terça-feira, 29 de dezembro de 2015

O que é Transformação? O que Preciso Mudar para Agradar a Deus?

A transformação agradável a
Deus vai muito além da
aparência, pois ela depende de
uma completa mudança
interior.
    Apesar de ser esse um enorme desafio para pessoas de todas as idades, para um jovem - devido ao fato de estar numa fase de grandes descobertas e muita vulnerabilidade às influências -, se converter ao Evangelho ou, como dizem por aí, passar a ser crente, representa muito mais do que uma simples opção religiosa, pois requer dele uma radical mudança de vida (Sl 1:1,2). Como, praticamente em tudo na vida, o começo é difícil, não pense que a decisão de frequentar uma igreja e obedecer a doutrina por ela pregada será diferente. O choque que envolve todos os seus costumes é inevitável porque se você está mesmo disposto a servir a Deus e entendeu que para isso foi necessário se converter, deve também entender que converter significa mudar, e se a questão é agradar ao Senhor, essa mudança significa uma diferença no modo de viver a partir de agora. Mas, em que ponto começa essa transformação? De acordo com a Bíblia, em nossa própria mente, ou seja: é preciso haver mudança em nossa forma de pensar para que compreendamos a necessidade de “nascermos de novo”; somente assim seremos herdeiros das grandes promessas de Deus.

Não se conformando com esse mundo (Rm 12:2)
    No sentido original, em grego, se conformar significa moldar-se de acordo com o padrão de alguém. Espiritualmente falando, expressa o perigo que corre o cristão em relação às influências mundanas. Quando existe uma verdadeira conversão, automaticamente, a pessoa sente um desejo e uma necessidade de mudança. Sua decisão de seguir o Evangelho é o reconhecimento de que seu antigo modo de viver, de acordo com os costumes desse mundo, não lhe é saudável tanto a nível material como pessoal. Esse é o seu sinal de inconformismo com a situação, o qual deve se refletir dentro da casa de Deus, levando a pessoa a não se contentar que coisas desagradáveis ao Senhor sejam inseridas no culto prestado a Ele, o que envolve também seu próprio modo pessoal de adorar e viver. Os jovens são diariamente bombardeados por más influências tanto fora quanto dentro da igreja, e somente quando isso passa a incomodá-los é que eles podem ter a certeza de que realmente estão se desapegando das coisas mundanas (1ª Jo 2:14-17[1]; Cl 3:1-4).

Se transformando pela renovação do entendimento
    O não-conformismo com a situação gerada pelo pecado é o primeiro sinal de que sua vida está sendo transformada; a entrega de tudo ao Senhor lhe proporciona uma mudança de pensamento: uma outra visão do mundo e de si próprio. Essa busca por mudança interior te leva à uma mudança exterior que resulta numa maior compreensão em relação aos seus pais, irmãos, amigos, professores e tudo mais que faça parte de seu convívio. Quem passa por essa renovação de entendimento reclama menos, aprende a manter o autocontrole, não sofre tanto com a ansiedade, aprende a lidar com o stress, não se entrega às decepções e nem se ilude facilmente com seus sentimentos, pois tais coisas se originam e são controladas pela mente. Essa mudança de entendimento é o resultado da fé, a confiança em Deus, o que faz com que a pessoa descanse por saber que é Ele quem está cuidando dela (Gl 5:22; Rm 8:28; 1ª Co 10:12,13).

Experimentando a boa, agradável e perfeita vontade de Deus
    Experimentar, ou conhecer, a boa, agradável e perfeita vontade de Deus significa viver tudo aquilo que Ele tem para nós, o qual é bom, agradável e perfeito; no entanto, devemos cuidar para que o que estamos fazendo seja também bom, agradável e perfeito aos seus olhos. Alcançar essa experiência e obter esse conhecimento é a consequência positiva do inconformismo aos padrões mundanos e da transformação do seu entendimento; então, estar no centro de sua vontade é uma bênção condicionada a esses fatores. Assim sendo, para saber se nossa mudança - tanto interior quanto exterior - está de acordo com a vontade de Deus, é necessário analisar se nossos atos, palavras e pensamentos produzem efeitos positivos proporcionando uma vida saudável em todos os sentidos e revelando a santidade ensinada nas Escrituras Sagradas; essa é a combinação de benignidade, agradabilidade e perfeição. Em um mundo em que a juventude, para ser considerada normal, tem que aplaudir e praticar tudo o que é mal, desagradável e imperfeito aos olhos do Senhor, tem você conseguido fazer a vontade dEle (1ª Pe 1:13-16[2] [3] [4])?

Ocupando a mente com coisas em que há virtude e louvor (Fp 4:8[5] [6])
    Com tantos convites atrativos para o pecado, é muito difícil, principalmente para os jovens, manter a mente ocupada com coisas virtuosas, que são aquelas realmente dignas de algum louvor. De acordo com a Bíblia, isso exige um comprometimento com a verdade, a honestidade, a justiça, a pureza, o amor e a decência. Nossos pensamentos refletem em nosso comportamento, e essas são as características de alguém que realmente tem uma vida transformada cujo objetivo é fazer a vontade de Deus. Agora, entendamos isso na prática: a tendência natural do ser humano é a satisfação do seu ego e do seu corpo, pois ambos pedem isso; pela lógica, se existem esses desejos já inseridos em nós, poderíamos considerar que não somos culpados e nos entregarmos a tais desejos. No entanto, não podemos jamais nos esquecer que servir ao Senhor consiste no sacrifício da renúncia, a qual deve ser aplicada sempre nos momentos de maior tentação. Isso significa que, para não desagradar a Deus, a cada momento, nossa mente e nosso coração devem estar cheios de coisas boas para não agirmos de acordo com a carne. Não se esqueça: só podemos colocar pra fora aquilo que realmente temos dentro de nós  (Lc 6:43-45[7] [8]).

Nascendo de novo (Jo 3:3)
    A expressão “nascer de novo” traz a clara ideia de recomeço, ou seja: servir ao Senhor significa começar uma nova vida; mudar totalmente a sua rotina, os seus costumes, alterando seus hábitos - mudando, incluindo ou retirando - de forma que todas as suas atitudes, palavras e até pensamentos sejam agradáveis a Ele. Nascer de novo consiste em se auto examinar identificando suas falhas, ter disposição para incluir em sua vida “sacrifícios” para andar em obediência e retirar dela coisas que lhe pareçam benéficas, mas que possam interferir em sua comunhão espiritual. Nascer de novo é começar do zero, aceitando a oportunidade da salvação lhe concedida gratuitamente, bastando para isso cumprir suas condições: fé, obediência e santidade (Jo 3:16-19[9]; 1ª Pe 1:22,23).

Vivendo sem murmurações e nem contendas (Fp 2:14[10] [11])
    Reclamar e gerar confusão: duas coisas quase impossíveis de se evitar para a maioria dos cristãos, principalmente quando se vive em meio à adversidades e confrontos; a juventude atual, tendo uma vida tão interativa, sabe muito bem como é isso. E por que essas coisas incomodam tanto a Deus? Como bem sabemos, reclamar expressa insatisfação e, como servos do Senhor, devemos compreender que Ele está no controle de nossa vida e tem um propósito em tudo, até em nosso sofrimento; assim sendo, se reclamamos é porque não confiamos e se não confiamos é porque não aceitamos sua vontade soberana sobre nós, então não estamos agindo como servos. Quanto aos confrontos - seja contra irmãos ou contra ímpios -, essa é a prova de que não amadurecemos em relação ao que o Evangelho nos ensina: amar, perdoar e saber conviver com as diferenças; dessa forma, mais uma vez, não estamos agindo como servos. Suportar com calma as contrariedades da vida é o que demonstra que estamos frutificando espiritualmente (Hb 12:14).

Irrepreensíveis e sinceros no meio de uma geração corrompida e perversa (Fp 2:15)
    A corrupção que nos cerca quase que nos torna merecedores de medalhas e troféus quando não nos rendemos a elas; no entanto, o que precisamos compreender é que manter-se indigno de repreensão é uma obrigação daquele carrega o nome de cristão, considerando ainda que, nesse sentido, para vergonha nossa, muitos ímpios são mais cristãos do que alguns que professam o cristianismo. Ser irrepreensível significa não dar motivos para que alguém te acuse, sabendo que se isso acontecer, os acusadores estejam simplesmente mentindo a seu respeito; consciência tranquila é tudo na vida de um crente. “Assombrar” os incrédulos com sua honestidade mesmo em um tempo em que o certo é considerado errado e vice-versa, mostrando-lhes que a corrupção e a perversidade desse mundo não te contagiou, é uma forma de lhes mostrar que a transformação é sim totalmente possível. E isso serve não somente para defender a reputação de sua nova vida diante deles, mas também para evangeliza-los, dando-lhes exemplo de que podem sim alcançar uma vida melhor e também o perdão divino. Resplandecer como astro no mundo, nada mais é do que fazer a diferença conseguindo mostrar por meio de atitudes  que se converter ao Evangelho produz mais do que o costume de frequentar uma igreja ou usar roupas diferentes; essa conversão gera uma nova pessoa (Mt 5:16).

    Transformação é mudança. E uma mudança, para ser agradável a Deus, tem que provocar uma melhora tanto a nível interior quanto exterior. No que se refere ao lado religioso, que também não deixa de ser importante, é sim inevitável um choque que pode até mesmo leva-lo a querer desistir, pois isso vai envolver conceitos doutrinários ministeriais que poderão te exigir mudanças em seus hábitos culturais, estéticos, sociais, emocionais e até físicos: Sabe aquelas músicas de conteúdo impuro, aquela roupinha que revela um pouquinho mais do que deveria, aquelas baladas com amigos não muito santinhos, aquele namoro sem compromisso e sem proibições, aquele cigarrinho e aquela cervejinha... enfim, várias coisas boas que, bem lá no fundo, você sabe que te prejudicam? Então, líderes sérios te ensinarão que isso precisa ser mudado ou até mesmo excluído de sua vida. Porém, nenhuma dessas mudanças será conquistada, ou surtirá efeito positivo, se não for direcionada espiritualmente. Quando você se entregar totalmente, vai perceber que essa direção espiritual te levou à uma comunhão tão grande com o Espírito Santo que Ele te fará se sentir bem ou mal de acordo com suas atitudes (Gl 5:16,17).



[1]Concupiscência: Forte e continuado desejo de fazer ou de ter o que Deus não quer que façamos ou tenhamos (Rm 7:8). Desejos carnais.
[2]Cingir: Amarrar ao redor da cintura (Êx 29:5; Jo 13:4). Prender no cinto (Sl 45:3). Conceder (Sl 18:39). Cercar (Sl 30:11). Ter sempre consigo (Ef 6:14). Aprontar-se para o trabalho ou para a luta (1ª Pe 1:13).
[3]Sóbrio: Moderado; controlado (1ª Ts 5:8). Popularmente refere-se a alguém consciente em suas atitudes.
[4]Santo: (Latim: sanctu) Separado. Que obteve no Céu a recompensa prometida aos que observam os ensinamentos evangélicos; bem-aventurado, eleito. Que vive conforme a lei de Deus; que inspira benevolência e piedade; bondoso; que cumpre com todo o escrúpulo, com a maior exatidão, os seus deveres religiosos e morais; virtuoso. Com o caráter de santidade; dotado de santidade. Termo usado na Bíblia em referência à Igreja e seus membros (1ª Co 1:2; 6:2;; 2ª Co 1:1; Ef 1:4; Fp 4:21,22). Que se refere à religião ou ao rito sagrado. Consagrado ao culto, à divindade; sagrado. Digno de respeito e veneração pelo seu caráter, talento e virtudes. Que é digno de respeito; quem o desrespeita comete um ato de profanação. Que não faz mal a ninguém; ingênuo, inocente, simples. Benéfico, profícuo, útil.
[5]Virtude: Hábito de praticar o bem, o que é justo; excelência moral; probidade, retidão. Boa qualidade moral. O conjunto de todas as boas qualidades morais. Austeridade no viver. Força moral; valor, valentia, coragem.
[6]Louvor: Ato de louvar. Aplauso, elogio, encômio. Glorificação. Expressão usada para se referir às músicas feitas para adorar a Deus.
[7]Vindimar: Colher uvas.
[8]Abrolho: Espinho (Mt 7:16).
[9]Unigênito: Único gerado. Filho único.
[10]Murmuração: Ato de murmurar. Censurar ou reclamar.
[11]Contenda: Briga. Confusão; desentendimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.