sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Elias, o Tisbita

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  1º Trimestre de 2013 - Lição 2  |  Jonas M. Olímpio

    O profeta Elias foi um homem de caráter humilde, cujo objetivo era simplesmente fazer a vontade de Deus; a Bíblia não revela sua descendência e nem sua origem. Sua fé e sua obediência ao Todo-Poderoso foram os fatores que o levaram a ser tão bem sucedido tendo um ministério de fortíssimas experiências sobrenaturais. Sua importância não se restringiu ao seu tempo, mas estendeu-se por todo o período bíblico chegando até os dias atuais, pois suas histórias são um grande exemplo de conduta àqueles que querem ter um ministério realmente abençoado.

TEXTO ÁUREO
    E ele lhes disse: Qual era a aparência do homem que veio ao vosso encontro e vos falou estas palavras? 8E eles lhe disseram: Era um homem peludo, e com os
lombos cingidos de um cinto de couro. Então disse ele: É Elias, o tisbita[1]. (2º Rs 1:7,8).

VERDADE PRÁTICA
    A vida de Elias é uma história de fé e coragem. Ela revela como Deus soberanamente escolhe pessoas simples para torná-las gigantes espirituais.

PALAVRA-CHAVE
    Vocação: Escolha, chamamento, disposição.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
1º Reis 17:1-7
Comentário
1 - Então Elias[2], o tisbita, dos moradores de Gileade[3], disse a Acabe[4]: Vive o SENHOR Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra.
A idolatria promovida por Acabe através de sua tolerância à sua esposa Jezabel[5] havia provocado a ira divina de tal forma que uma grande seca estava por vir sobre a terra de Israel.
O pecado é algo tão maligno que atinge não somente o pecador, mas que contamina muitos dos que estão próximos a ele e suas consequências atingem a todos.
2 - Depois veio a ele a palavra do SENHOR, dizendo:
O ministério de Elias não tinha como objetivo de satisfazer a si próprio ou aos poderosos e o seu povo; seu propósito era cumprir a vontade de Deus, deixando que Ele falasse e agisse através de sua vida.
As provisões divinas e a honra que procede de nossos trabalhos dependem da fidelidade e da dedicação com que nos empenhamos na Obra do Senhor.
3 - Retira-te daqui, e vai para o oriente, e esconde-te junto ao ribeiro de Querite[6], que está diante do Jordão[7].
Ouve um momento em que Elias precisou se esconder, porém até isso ele teve que fazer segundo a ordem de Deus.
O fato de Deus nos livrar em momentos de dificuldades não significa que estejamos sempre livres de qualquer ataque do inimigo, pois há momentos em que Ele próprio nos orienta a agirmos com prudência.
4 - E há de ser que beberás do ribeiro; e eu tenho ordenado aos corvos[8] que ali te sustentem.
Elias tinha uma grande motivação para cumprir sua missão: a promessa de Deus em sua vida.
O combustível que impulsiona a caminhada de em verdadeiro servo é a promessa de Deus; aqueles que realmente o ouvem e estão dispostos a obedecê-lo, por mais dificuldades que enfrentem, não olham para trás e nem pensam em desistir.
5 - Foi, pois, e fez conforme a palavra do SENHOR; porque foi, e habitou junto ao ribeiro de Querite, que está diante do Jordão.
O profeta obedeceu prontamente à voz divina, pois ele creu em suas promessas de sustento.
O segredo da bênção está na obediência; muitas vezes perecemos por não sabermos ou por não queremos ouvir a voz do Senhor.
6 - E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite; e bebia do ribeiro.
Devido à sua obediência, Elias viu o cumprimento da promessa divina ocorrer de forma milagrosa.
Vale a pena seguir as orientações que o Senhor nos dá através do seu Santo Espírito, pois aqueles que nEle confiam jamais são desamparados.
7 - E sucedeu que, passados dias, o ribeiro se secou, porque não tinha havido chuva na terra.
Porém, com o passar do tempo, ele aprendeu mais uma importante lição: tudo tem o seu tempo, e o fato de uma bênção ter sido dada por Deus não significa que ela dure para sempre.
O mal de muitos crentes é o fato de eles pensarem que tudo o que Deus dá não terá fim. As experiências dos mais fiéis servos mostram o contrário: muitas vezes Ele permite situações de escassez para que entendamos que a missão e o tempo determinados já estão cumpridos, ou também para que percebamos que devemos buscar a sua presença com mais intensidade.
   
INTRODUÇÃO
·         O profeta Elias é, sem dúvida alguma, um dos mais conhecidos entre os homens grandemente usados por Deus nos tempos bíblicos.
·         Não há registro sobre sua identidade e nem relatos ou sua origem, a Bíblia somente relata, em 1º Reis 17:1, que ele era tisbita, dos moradores de Gileade.
·         Entretanto, seu anonimato nunca o impediu de alcançar tanta graça divina e lugar de honra entre os profetas e, posteriormente, entre os cristãos.
·         Foi através dele que Deus realizou alguns dos mais marcantes milagres de toda a história como, por exemplo:
a)      Foi alimentado por corvos (1º Rs 17:5,6);
b)      Multiplicou a farinha e o azeite da viúva (1º Rs 17:12-16);
c)       Ressuscitou o filho da viúva (1º Rs 17:17-24);
d)      Venceu o desafio aos profetas de Baal[9] (1º 18:16-46);
e)      Consumiu os soldados de Acazias[10] com fogo (2º Rs 1:9-14);
f)       Dividiu o rio Jordão passando pelo meio dele (2º Rs 2:6-8);
g)      Foi transportado para o céu num carro de fogo (2º Rs 2:11,12).
·         Elias foi um grande exemplo para os israelitas da época e um modelo a ser seguido pelos crentes de hoje.
·         Os maravilhosos resultados de todo o trabalho e sofrimento enfrentado por muitos grandiosos e valorosos homens de Deus devem servir-nos de exemplo e incentivo para que prossigamos em nossa jornada sem olharmos para trás.
Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.”
(Hb 13:7)

_____________________________________________

I - A identidade de Elias
1. Sua terra e sua gente
·         Enquanto muitos pregadores atuais gastam vários minutos de seus sermões apenas para apresentarem o seu “currículo”, a história de Elias começa a ser narrada no início do décimo sétimo capítulo do primeiro Livro de Reis, com uma simples e modesta apresentação: “Então, Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe...”.
·         Na primeira narrativa bíblica a seu respeito, ele já aparece entregando uma dura palavra de castigo a um poderoso e rebelde rei, do qual ele teve que se esconder em seguida orientado pelo próprio Deus.
·         Tisbe[11] era um lugar pequeno e também não muito conhecido - pois não aparece em nenhuma outra referência bíblica -; porém, sendo um servo fiel a Deus, Elias passou a ser conhecido não somente ali, mas em todo o território israelita e depois em todo o mundo;
·         Quando somos fiéis, não são os que estão próximos a nós que nos exaltam, mas eles próprios são exaltados através de nós.
·         Elias, assim como muitos outros grandiosos homens de Deus, são lembrados como exemplos a serem seguidos tanto em sua conduta quanto em sua fé; e você, como será lembrado quando sair da sua terra e do meio da sua gente?
·         O servo do Senhor - até mesmo aqueles que não são totalmente fiéis - carregam uma marca consigo a qual os permitem serem reconhecidos de alguma forma em qualquer lugar que eles estejam.
E ele negou outra vez, com juramento: Não conheço tal homem. 73E, logo depois, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Verdadeiramente, também tu és deles, pois a tua fala te denuncia."
 (Mt 26:72,73)

------------------------------

2. Sua fé e seu Deus
·         Elias significa “Javé[12] é o meu Deus”, ou “Javé é Deus”; e, de fato, esse nome tudo tem a ver com a sua personalidade.
·         Sua fé estava acima de tudo, e ele não temia e nem se envergonhava em professá-la publicamente entre o povo israelita e os gentios.
·         Um exemplo disso é a sua oração quando desafiou os profetas de Baal, descrita em 1º Reis 18:36, aonde ele diz a Jeová abertamente que se manifeste porque Ele é Deus em Israel, e ele - Elias - é seu servo.
·         A fé pode ser considerada como uma proteção contra os ataques do maligno, pois com ela nos defendemos e contratamos as potestades malignas continuando firmemente de pé nessa tremenda batalha espiritual.
tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.”
(Ef 6:16)

_____________________________________________

II - O ministério profético de Elias
1. Sua vocação e chamada
·         Elias jamais se autodenominou profeta, porque assim como os demais verdadeiros profetas do Senhor, a sua chamada foi divina e não humana; por isso que as suas palavras se cumpriram e ele nunca foi envergonhado.
·         Ele colocava Deus a sua frente em suas profecias; como vemos em 1º Reis 17:1, ele disse: “Vive o Senhor, Deus de Israel, perante cuja face estou...”, e não o vemos - nem a ele e nem aos demais profetas - usando termos que exaltam mais o ego do profeta do que o nome de Jeová.
·         Vemos ainda um grande exemplo de humildade em 1º Reis 18:36, em que ele diz: “Senhor, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, seja manifestado hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme a tua palavra tenho feito todas estas coisas.”.
·         De fato, todos nós temos um chamado - principalmente para a salvação -, mas, alguns de nós somos chamados para alguma missão em especial. Por isso devemos respeitar os dons e a capacidade de cada um de nossos irmãos.
·         Todo chamado de Deus tem um propósito, e as vocações - ou dons - que Ele nos dá tem um objetivo; até mesmo as nossas dificuldades estão em seus planos quando o amamos realmente obedecendo a sua vontade.
E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto."
 (Rm 8:28)

------------------------------

2. A natureza do seu ministério
·         A prova da natureza divina do ministério de Elias é a autoridade espiritual e o cumprimento de suas palavras em suas ministrações.
·         Ele foi um homem através de quem as coisas aconteciam; ele foi um autêntico instrumento nas mãos de Deus aqui na terra para realizar seus propósitos.
·         Elias falava inspirado divinamente, um grande exemplo disso foi a forma como ele previu a morte de Jezabel em 2º Reis 9:10, ela de fato aconteceu em 2º Reis 9:35-37.
·         Ele simplesmente transmitia aquilo que o Senhor estava falando através dele, e não ficava “determinando” seus próprios desejos como fazem muitos “profetas” ministradores de bênçãos hoje em dia.
sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia[13] da Escritura é de particular interpretação; 21porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.”
(2ª Pe 1:20,21)

_____________________________________________

III - Elias e a monarquia
1. Buscando a justiça
·         Muitos dos profetas acabaram se infiltrando, de certa forma, entre a elite dominante, pois foram usados para falar com reis e outros governantes diversos, fosse para corrigir ou para orientá-los segundo a vontade divina.
·         Com Elias não foi diferente, ele esteve diante de Acabe para lhe falar do castigo de Deus sobre toda a nação devido aos seus pecados de prática e de tolerância à idolatria de sua esposa Jezabel.
·         Elias tinha uma missão que ia muito além da religiosidade, assim como os demais verdadeiros profetas, seu compromisso era fazer valer a justiça divina em meio a uma sociedade totalmente corrompida.
·         Aqueles que buscam pela justiça considerando-a tão necessária como um alimento para o seu sustento certamente a encontra, pois Deus é fiel age com misericórdia sobre aqueles que a procuram
bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; 7bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;"
 (Mt 5:6,7)

------------------------------

2. A restauração do culto
·         O povo de Israel não era uma nação qualquer, ele foi escolhido por Deus; portanto, a responsabilidade de seus reis não era simplesmente política, pois eles eram também orientadores espirituais;
·         Um orientador  - ou líder - espiritual tem a missão não simplesmente de ensinar a Palavra, mas principalmente de vivê-la exemplarmente, pois ele é observado e imitado por seus liderados;
·         Por essa razão, quando o rei pecava, a nação também sofria, pois todos também seguiam seus passos pecando da mesma forma.
·         Em 1º Reis 18:30, em seu desafio aos profetas de Baal, vemos que Elias primeiramente teve que reparar o altar do Senhor que havia sido derrubado; isso representou o primeiro ato dos israelitas na retomada à adoração ao verdadeiro Deus: o conserto do altar.
·         Até mesmo os momentos de adversidades podem ser revertidos quando o ser humano se arrepende de seus pecados e se volta a adorar ao Senhor.
Se eu cerrar os céus, e não houver chuva, ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo; 14e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.”
(2º Cr 7:13,14)

_____________________________________________

IV - Elias e a literatura bíblica
1. No Antigo Testamento
·         Parte dos dois livros dos Reis fazem contam à história do profeta Elias, e ele também é mencionado em 2º Crônicas, Malaquias, Mateus, Lucas, João, Romanos e Tiago.
·         Ele é o primeiro dos profetas de quem temos registros bíblicos a profetizar perante a monarquia israelita;
·         Mesmo não tendo nenhum livro com o seu nome, ele foi o precursor dos ministérios dos Profetas Maiores e Menores.
·         O conteúdo de sua mensagem é também, de certa forma, escatológico, pois o profeta Malaquias - em Malaquias 4:5 - refere-se a um profeta como ele que viria antes do grande e terrível dia do Senhor; esse profeta seria o próprio Senhor Jesus Cristo.
·         No Antigo Testamento, Elias ficou marcado como o homem que incomodou os poderosos de Israel por defender a verdade; na luta contra o pecado ganhamos mais opositores do que aliados, porém, aquEle que está conosco é fiel e invencível.
E sucedeu que, vendo Acabe a Elias, disse-lhe Acabe: És tu o perturbador de Israel? 18Então, disse ele: Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do SENHOR e seguistes os baalins[14]."
 (1º Reis 18:17,18)

------------------------------

2. No Novo Testamento
·         O ministério profético de Elias foi exaltado até mesmo por Jesus Cristo, pois, conforme está escrito em Mateus 17:10-13 e em Lucas 1:17, Ele descreve João Batista como aquele que viria no espírito e no poder de Elias.
·         Conforme também podemos ver em Mateus 17:3 e em Lucas 9:30,31, Elias foi visto pelos discípulos junto com Moisés, no monte onde ocorreu a transfiguração[15], falando com Jesus a respeito de sua partida.
·         Em Lucas 24:24-26, a viúva a quem Elias foi enviado em Sarepta[16] foi usada por Cristo como exemplo de fé.
·         No judaísmo antigo Elias era tão famoso por seus milagres que muitos judeus acreditaram que Jesus fosse Elias ressuscitado, conforme podemos confirmar em Mateus 16:14 e em Marcos 6:15 e 8:28.
·         Interpretações errôneas dessas passagens bíblicas também têm dado base à crenças e doutrinas da reencarnação ensinadas por várias seitas pseudocristãs[17].
Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. 30Porque, na ressurreição, nem casam, nem são dados em casamento; mas serão como os anjos no céu. 31E, acerca da ressurreição dos mortos, não tendes lido o que Deus vos declarou, dizendo: 32Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos.”
(Mt 22:29-32)

_____________________________________________

CONCLUSÃO
·         Conforme podemos observar biblicamente, assim como ocorreu no reinado de Acabe e de muitos outros, o fim da queda espiritual e a restauração da comunhão do homem com Deus só ocorre quando há arrependimento por meio da justiça divina.
·         As mensagens de Elias, assim como as de todos os verdadeiros profetas, visam não estabelecer a ira e a vingança do Senhor sobre os pecadores, mas sim convertê-los para que não sofram as consequências dos seus pecados e, principalmente, a condenação eterna.
·         1º Reis 21:27-29 mostra que Acabe se arrependeu e que, devido à sua humilhação, o Senhor adiou o castigo para depois de sua morte; isso pode significar que apesar de Acabe ter se arrependido e embora o culto a Jeová tenha sido reestabelecido, grande parte do povo pode não ter se reconciliado e por isso tenham sofrido a ira divina.
·         Aprendemos com o tisbita que o mais importante é agradar aquEle que te chamou a cumpri a missão que está em nossas mãos; portanto, podemos concluir que nossa razão para prosseguir não está aqui nessa terra, mas sim na terra para qual estamos caminhando e que somente chegaremos se permanecermos fiéis.
prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.”
(Fp 3:14)

Jonas M. Olímpio



A pronúncia correta do nome
YHWH é incerta porque ela foi
esquecida pelos judeus, pois,
por questão de respeito à sua
santidade, seu nome ficou
muito tempo sem ser falado
publicamente para não se
correr o risco de
mencioná-lo em vão  
[1]Tisbita: Pessoa natural o residente em Tisbe.
[2]Elias: Significa Javé É Deus. Foi um profeta tesbita (de Tisbé, em Gileade) que enfrentou em várias ocasiões o rei Acabe e Jezabel, sua mulher (1º Rs caps. 17-21). Foi levado ao céu num redemoinho (2º Rs 2:1-15). Apareceu com Moisés na transfiguração (Mt 17:3,4).
[3]Gileade: Região montanhosa e florestal que ficava a leste do Jordão (Gn 31:21); famosa pelo bálsamo que produzia (Jr 8:22; Mq 7:14; Js caps. 10:8-12:7).
[4]Acabe: Acabe ou Acab, filho de Onri, foi o sétimo Rei de Israel Setentrional. Casou-se com Jezabel, filha do Rei de Sídon Etbaal, príncipe Fenício. Durante seu reinado, prosperou o culto à Baal sob o patrocínio de Jezabel. Procurou estabelecer alianças com Ben-Hadade II, Rei da Síria de Damasco, e com Josafá, Rei de Judá. Foi gravemente ferido na Batalha de Ramote Gileade contra Ben-Hadade II. Morreu durante o combate, depois de ter reinado durante 22 anos. Seu filho Acazias, sucede-lhe no trono como rei. Sua história é contada na Bíblia em livros I e II dos Reis.
[5]Jezabel: Filha do rei dos Sidónios Etbaal; seu casamento com Acabe foi o resultado de uma aliança que tinha como objetivo fortalecer as relações entre Israel e a Fenícia. A sua história é conhecida através do Primeiro Livro de Reis do Antigo Testamento. Continuou a adorar os deuses fenícios, mas não se limitou a isso, pois combateu o Deus de Israel. Recorreu ao dinheiro do tesouro público para sustentar os 450 profetas (ou sacerdotes) do deus Baal e os 400 profetas da deusa Achera (deusa fenícia da fertilidade). Elias derrotou todos os profetas de Baal, que morreram. Quando Jezabel soube disto ficou furiosa, pretendendo mandar matar Elias, que teve fugir para Judá. Um comandante chamado Jeú liderou uma revolta contra a família real, na qual matou o filho de Jezabel, Jorão. Quando Jezabel soube da revolta pintou os olhos e adornou a cabeça, desafiando Jeú da janela do palácio. Este ordenou aos eunucos da rainha que a atirassem da janela (defenestração): Jezabel morreu, tendo o seu sangue atingido as paredes e os cavalos. Uns cães que por ali passavam devoraram o corpo da rainha. Por causa desta rainha o nome "Jezabel" encontra-se associado como exemplo ou figura de prostituição e idolatria, assim como é citada em Apocalipse 2:20.
[6]Querite: Significa "cortante". Ribeiro junto ao qual Elias ficou escondido durante uma seca; fica ao leste do Jordão (1º Rs 17:3).
[7]Jordão: Rio principal da Palestina, que nasce no monte Hermom, atravessa os lagos Hulé e da Galiléia e desemboca no mar Morto. O Jordão faz muitas curvas, estendendo-se por mais de 200 km numa distância de 112 km, entre o lago da Galiléia e o mar Morto. O rio tem a profundidade de um a três m e a largura média de 30 m. Na maior parte de seu curso, o rio encontra-se abaixo do nível do mar, chegando a 390 m abaixo deste nível ao desembocar no mar Morto. O povo de Israel atravessou o rio a seco; João Batista batizava nele, e ali Jesus foi batizado (Mt 3:6,13).
[8]Corvo: Ave de cor preta que come de tudo e vive em bandos (Pr 30:17).
[9]Baal: (Significa "dono, Senhor, marido). O principal "deus" da fertilidade em Canaã. O culto a Baal foi uma das piores tentações dos israelitas, desde os tempos antigos (Jz 2:13; 1º Rs 16:31-32). Havia várias formas de Baal, que eram encontradas em diversas cidades, como se pode ver nos três verbetes seguintes. "Baalins" é o plural de "Baal" (Jz 2:11). Sua companheira era Aserá.
[10]Acazias: Significa "Javé sustenta". Existiram dois reis com esse nome: 1º) Oitavo rei de Israel, que reinou 2 anos (853 e 852 aC.), depois de Acabe, seu pai (1º Rs 22:52-53; 2ºRs cap. 1). 2º) Sexto rei de Judá, que reinou 1 ano, em 841 a.C., depois de Jeorão, seu pai (2º Cr 22:1-9).
[11]Tisbe: Tisbe, Tesbe ou Teseb; provável nome de uma cidade; local cujo verdadeiro nome e localização são desconhecidos. Teria sido aonde o profeta Elias nasceu ou viveu (1º Rs 17:1).
[12]Javé: Significa "Senhor". (Propriamente dito: hebr. Adon; gr. Kyrios.) Título de Deus como dono de tudo o que existe, especialmente daqueles que são seus servos ou escravos (Sl 97:5; Rm 14:4-8). No NT, "Senhor" é usado tanto para Deus, o Pai, como para Deus, o Filho, sendo às vezes impossível afirmar com certeza de qual dos dois se está falando. (Hebr. YHVH, Javé.) Nome de Deus, cuja tradução mais provável é "o Eterno" ou "o Deus Eterno". Javé é o Deus que existe por si mesmo, que não tem princípio nem fim (Êx 3:14; 6:3}. Seguindo o costume que começou com a Septuaginta, a grande maioria das traduções modernas usa "Senhor" como equivalente de YHVH (Javé). A Bíblia versão ARA escreve "Senhor". A forma Javé é a mais aceita entre os eruditos. A forma Jeová (Jehovah), que só aparece a partir de 1518, não é recomendável por ser híbrida, isto é, consta da mistura das consoantes de YHVH (o Eterno) com as vogais de Adonai (Senhor).
[13]Profecia: Ato de  proferir profecias; predizer, prenunciar, vaticinar o futuro. Falar em nome de outra pessoa. Biblicamente é a mensagem de Deus anunciada por meio de um profeta a respeito da vida religiosa e moral do seu povo (2ª Pe 1:20-21). As profecias tratam, às vezes, do futuro, mas geralmente se prendem às necessidades presentes das pessoas.
[14]Baalins: Plural de Baal.
[15]Transfiguração: Mudança gloriosa da aparência de Jesus ocorrida na presença de três discípulos: Pedro, João e Tiago (Lc 9:28-36; 2ª Pe 1:16-18).
[16]Sarepta: Cidade da antiga Fenícia, atual Sarafand, na costa mediterrânea do Líbano, entre Sídon e Tiro. Conta a Bíblia, que Deus enviou o profeta Elias para a casa de uma viúva desta cidade, onde ele hospedou-se, descansou, fez o milagre da botija (multiplicando a farinha e o azeite da viúva) e ressuscitou lhe o filho dela (1º Reis 17:8-24).
[17]Pseudocristão: Aquele cuja religião não é rigorosamente a cristã. Cristão que não cumpre as suas obrigações religiosas. Falso cristão.

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  1º Trimestre de 2013 - Lição 2  |  Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.