livrar dos problemas.
  •          A origem do pecado explica nossa situação decadente, mas não a justifica; não podemos viver como vítimas de Satanás, pois nossa obrigação é pedir forças a Deus para que possamos resistir e vencer as armadilhas malignas, sem usar a fraqueza como desculpa para viver em pecado.
  •          Nascer de novo não é o simples fato de fazer parte de uma instituição chamada igreja; nascer de novo é passar por uma verdadeira transformação no modo de pensar, falar e agir; se não houver uma notável mudança de vida, significa que não houve uma autêntica conversão [1ª Pe 1:16-23 - porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. 17E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação, 18sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, 19mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, 20o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós; 21e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus. 22Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para caridade fraternal, não fingida, amai-vos ardentemente uns aos outros, com um coração puro; 23sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre.]?

A moldagem de um vaso
não é algo tão suave o
quanto parece: ela
exige resistência do
barro, e é aí que
muitos não aguentam e
acabam se quebrando
antes do final do
processo de confecção
III - O crescimento e a paz nas aflições
1. A soberania divina na vida do crente
  •          Deus é soberano, ou seja: tem domínio sobre tudo; ter consciência disso é o que nos conforta e nos dá forças para prevalecer diante das dificuldades.
  •          Muitos crentes se dizem ser “vasos do Senhor”, mas não se dispõem a fazer por completo a sua vontade; e, como bem sabemos, o oleiro molda o barro como quer para ser útil na função que ele deseja colocá-lo; sendo assim, que direito tem a criatura de dizer ao criador como ele deve usá-la?
  •          O poder divino está acima de tudo e de todos; portanto, nada nos acontece sem a sua devida permissão.
  •          Tudo o que é determinado pelo Senhor não pode ser mudado pela vontade do homem. Ele tem poder absoluto sobre toda a sua criação e nada acontece fora de seus propósitos [Is 14:26,27 - Este é o conselho que foi determinado sobre toda esta terra; e esta é a mão que está estendida sobre todas as nações. 27Porque o Senhor dos Exércitos o determinou; quem pois o invalidará? E a sua mão estendida está; quem, pois, a fará voltar atrás?].

Aqueles que confiam em Deus
sempre conseguem enxergar a
saída de longe, por isso nunca
perdem as esperanças
2. Tudo coopera para o bem
  •          Em Romanos 8:28 está escrito o seguinte: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto.”; isso significa que quando entregamos nossa vida ao Senhor, devemos compreender que Ele é quem no nosso controle, e que tudo o que vier a nos acontecer é para o nosso bem; pois, afinal fomos chamados por seu decreto, ou seja: fomos escolhidos de acordo com os seus propósitos.
  •          Em Romanos 12:2, o apóstolo Paulo afirma ainda que a vontade de Deus é boa, agradável e perfeita e que para experimentá-la devemos transformar-nos, renovando nosso entendimento para não nos conformarmos com esse mundo.
  •          Mas, sabe qual é o maior problema de muitos? Aceitar a vontade de Deus e deixá-lo transformar a sua vida!
  •          O segredo do crescimento está no aprendizado, e o melhor aprendizado é a prática, porque, a prática não é suave como a teoria, pois ela nos expõe a sofrimentos reais para que somente sejamos aprovados depois de provados.
  •          Os problemas dessa vida querem te afastar de Cristo através do sofrimento que estão lhe causando? Então glorifique ao Senhor, afastando esses males de ti através de sua fidelidade àquEle que sacrificou a sua própria vida para a salvação da tua alma [Rm 8:35-39 - Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? 36Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia: fomos reputados[15] como ovelhas para o matadouro. 37Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. 38Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados[16], nem as potestades [17], nem o presente, nem o porvir, 39nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor!].

Muitas vezes nos sentimos frágeis
demais diante das dificuldades, mas
quando estamos fortalecidos sob a
graça do poder de Deus, podemos
ser confiantes o suficiante para
ter paz em meio às tribulações
3. Desfrutando a paz do Senhor
  •          Ter paz em meio as aflições, para os que vivem na impiedade, parece utopia[18]; mas, somente aqueles que servem ao Senhor fielmente conseguem entender e viver essa doce realidade.
  •          O viajante no deserto ganha forças para caminhar quando pensa no belo oásis[19] que é a razão de sua viagem; da mesma forma é o servo de Deus: ele ganha forças para prosseguir no espinhoso caminho do Evangelho cada vez que pensa no destino final da sua caminhada: o céu.
  •          E nessa caminhada desértica não existe apenas sofrimento, pois assim como fez com o povo de Israel, Jeová provê nossas necessidades a cada passo que damos.
  •          Os ímpios não entendem nossa paz porque ele é diferente daquela que o mundo lhes oferece, pois nós vivemos por fé e não por vista, e temos a plena confiança de que o nosso prazer e o nosso futuro não consistem apenas nisso que existe aqui [Jo 14:27 - Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.
2ª Co 5:7,8 - (Porque andamos por fé e não por vista.). 8Mas temos confiança e desejamos, antes, deixar este corpo, para habitar com o Senhor.].

Há momentos em que as dificuldades
estão acima de nossas forças; mas,
de repente nos vem o alívio
quando nos lembramos das poderosas
armas que temos em nossas mãos; é
assim que ganhamos forças para
lutar e vencer todas as aflições
desse mundo
Conclusão
  •          Quem disse que no mundo teríamos aflições foi o próprio Senhor Jesus, e Ele disse isso não para nos amedrontar, mas sim para que tivéssemos paz; pois Ele, sendo o nosso maior, absoluto e perfeito exemplo, venceu o mundo.
  •          Algumas pessoas, ingenuamente, complementam esse versículo dizendo: “ ... e vós vencereis também”, porém, isso Ele não disse porque essa é uma situação condicional que nem todos alcançam; e nós sabemos que para vencer o mundo é necessário andar como Ele andou.
  •          Viver o Evangelho é sim ter uma vida repleta de grandes bênçãos; mas é necessário entender qual é o conceito de bênção que devemos ter: ser abençoado não é ser livre das aflições, mas sim ganhar forças para sobreviver a elas, compreendendo ainda que se, porventura, viermos a perder a própria vida em conseqüência dos sofrimentos, isso também está dentro dos propósitos do Senhor, desde que o amemos verdadeiramente e estejamos de pé, vigiando e aguardando a sua vinda.
  •          Passar pelas aflições é inevitável, mas para os que permanecerem féis em meio às turbulências, o livramento também é certo [Sl 34:17-19 - Os justos clamam, e o Senhor os ouve e os livra de todas as suas angústias. 18Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado e salva os contritos[20] de espírito. 19Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas.].

Jonas Martins Olímpio


Aflição de verdade não é sofrer,
mas sim não ter fé para alcançar
a certeza da vitória
[1]Aflição: Grande sofrimento, dor profunda, tormento, opressão, angústia. Pena moral, ânsia, mágoa.
[2]Parábola: Originária do grego parabole, significa narrativa curta ou apólogo, muitas vezes erroneamente definida também como fábula. Sua característica é ser protagonizada por seres humanos e possuir sempre uma razão moral que pode ser tanto implícita como explícita. Ao longo dos tempos vem sendo utilizada para ilustrar lições de ética por vias simbólicas ou indiretas. Narração figurativa na qual, por meio de comparação, o conjunto dos elementos evoca outras realidades, tanto fantasiosas, quanto reais. Eram as histórias geralmente extraídas da vida cotidiana utilizadas por Jesus Cristo para ensinar aos seus discípulos. Segundo Marcos 4:11-12, eram utilizadas por Jesus para que somente seus discípulos as entendessem plenamente. Este gênero já era utilizado por muitos dos antigos profetas.
[3]Quebrantado: Que está sem forças, debilitado, extenuado, abatido, alquebrado.
[4]Ano aceitável do Senhor: Esse termo, aplicado em Lucas 4:19 e em Isaías 61:2, se refere ao tempo em que Deus recebe de boa vontade os pecadores perdidos com base na obra de redenção realizada na cruz do Calvário. Graças à paciência e à misericórdia de Deus, esse ano tem-se estendido até hoje.
[5]Abalo sísmico: Terremoto (tremor da superfície terrestre produzido por forças naturais situadas no interior da crosta terrestre e a profundidades variáveis. Os abalos são causados pelo choque de placas rochosas situadas a profundidades que vão desde 50 até 900 km abaixo do solo. Outros fatores considerados são deslocamentos de gases como o metano e as atividades vulcânicas).
[6]Agrotóxicos: Produtos químicos usados na lavoura, na pecuária e mesmo no ambiente doméstico: inseticidas, fungicidas, acaricidas, nematicidas, herbicidas, bactericidas, vermífugos. Podem ainda ser tóxicos os solventes, tintas, lubrificantes, produtos para limpeza e desinfecção de estábulos, etc. Eles causam muitos problemas tanto para o meio ambiente, quanto para os seres humanos e animais.
[7]Lavrar: Cultivar.
[8]Ocioso: Quem ou o que  está na ociosidade; que não tem que fazer; que não trabalha. Desempregado, vadio. Mandrião, preguiçoso. Em que há ócio; próprio do ócio. Improdutivo.
[9]Fartar: Satisfazer; encher (Sl 107:9). Comer até encher-se (Tg 2:16).
[10]Precário: Que não é estável ou seguro; sujeito a eventualidades. Incerto, duvidoso. Melindroso, arriscado. Vário. Minguado, difícil. Escasso. Frágil, débil.
[11]Célula: Cada uma das unidades microscópicas de protoplasmas que integram o corpo da grande maioria dos seres vivos; formadas por núcleo, citoplasma e membrana (e mais a parede celular, nos vegetais); unidade fundamental da matéria viva.
[12]Patológico: Relativo à patologia (ciência que estuda a origem, os sintomas e a natureza das doenças. História particular de cada doença. Define os termos, fixa-lhes as significações, determina as leis dos fenômenos mórbidos, investiga e classifica as causas, os processos, os sintomas, etc.).
[13]Piedade: Respeito pelas coisas religiosas e espírito de devoção (1ª Tm 4:8). Compaixão (Ez 7:4).
[14]Caridade: Amor (1ª Co 13:1-13). Hoje em dia "caridade" é amor que se manifesta em atos de ajuda a necessitados.
[15]Reputado: Considerado, achado.
[16]Principado: Dignidade de príncipe. Território cujo governo pertence a um príncipe ou a uma princesa.
[17]Potestade: Potência, força, poder. A divindade suprema, segundo a religião. Potentado.
[18]Utopia: O que está fora da realidade, que nunca foi realizado no passado nem poderá vir a sê-lo no futuro. Plano ou sonho irrealizável ou de realização num futuro imprevisível; ideal. Fantasia, quimera.
[19]Oásis: Terreno fértil e coberto de vegetação no meio de um deserto. Lugar ou coisa agradável no meio de outros que não o são. Alívio, consolação, prazer entre muitos desgostos.
[20]Contrito: Que tem contrição. Arrependido, pesaroso, triste.

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 3º Trimestre de 2012 - Lição 1 | AD Belém - Setor 20 (Arujá/SP) - Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não serão publicados comentários com os seguintes conteúdos:
- Palavrões;
- Ofensas;
- Anúncios não autorizados;
- Usuários anônimos.

Seguidores