segunda-feira, 8 de setembro de 2014

É Errado "Ficar" Para Conhecer a Pessoa Certa?

O envolvimento em relacionamentos
sem compromisso pode ser
prazeroso no momento, mas suas
consequências deixam marcas que
ferem além da vida espiritual,
podendo provocar danos morais,
prejuízos materiais, transtornos
mentais e marcas no coração que
acompanhem o indivíduo pelo
restante da sua vida.
    Ficar[1], pegar, catar, agarrar, dar uns amassos, uns ralas, umas bicadas... não importa o nome, a questão é: Pode ou não pode? A Bíblia fala disso? Tem outro jeito de conhecer alguém antes de assumir um namoro sério? Se não fizer isso, como vou explicar para os meus amigos que sou o único caretão no meio da galera que não pega ninguém? Respondendo a uma pergunta de cada vez, quero começar dizendo que sim. Pode sim. Aliás, você pode tudo... mas não deve (1ª Co 6:12; 10:23)! Só que na Bíblia não tá escrito que é pecado fazer isso, né? Realmente, e, da mesma forma, lá também não está escrito que é pecado pular num poço, rasgar dinheiro, sentar num formigueiro, enfiar a mão numa colmeia, mas nem por isso você faz essas coisas, né? Então parece que estamos tendo um probleminha de ação por conveniência aqui. Além do mais, qualquer cristão de bom senso sabe que a interpretação bíblica nem sempre é literal e ela abrange todos os assuntos se analisada dentro do contexto[2] do tema em questão, o que no nosso caso se trata de moral, obediência, pureza e bons costumes; agora, então podemos entender que ela fala disso sim, e fala muito (Ef 5:5,6[3])! Quanto ao fato se há outra maneira de conhecer alguém, somente reflita: seus pais, seus avós ou outros casais, principalmente cristãos, sérios que tiveram uma rígida educação e que posteriormente desfrutaram de um casamento bem estruturado, será que precisaram ficar para se conhecer? O que a Palavra nos diz sobre a melhor maneira de se conhecer alguém (Jo 12:26)? Agora, em relação aos amigos que vão te achar careta, você ainda vai insistir em perder seu tempo tentando agradar alguém que tenta te afundar em vez de te ajudar (Ef 5:7-11)? É melhor conversarmos calmamente sobre isso!
    Poder ou não poder é uma coisa muito relativa, mas em se tratando de conduta cristã, embora a resposta pareça e seja óbvia, é preciso analisar, entender e saber o porquê daquilo que fundamenta sua fé: o motivo da sua crença; isso para ter o que responder diante de um ímpio que te questionar. Então vamos direto ao assunto e sejamos sinceros: esse negócio de ficar nada mais é do que uma desculpa esfarrapada e sem-vergonha usada por pessoas que não têm temor[4] a Deus para satisfazer seus desejos carnais, enganando a si mesmo sob o argumento de não estar fazendo mal a ninguém (Jó 15:31[5]). O que Deus tem para a nossa vida? Eles nos criou individualmente como seres especiais projetados para propósitos especiais; sendo portadores de tão grande privilégio, conhecendo o seu caráter, temos a obrigação de saber que por termos sido comprados por um alto preço (1ª Co 6:19,20), somos valiosos tesouros numa vitrine e não bijuterias baratas expostas numa banquinha de feira pirata aonde todos colocam as mãos, apalpam, experimentam e jogam ali de volta esnobando o seu valor e a sua qualidade, pois, mesmo quando “compram” ainda pechincham e saem achando que pagaram caro. Estou exagerando? Em que consiste o ato de ficar? Beijos na boca, fortes abraços, inevitáveis carícias em várias partes do corpo, normalmente tocando até em partes íntimas e, muitas vezes, chegando mesmo à prática sexual; e o que é pior: tudo isso sem compromisso nenhum! Depois é só dizer: “Tchau! Foi um prazer te conhecer! Qual é o seu nome mesmo? Talvez a gente se encontre por aí de novo!”. Diante disso, me responda sob o ponto de vista cristão: Será que nesse momento o Espírito Santo está ali no meio, feliz e enchendo seu coração na intenção de continuar te usando (Ef 4:30,31[6] [7] [8] [9])? Foi esse o exemplo que Jesus te deu (1ª Jo 2:6)? Deus está aprovando isso (Ef 4:1-3)?
    A Bíblia nos dá o exemplo de um jovem que poderia ter ficado com uma mulher que certamente era bonita, experiente, sensual, sedutora e que poderia lhe dar muito prazer; mas, quando as cantadas dela aumentaram chegando ao ponto de ela agarrá-lo, ele viu que não tinha jeito e que, a partir dali não ia dar pra resistir mais mesmo, então o rapazinho resolveu tomar uma atitude de homem: não pensou duas vezes e saiu correndo (Gn 39:7-12[10]). O restante de sua história não vem ao caso agora, mas o ponto mais importante é: mesmo que a princípio seu ato de fidelidade a Deus e ao seu patrão pareça não ter dado certo porque ela o acusou de tentativa de estupro e ele foi preso, a recompensa veio no final, pois ele foi grandemente honrado e pode entender que tudo foi um plano de Deus para levá-lo ao governo daquela terra. Tá, eu sei que provavelmente você não vai ser o governador do seu estado, mas, ainda assim, ser fiel a Deus e aos homens vale a pena, porque além da recompensa nessa terra, você terá algo muito maior a nível espiritual (Ap 2:10,11; 3:11,12a). O que eu aprendo com isso? Resistir sempre é possível e não há desculpa para pecar (1ª Co 10:13)!
    Então, o que fazer para conhecer alguém? A primeira coisa é se desalienar desse sistema cultural depravado que impera em nossa sociedade, tirando da mente a diabólica ideia de achar que para conhecer alguém é preciso explorar suas habilidades sexuais, ignorando que a vida de um casal não é só na cama. Por isso é fundamental explorar a pessoa em outras áreas importantíssimas da vida como, por exemplo: questionar seu envolvimento espiritual, sua convivência familiar, suas responsabilidades sociais, seu controle financeiro, enfim, tudo o que realmente interesse a quem possa merecer o título de candidato a um futuro conjugal. E isso é possível de uma forma muito simples: conversando! Isso mesmo! Nada que alguns bons bate-papos não resolva! E até mesmo o lado sexual pode ser conversado - eu disse “conversado” - para que o casal se entenda caso chegue mesmo ao matrimônio. É ainda importante ressaltar que essa conversa deve ser a sós, porém, em lugares públicos, descentes e iluminados, porque, ainda que nada estejam fazendo de errado, além da tentação terão que enfrentar a língua do povo (1ª Ts 5:22[11]; 1ª Co 10:32), e a reputação cristã vale muito (1ª Pe 2:11,12[12]). No demais, o que vale é a velha, simples e básica regra: oração e vigilância (Mt 26:41). Deus não deixará enganado aquele que estiver firme na sua presença (Sl 25:14; Mt 13:11).
    Uma das principais medidas a serem tomadas por quem quer resistir ao pecado e agradar a Deus é saber selecionar suas amizades. Porque, por mais que você pense que é “cabeça firme” e que não se deixa levar pelos outros, o poder da influência é inegável: sua força pode sim nos levar à corrupção (1ª Co 15:33; Sl 1:1[13]). Selecionar os amigos não significa virar as costas e viver isolado, mas sim não aceitar qualquer convite de rolês que possam te expor ao perigo e saber até que ponto se deve ouvir e participar de uma conversa. Se você tem postura e autoridade de cristão, eles te respeitarão; caso contrário, você ainda tem a opção de aprender a fazer uso da palavrinha “não”, pois ninguém consegue te forçar àquilo que você realmente não quer fazer. Um dos principais perigos de se expor em grupos de amigos - inclusive grupos de amigos cristãos que não honram o Evangelho - é o fato de que sempre surge aquele lance de apresentar umas meninas, ou meninos, e, após essas apresentações, as vezes cria-se um clima de constrangimento e ninguém quer parecer bobo e sobrar sozinho, né? Então é melhor fugir da tentação do que tentar encará-la sem saber se está pronto para resistir ou não; afinal, somos carne (Fp 3:12-14; Rm 7:18-22; 1ª Co 10:12).
    Muitas das curtições dessa vida parecem boas - e, por um momento, até são - mas são passageiras e levam à destruição porque vão contra os princípios morais daquEle a quem devemos total fidelidade. A tal da cultura da ficação não pode de maneira alguma fazer parte da vida de quem tem compromisso com Deus. Ficantes, muitas vezes, têm um parceiro fixo e outros rotativos, e isso carrega o perigo da aquisição de doenças, gravidez ou envolvimento em confusões por brigas motivadas por ciúmes, além da perda da própria moral. Um abismo chama o outro abismo: o afastamento de Deus nos aproxima do inimigo e nos torna escravos da sua vontade, o que faz que um problema provoque muitos outros. Inúmeras são as histórias de meninos que se envolveram com meninas estranhas e acabaram vítimas de extorsões, roubos, incentivados ao uso de drogas e à prática de crimes ainda mais graves; e também muitas meninas que se envolveram com rapazes desconhecidos e se afastaram da família, passaram a ser perseguidas e foram vítimas de estupros e algumas até mortas. Quer conhecer mesmo alguém? Observe sua conduta e pergunte a Deus sobre ela. Não tenha dúvidas, ao primeiro sinal de uma proposta indecente, é o Espírito Santo permitindo isso como sinal para que você pule fora antes do barco afundar. Esqueça qualquer relacionamento com alguém que te afaste do caminho da verdade e, se é pra ficar, fique com Jesus (Lc 10:40-42[14] [15])!


[1]Ficar: Relação afetiva sem compromisso. Os envolvidos não precisam se conhecer e, na maioria das vezes, não visam um relacionamento futuro. Esse ato consiste de um simples beijo até a relação sexual. Normalmente, os ficantes se relacionam com mais de uma pessoa. Os mesmos costumam se utilizar disso como desculpa para conhecer alguém, alegando estar escolhendo um parceiro para um namoro formal.
[2]Contexto: Conteúdo do texto. Relação entre o texto e a situação em que ele ocorre dentro do texto. É o conjunto de circunstâncias em que se produz a mensagem que se deseja emitir- lugar e tempo, cultura do emissor e do receptor, etc. - e que permitem sua correta compreensão. 
[3]Fornicador: Aquele que fornica, que pratica fornicação (Pecado de luxúria (atração por prazeres sexuais)).
[4]Temor: Medo. Respeito. Reverência.
[5]Vaidade: Ilusão. Qualidade do que é vão, instável ou de pouca duração. Desejo imoderado e infundado de merecer a admiração dos outros. Vanglória, ostentação. Presunção malfundada de si, do próprio mérito; fatuidade, ostentação. Coisa vã, fútil, sem sentido. Futilidade. Jactância, presunção.
[6]Redenção: Libertação.
[7]Cólera: Ódio, raiva, ira. Desejo de vingança.
[8]Blasfêmia: Palavra ou ação ofensiva à divindade ou à religião. Contrassenso, heresia. Praga, maldição, imprecação.
[9]Malícia: Propensão para o mal. Natural disposição para fazer e proceder mal; maldade. Interpretação maliciosa. Astúcia, esperteza, empregadas com intenção de prejudicar alguém.
[10]José do Egito: Filho de Jacó e Raquel (Gn 30:22-24). Foi vendido ao Egito pelos irmãos, onde, após uma série de dificuldades, tornou-se ministro de Faraó, chegando a ser governador do Egito. Salvou os próprios irmãos e seu pai da fome, trazendo-os para Gósen, no Egito. Morreu com 110 anos, e seus ossos foram levados a Siquém (Js 24:32).
[11]Abster: Privar, controlar. Não deixar exercer um direito; impedir de fazer algo.
[12]Dia da Visitação: Esse termo é uma expressão figurada que significa “dia da justiça” ou “dia da vingança”. Registrado em várias passagens bíblicas, geralmente se refere a justiça contra os pecados de Israel ou a vingança contra seus inimigos e aponta para a volta de Cristo (Êx 32:34; Is 10:3; Jr 46:21; 50:27; Os 9:7; 1ª Pe 2:12).
[13]Escarnecedor: Quem escarnece ou zomba.
[14]Marta: Irmã de Lázaro e Maria (Jo 11:20,21; 12:2).
[15]Maria: Mãe de Jesus e esposa de José (Mt 1:18-25), da linhagem de Davi (Lc 1:27; Rm 1:3). Ela é "bendita entre as mulheres" (Lc 1:28,42,48). Após o anúncio do anjo (Lc 1:26-38), Maria engravidou pelo poder do Espírito Santo (Mt 1:18) e deu à luz a Jesus, em Belém (Lc 2:4-7). Ela guardou em seu coração os fatos extraordinários relacionados com o nascimento de Jesus (Lc 2:15,19,51). Ela esteve com Jesus no casamento em Caná (Jo 2.:1-12). Quando Jesus foi crucificado, ela estava presente, e então ele a confiou aos cuidados de João (Jo 19:25-27). Finalmente, ela é mencionada com os primeiros cristãos (At 1:14). A Bíblia cita a existência de outras 4 mulheres com esse nome: 1) Irmã de Marta e de Lázaro, de Betânia (Lc 10:38-42; Jo cap. 11; 12:1-8). 2) Madalena, talvez a mulher mencionada em Lucas 7:37-50, (Mc 16:9; Lc 8:2), foi testemunha da morte e do sepultamento de Jesus (Mt 27:56,61) e o viu ressuscitado (Mt 28:1-9). 3) Esposa de Clopas (Jo 19:25) e mãe de Tiago e José. Ela testemunhou a crucificação e o sepultamento de Jesus (Mt 27:56,61) e o viu ressuscitado (Mt 28:1-9). 4) Mãe de João Marcos e irmã de Barnabé (Cl 4:10). Ela cedeu sua casa para as reuniões dos cristãos em Jerusalém (At 12:12).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.