quinta-feira, 11 de julho de 2013

Esperança em Meio à Adversidade

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  3º Trimestre de 2013 - Filipenses - Lição 2 |  Jonas M. Olímpio

As prisões, tanto humanas como espirituais, 
nunca conseguiram impedir os verdadeiros 
cristãos de cumprirem sua missão
Leitura Bíblica em Classe - Filipenses 1:12-21
Texto Áureo - “Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é ganho (Fp 1:21).

Verdade Prática - Nenhuma adversidade poderá reter a graça e o poder do Evangelho.

ESBOÇO DO COMENTÁRIO RESUMIDO
INTRODUÇÃO
a)      A vida de Paulo é uma grande lição de que as adversidades contribuem em favor do bem daqueles que servem a Deus.


b)      Se estamos na direção de Deus, não existe derrota (Fp 1:12).

I - ADVERSIDADE: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO
1 - Paulo na prisão
a)      A maior ansiedade de Paulo na prisão não era pelo resultado do julgamento, mas sim por anunciar o Evangelho naquele lugar.
b)      Sua prisão foi uma porta aberta para libertar almas (Fp 1:13).

2 - Uma porta se abre através da adversidade
a)      Roma era o “centro do mundo” na época; mesmo sofrendo, ele não perdeu a chance de anunciar o Evangelho.
b)      Quem quer mesmo fazer a vontade de Deus não procura pretextos, mas pede graça para cumprir sua missão (Cl 4:3-5).

II - O TESTEMUNHO DE PAULO NA ADVERSIDADE
1 - O poder do Evangelho
a)      Sendo um verdadeiro cristão, Paulo enxergava espiritualmente e sabia que não há barreiras capazes de deter o poder da Palavra.
b)      O segredo do êxito é pregar a Palavra com poder (1ª Co 2:4,5).

2 - A preocupação dos filipenses com Paulo
a)      Os crentes de Filipos estavam preocupados com o sofrimento de Paulo, mas ele próprio sabia de que forma Deus estava agindo.
b)      Assim como a igreja se preocupava com ele, ele também se preocupava com ela (Fp 2:25-28).

3 - Paulo rejeita a autopiedade
a)      Ele não usou o sofrimento para comover a igreja e aproveitar-se dela, mas a consolou dizendo que isso bom para o Evangelho.
b)      A origem do seu desprendimento material estava em seu sentimento espiritual (Fp 2:4,5).

III - MOTIVAÇÕES PARA A PREGAÇÃO DO EVANGELHO
1 - A motivação positiva
a)      O ânimo de Paulo em pregar, mesmo preso injustamente foi um grande incentivo à igreja para enfrentar as perseguições.
b)      Não devemos idolatrar, mas respeitar e seguir os exemplos dos verdadeiros homens de Deus (1ª Co 11:1; At 10:25,26).

2 - A motivação negativa
a)      Com Paulo preso, os falsos mestres se sentiam livres para agir, mas de qualquer forma, a Palavra estava sendo pregada.
b)      Ser usado por Deus, não significa ser salvo (Mt 7:13-19,21-23).

IV - O DILEMA DE PAULO
1 - Viver para Cristo
a)      Sua alegria era o privilégio de viver para Cristo e morrer por Ele.
b)      Somos criação e propriedade do Senhor Jesus (Fp 1:21; Gl 2:20).

2 - Paulo supera o dilema
a)      Andar em Espírito vivendo no mundo: desafio vencido por ele.
b)      O objetivo da vida do cristão é trabalhar para Cristo (Jo 3:30).

CONCLUSÃO
a)      Sua prova de amor pela Obra era a privação de bens e conforto.
b)      Para o crente, a maior esperança não está na terra (Fp 1:19,20).

MATERIAL ADICIONAL
Nessa viagem de Paulo que começou na Antioquia, Filipos foi
apenas uma das mais importantes cidades - e a primeira do
continente europeu -  em que ele se estabeleceu para anunciar
o Evangelho.
Nem a injusta perseguição do Império Romano contra os cristãos
conseguiu apagar as esperanças dos verdadeiros servos de Deus;
pois muitos, como Paulo, tiveram seu sangue 
derramado nas
arenas e entregaram sua vida, mas não negaram o nome do
Senhor Jesus Cristo.

DICIONÁRIO
Arrefecer: Desanimar.
Contenção: Ato de contender. Causar contenda.
Guarda Pretoriana: Composta por dez mil soldados, 
era um grupo de legionários experientes encarregados
da proteção do pretório (parte central do acampamento
de uma legião romana, onde ficavam instalados os
oficiais). Era a guarda pessoal do imperador.

Implícito: Aquilo que está envolvido mas não expresso
claramente; tácito. Não expresso por 
palavras;
subentendido. O que se dá a entender.

Porfia: Contenda de palavras; discussão.




Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  3º Trimestre de 2013 - Filipenses - Lição 2 |  Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.