quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Pontualidade: A Primeira Virtude a Ser Observada em um Professor

Pontualidade é uma questão  de
organização, e organização é uma
questão de responsabilidade.
    A primeira coisa a ser observada em uma pessoa responsável é o compromisso, e quem é comprometido com aquilo que faz costuma ter uma séria preocupação com a pontualidade. Você é um bom professor de Escola Dominical? Então, com certeza, você chega na igreja pelo menos meia hora antes da aula para ter tempo suficiente para orar, preparar o ambiente da tua sala e receber seus alunos um por um, não é mesmo? Esse parece ser apenas mais um detalhe sem grande importância, no entanto, esse é um dos fatores mais observados pelos pastores e superintendentes antes de colocarem ou de decidirem se manterão um professor no corpo docente da congregação; e essa é também uma característica que influi muito em sua credibilidade perante os alunos, pois poucos confiam na seriedade de alguém que não demonstra compromisso em seu trabalho. E uma outra coisa também muito importante a se destacar é o fato de que a palavra pontualidade, em seu contexto geral, não se refere apenas a chegar cedo ou na hora marcada, mas também à honestidade, porque implica em cumprir com seus deveres dentro de um período de tempo estipulado. No que se refere aos professores de Escola Dominical, inclui também saber respeitar o tempo de aula, controlando-se para não causar transtornos.
O homem tem em suas mãos o
maravilhoso poder do controle do
tempo; mas para conseguir
utilizá-lo é preciso ter sabedoria e
força de vontade.
    Aplicando princípios bíblicos podemos desenvolver um melhor trabalho na área do ensino. E as Escrituras nos orientam que o controle do tempo influi diretamente em seu aproveitamento (Ef 5:16); a sua boa utilização ajuda a conquistar quem não participa do trabalho (Cl 4:5); tudo tem o seu tempo devido e, fora dele, não há como ser bem sucedido (Jo 9:4); devemos nos dedicar ao máximo dentro de nossos limites, pois não sabemos até quando teremos a oportunidade de cumprir nossa missão (Ec 9:10); e devemos jamais nos esquecer que tudo tem o seu preço, e negligenciar a Obra do Senhor custa muito caro (Jr 48:10). Essas orientações bíblicas, na prática, resultam num grande êxito aos obreiros que se preocupam com a busca do conhecimento da Palavra, pois um bom professor sabe que, nos difíceis dias atuais em que as pessoas estão tão carentes, um pequeno sinal de respeito, não as deixando esperar e nem as fadigando com longos discursos além do horário, representa a conquista e a preservação de mais alunos; muitos crentes não frequentam Escola Dominical devido à desorganização em relação ao horário de início e término das aulas; quando uma ministração atrasa ou ultrapassa o tempo estipulado, não surte o efeito esperado porque o foco do público passa a ser dividido entre a mensagem e a atitude antiética do palestrante; a dedicação precisa ser total dentro de suas possibilidades, pois um dia você não mais terá condições de trabalhar, e aí não haverá como voltar atrás; temos uma grande responsabilidade em nossas mãos e, mesmo que não consigamos realizar um trabalho perfeito, não temos o direito de usar as dificuldades como desculpa para o fazermos de qualquer maneira, pois o ensinamento é algo muito sério e seremos duramente cobrados se ignorarmos a sua importância.
 
    O controle do tempo é algo muito simples se o professor souber se organizar, vejamos algumas dicas:

  1. Se a aula começa as 09h00m, o professor deve estar na igreja por volta das 08h30m ou antes; então ele deverá acordar mais ou menos as 07h00m para ter tempo de tomar um banho, se arrumar e revisar o material antes de sair de casa.
  2. No caso do superintendente, ele deve estar sempre atento ao relógio, e evitar discursos, falando apenas o essencial, antes da divisão das classes para não prejudicar o tempo de aula.
  3. O professor deve controlar o tempo da ministração cuidando para que o comentário de cada tópico tenha em média por volta de 15 minutos. É claro que se deve considerar que nem todas as lições têm o mesmo tamanho.
  4. Em ocasiões em que a aula é dividida entre dois ou mais professores, a atenção ao relógio deve ser redobrada para não prejudicar o trabalho dos seus colegas.
  5. Não é preciso "ter uma metralhadora na língua", mas o professor também não pode falar muito devagar; pois, além de ser muito entediante, isso também pode impedir que ele consiga dar a conclusão dentro do tempo estipulado.
  6. Um mestre também precisa ter uma certa habilidade na leitura. Pessoas que tenham dificuldade para ler, geralmente não conseguem passar todo o conteúdo ou causam atraso na finalização. E também deve-se evitar pedir para alunos semi-analfabetos lerem tópicos da revista ou versículos bíblicos; pois além de os expor ao constrangimento, estará perdendo um tempo precioso.
  7. Contar muito testemunho pessoal, além de transformar a aula numa autobiografia do professor, também toma o tempo da exposição da lição.
  8. Se algum aluno fizer um comentário muito extenso, é preciso, com muita sabedoria e educação, cortar seu discurso dando-lhe a devida resposta e prosseguindo com a aula.
  9. Alunos que conversam muito entre si também podem causar atrasos; nesse caso, uma solução ética e eficiente consiste em dirigir, diretamente a ele, uma pergunta em relação ao que você está falando - que certamente não conseguirá responder - e, depois de passar por esse pequeno constrangimento, se não for muito cara-de pau, com certeza vai diminuir o blá-blá-blá com os colegas de banco.
  10. No encerramento, o superintendente deve resumir ao máximo seus comentários e a leitura do relatório; pois é importante sempre lembrar que algumas irmãs ainda vão fazer o almoço, e se saírem de lá muito tarde podem não querer voltar mais.

Um professor que realmente gosta
do que faz, zela com carinho,
administrando eticamente seu
trabalho, inclusive em relação ao
controle do tempo.
    Essas são apenas algumas regras básicas dentro de um perfil geral da maioria das igrejas; mas, é claro que em cada lugar, de acordo com cada situação, os procedimentos variam conforme a necessidade e a capacidade de cada professor, considerando-se também as condições de trabalho que lhes são oferecidas. O importante é que cada um se dedique com o máximo de responsabilidade sabendo que um tempo perdido não representa apenas atraso, mas também uma perda com prejuízos que podem ser irreparáveis tanto para a Escola Dominical quanto para os alunos, como também para si próprio. Um bom professor jamais se deixa derrubar pela preguiça em relação ao seu horário de chegada e nem se deixa levar pelo relaxo trabalhando da maneira que lhe parecer mais conveniente; ele zela pelo tempo porque sabe que ensinar não é apenas falar, mas agir dando exemplos práticos de tudo aquilo que se ensina. A Bíblia ensina que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria (Pr 1:7), e um mestre sábio tem total consciência de que temer a Deus consiste em administrar com reverência a Obra que Ele colocou em suas mãos com decência e ordem (1ª Co 14:40). A pontualidade é uma das mais visíveis características de quem leva seu trabalho a sério.


Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.