sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

A Apostasia do Reino de Israel

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  1º Trimestre de 2013 - Lição 1  |  Jonas M. Olímpio

A troca do verdadeiro Evangelho por fantasias cheias de promessas que apenas satisfazem o ego humano é uma praga que tem se alastrado e contaminado a muitos "cristãos"; o compromisso com a verdadeira fé precisa ser resgatado para desmascarar os lobos devoradores. Muitos deixam a cruz para seguir homens que "distribuem bênçãos", abandonando a posição de servos fazendo-se senhores.

   
         TEXTO ÁUREO
    E sucedeu que (como se fora pouco andar nos pecados de Jeroboão[1],
filho de Nebate[2]) ainda tomou por mulher a Jezabel[3], filha de Etbaal[4], rei dos sidônios[5]; e foi e serviu a Baal[6], e o adorou (1º Rs 16:31).

            VERDADE PRÁTICA
    A apostasia[7] na história do povo de Deus é um perigo real e não uma mera abstração[8]. Por isso, vigiemos.

            PALAVRA-CHAVE
    Apostasia: Abandono ou deserção da fé.

            LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
1º Reis 16:29-34
Comentário
29 - E Acabe[9], filho de Onri[10], começou a reinar sobre Israel no ano trigésimo oitavo de Asa[11], rei de Judá; e reinou Acabe, filho de Onri, sobre Israel, em Samaria, vinte e dois anos.

Sendo o oitavo rei de Israel, Acabe reinou por 22 anos, tendo começado seu reinado durante o período da gestão do rei Asa em Judá. Administrativamente, ele alcançou vários pontos positivos em seu governo, principalmente na área militar, pois ele foi um estrategista de grande capacidade.
                Deus nos dá capacidade e condições, mas a forma como agimos depende de nós. Porém, isso não nos dá o direito de fazer o que queremos, pois um dia teremos de prestar contas de todos os nossos atos.
30 - E fez Acabe, filho de Onri, o que era mau aos olhos do SENHOR, mais do que todos os que foram antes dele.
Embora ele tenha sido politicamente bem sucedido, espiritualmente ele foi um grande fracasso, chegando a ser considerado o maior pecador entre todos os monarcas da história de Israel.
Conquistas materiais não são sinônimo da aprovação de Deus, porque muitos ímpios também prosperam mesmo vivendo mergulhados no lamaçal do pecado.
31 - E sucedeu que (como se fora pouco andar nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate) ainda tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi e serviu a Baal, e o adorou.
Acabe seguiu o péssimo exemplo dos piores reis que já haviam governado Israel e, como se já não bastassem suas atitudes desagradáveis perante Deus, casou-se com Jezabel, uma mulher estrangeira - ato esse condenado pelos mandamentos divinos -, e praticante de idolatria.
O coração e os desejos carnais representam um grande perigo àqueles que não estão firmemente edificados, pois é mais fácil ser influenciado por uma pessoa pecadora do que influenciá-la.
32 - E levantou um altar a Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria.
Cego de “amor”, totalmente dominado pelos encantos de Jezabel, Acabe não somente aceitou sua idolatria, como também a ajudou utilizando recursos financeiros de um reino consagrado a Deus para edificar santuários à Baal.
O que você está fazendo com o que Deus colocou em suas mãos? Será que não está erguendo altares profanos em território sagrado achando que o Senhor recebe adoração misturada?
33 - Também Acabe fez um ídolo; de modo que Acabe fez muito mais para irritar ao SENHOR Deus de Israel, do que todos os reis de Israel que foram antes dele.
Acabe não foi simplesmente um patrocinador, mas também acabou entregando-se ele próprio à idolatria, influenciando, dessa forma, também o povo de Israel. Suas abominações despertaram a ira de Deus, pois ele era um conhecedor da verdade.
A pessoa que se entrega ao pecado, muitas vezes não percebe - ou se recusa a perceber - que está no caminho errado, porque o doce sabor do veneno não lhe permite sentir de imediato o seu efeito noscivo.
34 - Em seus dias Hiel[12], o betelita[13], edificou a Jericó[14]; morrendo Abirão[15], seu primogênito, a fundou, e em Segube[16], seu filho menor, pôs as suas portas; conforme a palavra do SENHOR, que falara pelo ministério de Josué, filho de Num.
Foi durante seu reinado que um homem chamado Hiel reedificou a cidade de Jericó, a qual tinha sido amaldiçoada por Josué, e isso lhe custou a vida de seus dois filhos.
Dar ouvidos às Escrituras Sagradas e aos homens de Deus é um fator essencial àqueles que não querem tomar atitudes erradas. Muitos estão construindo em terra amaldiçoada sem se preocupar com o fato de estarem desafiando as determinações divinas.
   
            INTRODUÇÃO
·         O período do reinado de Acabe - 874 a 853aC. -, no Reino do Norte, foi um dos mais terríveis em toda a história de Israel; pois ele, além de não servir a Deus, influenciou a nação inteira à prática da idolatria;
·         O seu maior erro foi querer misturar as coisas santas com as profanas, sendo essa uma das maiores abominações diante do Senhor;
·         Esse impensado ato de rebeldia teve motivos pessoais e políticos, os quais foram provocados pelo engano do seu coração que se deixou levar pela influência de Jezabel, uma mulher que não fazia parte do povo de Deus;
·         Essa mistura religiosa que começou por uma união matrimonial ilícita teve consequências altamente prejudiciais, pois a adoração a Jeová foi substituída pela adoração a Baal, e todas as imundícies praticadas pelos cananeus[17] foram introduzidas entre os israelitas passando a fazer parte de sua rotina.
·         Os sentimentos humanos, se não estiverem sob a direção de Deus, representam uma grande armadilha que pode resultar em grande sofrimento àqueles que se deixa levar por eles.

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?”
(Jr 17:9)
_____________________________

            I - AS CAUSAS DA APOSTASIA
1. Casamento misto
·         Jezabel era filha de Etbaal, o rei dos sidônios, e sua sedução a Acabe não foi por amor, mas sim por interesses próprios, pois a união dos dois reinos proporcionaria mais poder e riquezas a seu pai e a ela.
·         Porém, as consequências do casamento de um líder do povo de Deus com uma mulher idólatra teve também sérias consequências na área espiritual não somente para ele, mas para todo o povo.
·         As Sagradas Escrituras, conforme vemos em Deuteronômio 7:3,4, nos mostram que desde a saída do Egito, o Senhor já alertara o povo de Israel a não se aparentar com os povos das terras por onde eles passariam, pois a influência pagã[18] os faria se desviarem e isso provocaria a ira divina e a sua destruição; e, em 2ª Coríntios 6:14,15, a associação com infiéis é considerada como uma prisão a um jugo desigual.
·         Privar-se das tentações mundanas procurando conviver sem se deixar influenciar pelos incrédulos pode parecer um grande sacrifício; porém, somente dessa forma é possível agradar a Deus e ter uma vida bem-aventurada.

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. "
 (Sl 1:1)
---------------------------------------------

2. Institucionalização da idolatria
·         Logo após esse casamento, de acordo com o que está escrito em 1º Reis 16:32, Acabe construiu uma casa de Baal em Samaria com um altar para adorá-lo.
·         Em 1º Reis 16:33, vemos ainda que ele fez um poste-ídolo[19] - um bosque[20] - e ainda muito mais do que isso, conseguindo, com suas atitudes, irritar o Senhor Deus de Israel mais do que todos os outros reis anteriores que também já haviam, de alguma forma, desagradado a Deus.
·         A adoração a Deus estava sendo suplantada pela adoração a Baal em todo o território israelita; e esse deus pagão obteve sucesso facilmente porque não foi apresentado ao povo por uma minoria entre os pobres, mas sim pela elite dominante: o próprio rei de Israel.
·         A falta de responsabilidade da liderança pode ser fatal para os liderados; por essa razão, o dever de cada crente, independentemente de cargo ou função, é buscar discernimento espiritual para não ser vítima de um guia cego.

Pode porventura o cego guiar o cego? Não cairão ambos na cova?”
(Lc 6:39b)
_____________________________

            II - OS AGENTES DA APOSTASIA
1. Acabe
·         Acabe era filho de Onri, um monarca que reinou em Israel de 885 a 874aC; de acordo com o que está escrito em 1º Reis 16:25,26, embora tenha sido um excelente líder político, foi um péssimo líder espiritual, pois suas vaidades irritaram ao Senhor: era um homem que em tudo o que fazia buscava honra para si, sempre querendo satisfazer seus caprichos.
·         Através dos relatos bíblicos, podemos observar que Acabe tinha uma personalidade fraca: se deixou influenciar por seu pai e depois por sua mulher; essa falta de capacidade de, por algumas vezes, tomar decisões por si próprio e de se deixar guiar por Deus e não pelo homem, trouxe graves consequências tanto para ele como para o povo.
·         A missão dos reis de Israel era guiar o povo sob a direção de Deus, porém, muitos deles, assim como Acabe, puseram seus próprios interesses acima do objetivo que deveriam cumprir, e o resultado disso sempre foi sofrimento e destruição para os israelitas devido ao seu envolvimento com idolatria, casamentos ilícitos, associações injustas e influências culturais inadequadas àqueles que professam servir a Deus.
·         A falta de temor a Deus leva o homem à ruína; um líder que não age sob a vontade divina busca o caminho da opressão aos mais fracos para atingir seus objetivos; mas, agindo dessa forma, ele está abreviando o seu próprio fim.

Bem-aventurado o homem que continuamente teme; mas o que endurece o seu coração cairá no mal. 15Como leão rugidor, e urso faminto, assim é o ímpio que domina sobre um povo pobre. 16O príncipe falto de entendimento é também um grande opressor, mas o que odeia a avareza prolongará seus dias.”
(Pr 28:14-16)
---------------------------------------------

2. Jezabel
·         Jezabel não perdeu tempo e aproveitou a oportunidade para usar sua autoridade de rainha e introduzir em Israel seus ídolos e seus “profetas”.
·         Ela soube usar seus encantos femininos com seus argumentos malignos para enganar Acabe, fazendo-o aceitar sua vontade, apoiando-a na propagação da adoração a Baal no território sagrado.
·         Ela não somente trouxe a idolatria à Israel, como também perseguiu a Elias, o único servo de Deus que teve a coragem de confrontá-la publicamente, desafiando os seus falsos profetas.
·         Uma mulher que não serve a Deus, também não serve para um homem de Deus, pois ela sempre é usada por Satanás para, com os encantos de sua aparência sedutora, desviar o crente e conduzi-lo ao inferno.

Os lábios da mulher estranha destilam favos de mel, e o seu paladar é mais suave do que o azeite. 4Mas o seu fim é amargoso como o absinto[21], agudo como a espada de dois gumes.”
(Pr 5:3,4)
_____________________________

            III - AS CONSEQUÊNCIAS DA APOSTASIA
1. A perda da identidade nacional e espiritual
·         Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o, e se Baal, segui-o.” Essa pergunta do profeta Elias[22] ao povo de Israel mostra que eles não deixaram de crer em Deus, mas passaram a acreditar também em Baal, e achavam que poderiam servir aos dois como senhores.
·         A cegueira espiritual de Acabe havia contaminado os israelitas de tal forma que eles estavam confusos; naquela época, o rei era mais do que um simples líder político: ele era também uma espécie de orientador espiritual, pois as pessoas não tinham pleno conhecimento das Escrituras e confiavam na sabedoria e na fidelidade do rei para guiar a sua fé.
·         Conforme o relato de 1º Reis 19:18, Deus havia separado para si sete mil adoradores que não haviam se contaminado com a idolatria a Baal; em meio uma maioria profana, o Senhor sempre preserva os seus verdadeiros fiéis que não se deixam levar pelos pecados desse mundo.
·         Uma das coisas que mais aborrecem a Deus é a mornidão espiritual, pois Ele não quer ter sua glória dividida com ninguém, seja com falsos deuses, ídolos humanos, dinheiro, bens matérias ou qualquer coisa sobre a face da terra ou no universo; a perda da identidade tanto moral quanto espiritual também representam desvio do caminho do Senhor.

Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! 16Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. 17Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;”
(Ap 3:15-17)
---------------------------------------------

2. O julgamento divino
·         O castigo por essa apostasia aparece claramente descrito e 1º Reis 17:1: uma grande seca de três anos viria sobre a terra; para um povo que dependia prioritariamente da agricultura, a falta de chuvas significava uma grande tragédia, e isso sem contar os demais prejuízos e transtornos que a falta d’água provoca.
·         Jeová poderia simplesmente ter ignorado o pecado de Israel ou tê-lo destruído de vez e tomado um outro povo para si, mas Ele o castigou dessa forma para dar-lhe uma oportunidade de arrependimento e salvação;
·         O sofrimento do povo em decorrência dos pecados de seu rei aconteceu por outras vezes em Israel; um bom exemplo disso foi o castigo dado a Jeorão, genro de Acabe, algum tempo depois, o qual atingiu a toda a nação israelita conforme a história é narrada em 2º Crônicas 21:12-15.
·         A apostasia dos últimos tempos não consiste em tirar o crente da Casa de Deus, mas sim em introduzir a enganação no meio dela, para que as ações do inimigo pareçam ser divinamente espirituais.

Surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.”
(Mt 24:24)
_____________________________

            IV - APOSTASIA
1. Um perigo real
·         De acordo com os léxicos[23], apostatar significa abandonar a fé ou  mudar de religião; no caso dos israelitas, eles estavam rejeitando a fé como ela fora originalmente ensinada e introduzindo mais uma religião àquela que lhes tinha sido dada pelo próprio Deus.
·         Os costumes e as crenças dos cananeus haviam conquistado o povo de Deus, e agora eles não mais se contentavam em adorar apenas o Senhor, pois acreditavam que aquele ídolo desconhecido também tivesse poderes e que poderia ajudá-los, já que apenas a fé no Senhor Jeová parecia não estar sendo suficiente para que tivessem uma vida satisfatória.
·         Em Hebreus 6:1-6, o autor da epístola alerta os cristãos judeus e também gentios sobre o perigo do comodismo daqueles que ainda viviam como meninos na fé - ainda nos rudimentos da doutrina de Cristo - correndo assim o risco das influências de falsas doutrinas, e orienta-os a prosseguirem até à perfeição; pois uma vez tendo experimentado as maravilhas espirituais, caso caíssem novamente no pecado, seria impossível retornarem ao arrependimento, pois estariam crucificando a Cristo novamente, expondo-o ao vitupério[24].
·         Conhecer e se desviar da presença de Deus é muito pior do que nunca tê-lO conhecido, pois isso significa traição contra Ele: um verdadeiro adultério espiritual; contra esses, a cobrança é muito maior, pois, de forma alguma poderão ser considerados como inocentes.

Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro. 21Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado;”
(2ª Pe 2:20,21)
---------------------------------------------

2. Um mal evitável
·         O rei Acabe não agiu como deveria agir um autêntico líder a serviço do povo de Deus: pois não deu importância aos princípios ensinados nos mandamentos divinos, e preferiu dar ouvidos àquilo que lhe pareceu ser mais agradável e mais conveniente no momento.
·         A narrativa de 1º Reis 21:25 ainda nos deixa claro que ninguém se vendeu tanto quanto ele fazendo o que era mau aos olhos do Senhor; e tudo isso simplesmente para agradar a uma mulher idólatra e oportunista.
·         Em 1º Reis 21:27-29, vemos que, através da Palavra do Senhor entregue por meio do profeta Elias, Acabe se arrependeu; porém, esse arrependimento tardio não impediu que seus descendentes viessem a sofrer as consequências dos seus pecados.
·         Nosso destino está em nossas próprias mãos e ele depende simplesmente da direção que tomamos em nossa caminhada, e de quem aceitamos como ministros, líderes e pastores em nossa vida espiritual, pois maus condutores conduzem à perdição.

Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; 14E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. 15Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.”
(Mt 7:13-15)
_____________________________

            CONCLUSÃO
·         O povo de Israel recebeu uma grande promessa antes mesmo de sua existência; no entanto, a má administração de Acabe quase colocou tudo a perder. As promessas do Senhor somente se cumprem quando permanecemos fiéis e firmes na sua presença.
·         Um casamento constituído fora da direção divina trouxe sérios problemas e sofrimento não só a ele, como a todo o povo que estava sob o seu comando; devemos sempre repensar nossas atitudes e constantemente pedir orientação do alto para que não venhamos, juntamente com aqueles que conosco estão, a sofrer por decisões e associações abomináveis diante dos olhos do Senhor.
·         A mistura de práticas profanas com aquilo que é sagrado provoca a ira do Senhor, e o resultado disso é trágico, pois Ele jamais tem o culpado como inocente e a sua justiça é inevitável.
·         A apostasia é de origem maligna e se manifesta através de falsos profetas e mestres mal intencionados ou enganados por sua própria falsa de capacidade de interpretação das Escrituras Sagradas; as características mais comuns desses maus obreiros é pregar um Evangelho fácil e sem o arrependimento que leva à transformação e a defesa do ecumenismo.
Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; 2Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada[25] a sua própria consciência;”
(1ª Tm 4:1,2)

Jonas M. Olímpio



Os postes-ídolos eram 
feitos de madeira, e por 
serem uma homenagem aos 
deuses da fertilidade, sua 
forma lembrava muito um 
pênis; foi daí que partiu o 
costume de se construir 
obeliscos nas grandes 
cidades: uma verdadeira 
celebração ao sexo e a 
prostituição
[1]Jeroboão: (Significa "ampliador"). Foi o primeiro rei de Israel após a divisão do reino. Reinou 22 anos (931-910 aC) sobre as dez tribos que constituíram o reino de Israel. Em Dã e em Betel mandou construir altares para a adoração do bezerro de ouro (1º Rs 11:28-14:20). Jeroboão II: foi o décimo terceiro rei de Israel, que reinou 41 anos (783-743 aC) depois de Jeoás, seu pai. No seu tempo houve muito progresso, mas o povo continuou na corrupção e na idolatria. Na guerra Jeroboão II foi feliz (2º Rs 14:23-29).
[2]Nebate: Pai de Jeroboão I (1º Rs 11:26).
[3]Jezabel: Filha do rei dos Sidónios, Etbaal; seu casamento com Acabe foi o resultado de uma aliança que tinha como objetivo fortalecer as relações entre Israel e a Fenícia. A sua história é conhecida através do Primeiro Livro de Reis do Antigo Testamento. Continuou a adorar os deuses fenícios, mas não se limitou a isso, pois combateu o Deus de Israel. Recorreu ao dinheiro do tesouro público para sustentar os 450 profetas (ou sacerdotes) do deus Baal e os 400 profetas da deusa Achera (deusa fenícia da fertilidade). Elias derrotou todos os profetas de Baal, que morreram. Quando Jezabel soube disto ficou furiosa, pretendendo mandar matar Elias, que teve fugir para Judá.Um comandante chamado Jeú liderou uma revolta contra a família real, na qual matou o filho de Jezabel, Jorão. Quando Jezabel soube da revolta pintou os olhos e adornou a cabeça, desafiando Jeú da janela do palácio. Este ordenou aos eunucos da rainha que a atirassem da janela (defenestração): Jezabel morreu, tendo o seu sangue atingido as paredes e os cavalos. Uns cães que por ali passavam devoraram o corpo da rainha. Por causa desta rainha o nome "Jezabel" encontra-se associado como exemplo ou figura de prostituição e idolatria, assim como é citada em Apocalipse 2:20.
[4]Etbaal: Com Baal. Rei de Sidom, e pai de Jezabel, a mulher de Acabe (1 Rs 16:31). Ele foi esse sacerdote de Astarte, tendo o nome de itobal, que, depois de ter assassinado Feles, rei de Tiro, apoderou-se do trono, reinando pelo espaço de trinta e dois anos.
[5]Sidônio: Natural ou habitante de Sidon, uma cidade da Fenícia.
[6]Baal: (Significa "dono, Senhor, marido). O principal "deus" da fertilidade em Canaã. O culto a Baal foi uma das piores tentações dos israelitas, desde os tempos antigos (Jz 2:13; 1º Rs 16:31-32). Havia várias formas de Baal, que eram encontradas em diversas cidades, como se pode ver nos três verbetes seguintes. "Baalins" é o plural de "Baal" (Jz 2:11). Sua companheira era Aserá.
[7]Apostasia: Abandono público de uma religião, de uma doutrina, opinião ou da própria fé.
[8]Abstração: Relativo a abstrato (algo irreal, imaginário; ou algo real que não possui corpo físico: que não se pode ver ou tocar).
[9]Acabe: Acabe ou Acab, filho de Onri, foi o sétimo Rei de Israel Setentrional. Casou-se com Jezabel, filha do Rei de Sídon Etbaal, príncipe Fenício. Durante seu reinado, prosperou o culto de Baal sob o patrocínio de Jezabel. Procurou estabelecer alianças com Ben-Hadade II, Rei da Síria de Damasco, e com Josafá, Rei de Judá. Foi gravemente ferido na Batalha de Ramote Gileade contra Ben-Hadade II. Morreu durante o combate, depois de ter reinado durante 22 anos. Seu filho Acazias, sucede-lhe no trono como rei. Sua história é contada na Bíblia em livros I e II dos Reis.
[10]Onri: General que se tornou o sexto rei de Israel. Reinou mal durante 12 anos (885-874 aC.), em lugar de Zinri (1º Rs 16:15-28). Foi pai do rei Acabe.
[11]Asa: Significa “médico”. Terceiro rei de Judá, que reinou 41 anos (911-870 aC.), depois de Abias, seu pai. Asa promoveu uma reforma religiosa (1º Rs 15:9-24; 2º Cr caps. 14-16).
[12]Hiel: Significa "Deus vive". Foi um homem natural de Betel, que reedificou Jericó, apesar da maldição proferida contra aquele que tentasse de novo construí-la, depois de ter sido destruída por Josué (Js 6:26). Hiel, no tempo de Acabe sofreu os efeitos da maldição, pondo os fundamentos da cidade à custa da vida de Abirão o seu filho mais velho e colocando as portas à custa da vida do seu filho mais novo, Segube (1º Rs 16:34). É possível que tenham sido sacrificados em obediência a um costume, de que se encontram vestígios em muitas terras.
[13]Betelita: Pessoa natural ou habitante da cidade de Betel.
[14]Jericó: Cidade situada a 9 quilômetros a oeste do rio Jordão e a 11 quilômetros ao norte do mar Morto. Fica a 240 metros abaixo do nível do mar. É provavelmente a cidade mais antiga do mundo. Josué a destruiu (Js cap. 6) e Hiel a reedificou (1º Rs 16:34). Em Jericó Jesus curou Bartimeu (Mc 10:46-52) e outros dois cegos (Mt 20:29-34), e ali se deu a conversão de Zaqueu (Lc 19:1-10).
[15]Abirão: A bíblia relata dois homens com esse nome: 1º - Era levita. Foi um dos quatro líderes que se revoltaram contra Moisés, junto com Coré e Dathan; os três foram engolidos pela terra com mais 250 pessoas (Nm 16:1,2). 2º - Filho mais velho de Hiel. Josué havia amaldiçoado Jericó dizendo que quem a reconstruísse perderia o seu filho primogênito e o caçula (Js 6:25,26). Hiel desprezou esse juramento e, no reinado de Acabe, cinco séculos depois, a reconstruiu e seu filho Abirão veio a perder a vida, assim como também Segube, o seu filho mais novo (1º Rs 16:34).
[16]Segube: Filho mais novo de Hiel. Josué havia amaldiçoado Jericó dizendo que quem a reconstruísse perderia o seu filho primogênito e o mais caçula (Js 6:25,26). Hiel desprezou esse juramento e, no reinado de Acabe, cinco séculos depois, a reconstruiu e seu filho Segube veio a perder a vida, assim como também Abirão, o seu filho mais velho (1º Rs 16:34).
[17]Cananeu: Descendente ou morador de Canaã (nome antigo da Palestina).
[18]Pagão: Relativo ao paganismo ou politeísmo. Adepto do paganismo. Diz-se de toda religião ou pessoa que não seja cristã nem judaica. Maometano, em relação aos cristãos, e herético, em relação aos católicos. Animal xucro, ainda não montado, ou nos primeiros galopes da doma. O que segue uma religião nativa, não cristã nem judaica, caracterizada pelo politeísmo e pela superstição. Pessoa não batizada.
[19]Poste-ídolo: Bosque: esse era o nome dado a uma imagem feita em homenagem a Aserá, considerada pelos cananeus como sendo a “deusa mãe”. Geralmente, essa imagem ficava exposta junto à de Baal, “o deus da promiscuidade”. Aserá era conhecida como a deusa da árvore; sua imagem era adorada em postes-ídolos dentro de bosques considerados como sagrados pelos semitas.
[20]Bosque: Poste-ídolo: esse era o nome dado a uma imagem feita em homenagem a Aserá, considerada pelos cananeus como sendo a “deusa mãe”. Geralmente, essa imagem ficava exposta junto à de Baal, “o deus da promiscuidade”. Aserá era conhecida como a deusa da árvore; sua imagem era adorada em postes-ídolos dentro de bosques considerados como sagrados pelos semitas.
[21]Absinto: Planta de gosto amargo e ruim. Simboliza aquilo que é desagradável, como o remorso (Pr 5:4) e o sofrimento (Jr 9:15).
[22]Elias: Significa Javé É Deus. Foi um profeta tesbita (de Tisbé, em Gileade) que enfrentou em várias ocasiões o rei Acabe e Jezabel, sua mulher (1º Rs caps. 17-21). Foi levado ao céu num redemoinho (2º Rs 2:1-15). Apareceu com Moisés na transfiguração (Mt 17:3,4).
[23]Léxico: Dicionário de línguas clássicas antigas.
[24]Vitupério: Ato de condenar ou repreender. Desprezo, ignomínia. Insulto, injúria, agravo, ofensa, ultraje. Ato vergonhoso, infame. Acusação infame. Grande humilhação.
[25]Cauterizado: Morto ou destruído por ação de ferro em brasa (1º Tm 4:2).


Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  1º Trimestre de 2013 - Lição 1  |  Jonas M. Olímpio

2 comentários:

  1. A Paz do SENHOR Jonas, que o SENHOR continue a usá-lo em 2013. O seu blog tem me ajudado muito. Que o SENHOR acrescente cada vez mais Sabedoria em sua vida, te enriquecendo em tudo. Fique na Paz do SENHOR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, meu irmão!
      Ore por mim; Deus sabe o peso de cada trabalho que coloca em nossas mãos.
      Fica na paz!

      Excluir

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.