sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Zacarias - O Reinado Messiânico

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 4º Trimestre de 2012 - Lição 12 | AD Belém - Setor 20 (Arujá/SP) - Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio

Atenção Professor!
    Após essa aula, seu aluno deverá estar apto a:
    >    Compreender a estrutura e a mensagem do livro de Zacarias;
    >    Explicar a promessa de restauração da nação;
    >    Saber que o reino messiânico é real.

A volta de Cristo e o seu reinado
de mil anos com a Igreja na
terra é um dos principais
assuntos do livro de Zacarias;
O conteúdo básico de sua
mensagem consiste em alertar o
povo sobre a importância do
arrependimento e da obediência
Texto Áureo
    Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra (Jr 23:5).

Verdade Prática
    Jesus é tanto o Salvador do mundo como o Rei do Universo.

Palavra-chave
    Messias: Pessoa na qual se concretizavam as aspirações de salvação ou redenção.

Leitura Bíblica em Classe
    Zacarias 1:1; 8:1-3,20-23 - No oitavo mês do segundo ano de Dario[1] veio a palavra do SENHOR ao profeta Zacarias[12], filho de Baraquias[2], filho de Ido[3], dizendo: 8:1-3;20-23Depois veio a mim a palavra do SENHOR dos Exércitos, dizendo: 2Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Zelei por
Sião[4] com grande zelo, e com grande indignação zelei por ela. 3Assim diz o SENHOR: Voltarei para Sião, e habitarei no meio de Jerusalém; e Jerusalém chamar-se-á a cidade da verdade, e o monte do SENHOR dos Exércitos, o monte santo. 20Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Ainda sucederá que virão os povos e os habitantes de muitas cidades. 21E os habitantes de uma cidade irão à outra, dizendo: Vamos depressa suplicar o favor do SENHOR, e buscar o SENHOR dos Exércitos; eu também irei. 22Assim virão muitos povos e poderosas nações, a buscar em Jerusalém ao SENHOR dos Exércitos, e a suplicar o favor do SENHOR. 23Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Naquele dia sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla[5] das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.

Quanto mais o tempo se aproxima,
mais difíceis as coisas ficam para
aqueles que querem servir a Deus
verdadeiramente; mas tudo isso é
para cumprir as profecias: não
podemos mudar o mundo, temos
é que sobreviver espiritualmente
dentro dele
Introdução
·         Zacarias, a princípio, profetizava ao povo de Judá, porém, o conteúdo de suas profecias é também escatológico.
·         Sua linguagem leva os críticos a julgarem sua mensagem como enigmática, mas , se analisada profundamente, ela é totalmente possível de se entender.
·         Comparando-se os fatos por ele narrados com os que acontecem em nossos dias atuais, pode-se perceber como tudo se encaminha perfeitamente para o cumprimento de suas profecias.
·         A missão do profeta Zacarias não era muito diferente da missão dos demais profetas, pois tanto antes como depois dele, Deus sempre demonstrou zelo pela salvação do seu povo.
·         Na época dos profetas, a situação espiritual da grande maioria das pessoas não era muito boa; e com o passar dos tempos, ela só tem piorado: chegamos a um nível em que o certo é considerado errado e o errado é considerado certo [2ª Tm 3:1 - Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.].

A mornidão espiritual faz o crente
perder a sua verdadeira
identidade; nos últimos dias,
muitos cristãos não conseguem
discernir entre o certo e o errado
em suas próprias atitudes e, na
verdade, nem dão muita
importância a isso
I - O livro de Zacarias
1. Contexto histórico (Zc 1:1)
·         O profeta Zacarias, assim como Ageu, recebeu as mensagens divinas no segundo ano do reinado de Dário, da Pérsia[6], no ano 520aC.
·         Nessa época, o povo de Judá se encontrava em um estado de completa mornidão espiritual: dizia servir a Deus, mas cada um estava mais preocupado com suas coisas particulares enquanto o Templo e as coisas sagradas estavam abandonados;
·         Jeová estava descontente e não lhes permitia prosperarem em seus trabalhos seculares para que eles viessem a se despertar espiritualmente.
·         A mornidão espiritual é expressamente abominada pelo Senhor; não há como servir a dois  - ou mais - deuses, porque Ele não divide sua glória com ninguém; aqueles que se acham justificados por seus próprios méritos, enganam-se e estão caminhando para o abismo da perdição [Ap 3:15-18 - Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! 17Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. 18Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;].

Zacarias foi um homem de Deus
porque mantinha contato com Ele;
uma vida de comunhão espiritual
não depende apenas da crença,
mas também da intimidade com o
Criador através do seu Santo
Espírito
2. Vida pessoal
·         Zacarias era membro de uma família de sacerdotes: Baraquias, seu pai, teria falecido quando ele era ainda criança, por isso ele teria sido criado pelo sacerdote Ido, seu avô;
·         Essa teoria pode ser a explicação para o fato de em Esdras 5:1 ele ser identificado como “Zacarias, filho de Ido”.
·         Em seu livro, ele profere mensagens recebidas até dois anos depois do início do seu ministério - no quarto ano do rei Dario -, conforme vemos em Zacarias 7:1.
·         Zacarias era um típico homem de Deus cuja fé era digna de ser imitada: enfrentou uma geração ingrata e acomodada sem se deixar influenciar e nem abaixar a cabeça perante ela [Hb 13:7 - Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.].

Nos dias atuais, a atenção de
muitos está voltada às mensagens
de falsos profetas e de lendas
supersticiosas enquanto que a
pregação da verdadeira Palavra
tem sido motivo de zombaria e
desprezo
3. Estrutura e mensagem
·         Sendo o décimo primeiro livro dos profetas menores, é o maior entre eles: contém 14 capítulos e 211 versículos;
·         Seu conteúdo é praticamente todo escatológico: seu assunto principal é o Salvador de Israel.
·         Resumidamente, o seu esboço pode ser definido da seguinte forma:
a)      1:1-6 - Introdução.
b)      1:7-17 - O homem entre as murtas e os cavalos.
c)       1:18-21 - Os quatro chifres e os quatro carpinteiros.
d)      2:1-13 - O homem com o cordel de medir.
e)      3:1-10 - A purificação do sumo sacerdote.
f)       4:1-14 - O candeeiro de ouro e as duas oliveiras.
g)      5:1-4 - O rolo volante.
h)      5:5-11 - A mulher assentada no meio do efa.
i)        6:1-8 - Os quatro carros.
j)        6:9-15 - A coroação do sumo sacerdote.
k)      7:1-14 - O porquê do sofrimento de Judá.
l)        8:1-23 - Promessa de restauração.
m)    9:1-17 - A ira divina contra os inimigos das tribos de Israel.
n)      10:1-12 - Profecia messiânica.
o)      11:1-17 - A ira contra os infiéis e a traição a Cristo.
p)      12:1-14 - O fortalecimento e os lamentos em Jerusalém.
q)      13:1-9 - A purificação de Jerusalém e de toda a terra nos últimos dias.
r)       14:1-21 - O Dia do Senhor.
·         A mensagem de Zacarias é também uma chamada ao povo para o arrependimento e uma verdadeira conversão.
·         Nesses últimos dias, as mensagens escatológicas estão sendo totalmente distorcidas; por isso, é hora de nos apegarmos mais na busca do conhecimento para não ficarmos perdidos na cegueira da ignorância [Hb 13:9 - Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram.].

Os antigos profetas e escribas
tinham uma missão que ia
muito além de profetizar e
escrever: eles tinham
compromisso em entregar e
viver conforme as mensagens
que pregavam; será que todos
os "homens de Deus" da
atualidade agem assim?
4. Unidade literária
·         Existe uma perceptível diferença no estilo de escrita a partir do nono capítulo do livro; mas isso é perfeitamente possível de acontecer, pois um autor pode mudar seu modo de se expressar com o decorrer do tempo ou de acordo com o assunto a ser tratado.
·         Em Mateus 27:9, o texto de Zacarias 11:12,13 é atribuído ao profeta Jeremias: “Por isso foi chamado aquele campo, até ao dia de hoje, Campo de Sangue. 9Então se realizou o que vaticinara o profeta Jeremias: Tomaram as trinta moedas de prata, preço do que foi avaliado, que certos filhos de Israel avaliaram, 10E deram-nas pelo campo do oleiro[7], segundo o que o Senhor determinou.”;
·         Isso passa a impressão de haver uma certa contradição no relato de Mateus; porém, levando-se em consideração que Jeremias comprou um campo e visitou a casa do oleiro, Mateus certamente estaria se referindo aos dois profetas tratando do mesmo assunto da mesma forma que nós costumamos ler apenas um versículo e pregar citando fatos ocorridos por toda a Bíblia;
·         Outra explicação - uma hipótese - também considerável é que essa profecia fosse realmente de Jeremias e que por ele não tê-la incluído em seus escritos, Zacarias a teria colocado posteriormente em seu livro; é realmente muito provável que naquela época não houvesse as disputas que vemos hoje por direitos autorais, pois o Autor de toda a nossa inspiração espiritual é o Espírito Santo de Deus.
·         Para um verdadeiro servo de Deus, o mais importante não é o reconhecimento e nem a sua própria vida, mas sim o cumprimento do chamado divino em sua vida [At 20:24 - Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.].

Sião representava uma grande
fortaleza: um lugar seguro. Nossa
fortaleza e segurança hoje está
representada e depositada no
Senhor Jesus; você tem habitado
em segurança sob a proteção dEle?
II - Promessa de restauração
1. Sião
·         Conforme descrito em Zacarias 8:1, o profeta começa a narrar a mensagem de Deus na terceira pessoa do plural - “Assim diz o Senhor...” - falando sobre seu zelo e prometendo restauração a Jerusalém;
·         Nos versículos 2 e 3 Ele a chama de Sião, mencionando seu amor e sua indignação por ela.
·         Originalmente, de acordo com 2º Sm 5:6-9, Sião era o nome da fortaleza dos jebuseus que foi tomada por Davi, e que, no decorrer do tempo, passou a ser um outro nome pelo qual a cidade de Jerusalém também veio a ser chamada.
·         Sião - Jerusalém - é o lugar onde foi exercido o ministério de Jesus Cristo, o Salvador tanto dos judeus quanto dos gentios [1ª Pe 2:6 - Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido.].

O zelo por tudo aquilo que se faz
é uma das chaves do sucesso na
conquista de um objetivo; como
você tem zelado da sua salvação
e das almas que precisam ser
salvas?
2. O zelo do Senhor (Zc 8:2)
·         Aqui o Senhor se declara como Deus zeloso, da mesma forma havia se declarado outras vezes falando contra a idolatria da adoração a falsos deuses.
·         O zelo de Deus é tão grande que, conforme podemos ver em Josué 24:19, Ele não aceita que aqueles que vivem em pecado o sirvam.
·         Seu zelo incluía açoitar os inimigos de Judá e também punir seu próprio povo por seus pecados.
·         O Senhor Jeová é zeloso e, por nos ter criado a sua imagem e semelhança, requer de nós que também sejamos zelosos [Ap 3:19 - Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.].

Restaurar significa refazer ou
reconstruir. Para restaurar é
necessário a investir e não olhar
para as dificuldades; como está
indo a edificação do seu templo?
3. Restauração de Jerusalém
·         Seu propósito de restauração fica claro quando Ele diz em Zacarias 8:3: “Voltarei para Sião, e habitarei no meio de Jerusalém; e Jerusalém chamar-se-á a cidade da verdade, e o monte do SENHOR dos Exércitos, o monte santo.”.
·         Depois de tê-los permitido ficar 70 anos no cativeiro da Babilônia[8], era hora de curar suas feridas, dando-lhes a oportunidade de se arrependerem de seus pecados, voltando-se verdadeiramente para Ele.
·         Uma sincera conversão era essencial para se obter o perdão divino, e esse sempre foi parte dos temas das mensagens entregues por todos os profetas antes e depois do cativeiro.
·         A restauração concedida pelo nosso Senhor não consiste simplesmente em mudar os costumes do indivíduo tornando-o um perfeito religioso, mas sim em curar o seu coração arrependido, livrá-lo das prisões malignas, dar-lhe visão espiritual libertando-o da opressão e mostrando-lhe o caminho da salvação [Lc 4:18,19 - O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, 19A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.].

As passagens bíblicas referentes
ao Reinado Messiânico milenar
são distorcidas por algumas
seitas, as quais ensinam que
não existe o céu e que os salvos
viverão eternamente no paraíso
na terra
III - O Reino Messiânico
1. A pergunta pela paz
·         É possível viver num mundo de paz, justiça e segurança? Segundo as Sagradas Escrituras, sim!
·         Em Zacarias 14:11,16,17, o profeta menciona um período de paz em que o centro de adoração a Jeová será em Jerusalém.
·         Esse período refere-se a um tempo futuro, o qual, escatologicamente, conhecemos como Milênio.
·         O período do reinado milenar de Cristo também foi mostrado por Deus a outros profetas, confirmando-se assim as palavras dos mensageiros do Senhor [Is 11:6-9 - E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará. 7A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. 8E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide[9], e a desmamada colocará a sua mão na cova do basilisco[10]. 9Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do SENHOR, como as águas cobrem o mar.].

A paz que o mundo tanto almeja
será conquistada a partir desse
tempo; porém, não será para
todos, mas somente para
aqueles que se mantiveram fiéis
sob todas as circunstâncias
2. A paz universal
·         O período do Milênio[11], também conhecido como Reino Messiânico, é o tempo de mil anos em que o próprio Senhor Jesus reinará sobre a terra.
·         Jerusalém, como todo o povo de Israel, ainda vive momentos de grandes dificuldades de ordem política, as quais trazem grandes consequências em todas as áreas, principalmente a violência;
·         Mas sua completa restauração e exaltação será concretizada nesse período do reinado milenar de Cristo.
·         Esse será um tempo de glória não somente para Israel, mas para todos aqueles que buscarem a salvação [Is 11:10 - E acontecerá naquele dia que a raiz de Jessé, a qual estará posta por estandarte dos povos, será buscada pelos gentios; e o lugar do seu repouso será glorioso.].

A exaltação e as bênçãos
desfrutadas pelos judeus serão
também desejadas por todas as
nações; servir a Deus é um
privilégio, pois os que nos
observam, mesmo que não
tenham a mesma fé, creem na
ação do poder de Deus através
da nossa vida
3. A orla de um judeu (Zc 8:23)
·         Em Zacarias 8:23 está escrito “Naquele dia sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.”, a expressão “naquele dia” não se referia exatamente àquele tempo ou a um tempo próximo a ele, mais sim a um distante período futuro, o qual os dias atuais ainda não aconteceu.
·         Os judeus eram facilmente identificados por suas vestes, pois nas suas orlas haviam franjas com um cordão azul que lembravam os mandamentos divinos.
·         Essa profecia demonstra que todas as nações desejarão fervorosamente seguir Israel, pois saberão que eles são o povo escolhido de Deus: os portadores da bênção.
·         A que da espiritual dos judeus e a sua rejeição a Jesus Cristo estavam dentro do propósito divino para que dessa forma os gentios tivessem acesso a Graça obtendo também oportunidade de salvação [Rm 11:11 - Digo, pois: Porventura tropeçaram, para que caíssem? De modo nenhum, mas pela sua queda veio a salvação aos gentios, para os incitar à emulação.].

Como nos dias de Noé, a maioria
do povo continua não acreditando
que todas as determinações
divinas se cumprirão por
completo; porém, depois que a
"porta da arca" se fechar, será
tarde demais para reconhecerem
seus pecados
Conclusão
·         Cremos nas Escrituras Sagradas porque, até aqui, o que está escrito, desde o seu início, tem se cumprido, e, sem dúvida alguma, as demais profecias se cumprirão fielmente cada uma em seu tempo certo.
·         O profeta alertava o povo da época para a importância do arrependimento e da conversão para alcançarem a salvação naqueles dias, porém, sua mensagem não estava restrita àquele tempo, pois é uma figura do que acontecerá no fim dos tempos de existência da humanidade sobre a terra.
·         Os problemas ocorridos em nosso cotidiano apontam cada vez mais para a realidade do cumprimento das profecias bíblicas: o aumento da pobreza, da violência, das injustiças, da desagregação familiar e do afastamento do homem em relação às coisas de Deus, apegando-se a falsos profetas, falsos Cristos, Evangelhos de prosperidade e previsões sobre o “fim do mundo”, são fatores que fortalecem nossa fé escatológica de que a volta do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo está cada vez mais próxima!
·         Somente uma esposa preparada pode desejar a vinda do esposo; você tem desejado a volta do Senhor Jesus? A salvação é gratuita e está ao alcance de todos [Ap 22:17 - E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.].

Jonas M. Olímpio


Até mesmo através de
suas roupas, o povo de
Deus se diferenciava e
divulgava as Escrituras
Sagradas; o que temos
passado para os ímpios
através das nossas
vestes?
[1]Dario: Dario Histapes foi o quarto e maior dos reis persas, reinou de 521 a 486 aC. (Ed 4:5), após a morte de Cambises. Autorizou a continuação da reedificação do Templo na época do profeta Ageu e de Zorobabel.
[2]Baraquias: Significa "Jeová, Deus abençoou". Segundo a Bíblia, ele foi um pai do profeta Zacarias (Zc 1:1).
[3]Ido: Pai de Baraquias, avô do profeta Zacarias.
[4]Sião: Fortaleza dos Jebuseus (2º Sm 5:7), também chamada de cidade de Davi. Lá está situado o monte, antes chamado de Moriá, onde foi construído o Templo (2º Cr 3:1). Foi um dos nomes dados à cidade de Jerusalém (2º Rs 19:21) ou a terra de Israel (Is 34:8). Simbolicamente, é também um nome usado com referência ao céu (Hb 12:22).
[5]Orla: A parte de baixo da capa da túnica; barra (Mt 9:20).
[6]Pérsia: Também chamado de Império Aquemênida, é, por vezes referido como Primeiro Império Persa, foi um império iraniano situado no Sudoeste da Ásia, e fundado no século VI aC. por Ciro, o Grande, que derrubou a confederação médica. Expandiu-se a ponto de chegar a dominar partes importantes do mundo antigo; por volta do ano 500aC. estendia-se do vale do Indo, no leste, à Trácia e Macedônia, na fronteira nordeste da Grécia - o que fazia dele o maior império a ter existido até então. O Império Aquemênida posteriormente também controlaria o Egito. Era governado através de uma série de monarcas, que unificaram suas diferentes tribos e nacionalidades contruindo um complexo sistema de estradas.
[7]Oleiro: Quem trabalha ou é dono de olaria (fábrica de louça de barro, vasos, manilhas, telhas e tijolos).
[8]Cativeiro Babilônico: Também chamado de Exílio ou Cativeiro da Babilônia, é o nome geralmente usado para designar a deportação em massa e exílio dos judeus do antigo Reino de Judá para a Babilônia por Nabucodonosor II. Este período histórico foi marcado pela atividade dos profetas do Antigo Testamento, Jeremias, Ezequiel e Daniel. A primeira deportação teve início em 598 aC.. Jerusalém é sitiada e o jovem Joaquim, Rei de Judá, rende-se voluntariamente. O Templo de Jerusalém é parcialmente saqueado e uma grande parte da nobreza, os oficiais militares e artífices, inclusive o Rei, são levados para o Exílio em Babilônia. Zedequias, tio do Rei Joaquim, é nomeado por Nabucodonosor II como rei vassalo. Precisamente 11 anos depois, em resultado de nova revolta no Reino de Judá, ocorre a segunda deportação em 587 aC. e a consequente destruição de Jerusalém e seu Templo. Governando os poucos judeus remanescentes na terra de Judá - os mais pobres - ficou Gedalias nomeado por Nabucodonosor II. Dois meses depois, Gedalias é assassinado e os poucos habitantes que restavam fogem para o Egito com medo de represálias, deixando a terra de Judá (ex-Reino de Judá) efetivamente sem habitantes e suas cidades em ruínas. É certo que o período de cativeiro "em Babilônia" terminou no primeiro ano de reinado de Ciro II (538 aC./537 aC.) após a conquista persa da cidade de Babilônia (539 aC.). Em consequência do Decreto de Ciro, os judeus exilados foram autorizados a regressar à terra de Judá, em particular a Jerusalém, para reconstruir o Templo. Se considerarmos que seu período tenha sido de 605 a 535aC., o cativeiro durou 70 anos.
[9]Áspide: Cobra venenosa ( Jó 20:16).
[10]Basilisco: Cobra venenosa que vive em tocas (Is 11:8).
[11]Milênio: Período de mil anos - após a grande Tribulação e antes do Juízo Final - em que Jesus reinará na terra com a sua Igreja. Nesse período haverá grande paz, porque Satanás estará amarrado e somente será solto no final dele para ser definitivamente lançado no lago de fogo.
[12]Zacarias: Significa "Javé Se Lembra". A Bíblia relata três homens com esse nome: 1º) Profeta que foi assassinado no tempo do rei Joás (2º Cr 24:20-22). 2º) Décimo quarto rei de Israel, que reinou seis meses, em 743 aC., depois de Jeroboão II, seu pai (2º Rs 15:8-12; 18:2). 3º) Profeta, companheiro de Ageu, que profetizou entre 520 e 518 a.C. e escreveu um livro que tem o seu nome. Esse livro contém as mensagens entregues por Deus através de Zacarias aos judeus que voltaram do cativeiro babilônico. Nos capítulos 1 a 8 há uma série de visões referentes à reconstrução de Jerusalém e do Templo. Zacarias fala também do perdão de Deus e da vinda do Messias. Os capítulos 9 a 14 falam a respeito do Messias e do juízo final: é um livro escatológico.


Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 4º Trimestre de 2012 - Lição 12 | AD Belém - Setor 20 (Arujá/SP) - Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.