quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

A Peregrinação de Israel no Deserto Até o Sinai

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 1º Trimestre de 2014 - Uma Jornada de Fé - Lição 6 | Jonas M. Olímpio

A idolatria trouxe sérias
consequências ao povo de
Israel e continua causando
graves problemas nos dias
atuais
TEXTO ÁUREO
1ª Co 10:11 - "Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos."

VERDADE PRÁTICA
    Os erros e os pecados de Israel servem-nos de alerta para que não venhamos a cometer os mesmos enganos.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Êxodo 19:1-6; Números 11:1-3
Êxodo 19:1-6
1 - Ao terceiro mês da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai,
2 - Porque partiram de Refidim e entraram no deserto de Sinai, onde se acamparam. Israel, pois, ali se acampou em frente ao monte.
3 - E subiu Moisés a Deus, e o Senhor o chamou do monte, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel:
4 - Vós tendes visto o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim;
5 - Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha.
6 - E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel.

Números 11:1-3
1 - E aconteceu que, queixou-se o povo falando o que era mal aos ouvidos do Senhor; e ouvindo o Senhor a sua ira se acendeu; e o fogo do Senhor ardeu entre eles e consumiu os que estavam na última parte do arraial.
2 - Então o povo clamou a Moisés, e Moisés orou ao Senhor, e o fogo se apagou.
3 - Pelo que chamou aquele lugar Taberá, porquanto o fogo do Senhor se acendera entre eles.

COMENTÁRIO RESUMIDO
A PEREGRINAÇÃO DE ISRAEL NO DESERTO ATÉ O SINAI
Introdução
    Depois da gloriosa saída do Egito, o povo de Israel iniciou sua longa jornada pelo deserto. Nesse período, apesar de suas murmurações e demonstrações de rebeldia, eles tiveram grandes experiências com Deus.
    Seja agindo com misericórdia ou até mesmo com fúria, Deus sempre se mostra presente em nossa vida; pois todas as nossas ações, sejam boas ou ruins, provocam uma reação do Todo-Poderoso.
Êx 19:1-6
Nm 11:1-3

I - ISRAEL PEREGRINA PELO DESERTO
1. Israel chega a Mara
    Iniciando sua jornada, depois de três dias de caminhada, chegaram a um lugar chamado Mara. Lá havia água, porém, elas eram amargas. Diante disso, o povo se pôs a murmurar contra Moisés, não considerando que assim estavam murmurando contra Deus. Apesar disso, o Senhor, com sua grande misericórdia, disse a Moisés que jogasse uma madeira sobre as águas, fazendo com que elas se tornassem doces.
    A falta de condições para realizar determinados trabalhos, muitas vezes, leva os cristãos a murmurar, ou até a agir, contra a sua liderança. Isso pode parecer justo dependendo do motivo das reclamações, mas, pelo fato de se tratar de uma rebelião contra pessoas que foram colocadas por Deus na execução de sua Obra, tais atitudes consistem em pecado e resultam em consequências negativas.
1ª Co 10:6-8
2. Rumo ao Sinai
    Na sequencia de sua caminhada, houve grande murmuração pela falta de comida; porém, novamente, o Senhor agiu com compaixão enviando-lhes o maná e também carne para que comessem até se fartar.
    Um dos maiores erros de alguns cristãos é, na hora das dificuldades, em vez de se apegarem mais ao Senhor, colocarem-se a murmurar pela situação a qual estão enfrentando. O verdadeiro servo de Deus, mesmo que as vezes derrame lágrimas, substitui a reclamação pela oração e, por meio da fé, demonstra total confiança no Pai Celestial.
Hb 13:5,6

II - ISRAEL NO MONTE SINAI
1. O monte Sinai
    No acampamento ao pé do monte Sinai os israelitas tiveram algumas de suas maiores experiências, pois foi ali que Moisés teve o seu grande encontro com Deus e recebeu os Dez Mandamentos. O Sinai fica a menos de 500 quilômetros de Canaã, mas seus pecados os fizeram levar trinta e oito anos para percorrer esse trecho.
    Experiências espirituais, cumprimentos de rituais, obras de caridade, atos de sacrifício e grande conhecimento não nos tornam vencedores se não formos verdadeiramente obedientes à Palavra.
Is 58:3,4; 59:3,9
2. A permanência no Sinai
    Durante o período de quase um ano em que permaneceu ao redor do Sinai, os israelitas tiveram uma de suas piores experiências: enquanto Moisés estava no alto do monte recebendo instruções de Jeová, eles, lembrando-se dos ídolos egípcios, pressionaram Arão a fazer um bezerro de ouro para que pudessem adorar; então ele convocou que todos levassem ofertas para esse propósito e construiu também um altar para sacrifícios e proclamou um dia de celebração ao “senhor”. O fato de terem escolhido exatamente um bezerro para a adoração é porque no Egito eles já estavam acostumados às imagens de um touro e de uma novilha, os quais se chamavam Ápis e Hátor; também os cananeus adoravam a Baal, uma imagem também representada por um touro, o que seria o deus da fertilidade, no qual seus cultos consistiam na prática de atos imorais.
    Nos dias atuais, a situação não é muito diferente; porém, a idolatria não consiste somente em imagens, mas também na adoração ao homem. Pois enquanto os autênticos líderes chamados para a Obra estão empenhados em permanecer na presença de Deus, muitos, não se contentando com as bênçãos espirituais e as provisões divinas que já lhes foram concedidas, buscam satisfazer seu ego “adorando” da forma que lhes parece conveniente não obedecendo segundo os mandamentos da Palavra. Mas, diante disso, a missão dos verdadeiros discípulos continua sendo combater o pecado através da autêntica pregação dos ensinamentos bíblicos.
2ª Tm 4:1-5

III - A IDOLATRIA DOS ISRAELITAS
1. O bezerro de ouro
    Vários dias sem a presença da liderança, sob o comando provisório de um homem sem visão e nem autoridade, levaram o povo a ficar impaciente e desconfiado em relação a possibilidade de terem sido abandonados no deserto. Isso lhes despertou o desejo de terem algo para adorar: algo que eles pudessem ver, mesmo sabendo que daquele objeto de fundição não poderiam esperar nenhuma resposta ou ação sobrenatural como haviam testemunhado até ali.
    O problema maior de muitos seres humanos é apenas conseguirem crer naquilo que estão vendo, e por isso se apegam tanto a amuletos de sorte, imagens de santos, frases de efeito e líderes religiosos. Toda essa idolatria é o que tem mantido o verdadeiro Deus tão longe do povo; idolatrar obras humanas ou elementos da natureza é uma abominável afronta contra aquEle que tudo criou e sustenta poderosamente por sua imensa misericórdia.
1ª Co 10:20,21
2. Cuidado com a idolatria
    Apesar de ter acabado de receber a Lei, o povo se fez negligente por preferir seguir as tradições do Egito e não a fé no Deus que já lhes tinha demonstrado tantos milagres. Porém, o erro maior foi de Arão por aceitar a idolatria e ainda construir uma imagem de escultura. Talvez ele próprio nem acreditasse mais na volta de Moisés e, por medo da pressão, fez isso para acalmar os ânimos e preservar sua própria integridade física; mas como um servo fiel, ele deveria, se fosse o caso, entregar-se à morte, mas não aceitar esse terrível adultério contra o verdadeiro Deus.
    Um líder realmente direcionado pelo Senhor não se deixa pressionar por aqueles que não aceitam a pregação da verdade, e mantém-se fiel mesmo perante as mais duras consequências, porque ele sabe que a qualquer momento o Senhor vai voltar e requerer de si a grande responsabilidade que entregou em suas mãos.
Lc 21:34,35
3. A idolatria no coração
    Um dos pontos mais destacados na Lei em que eles haviam recebido falava exatamente contra a idolatria, os exortando a não servirem ou não adorarem falsos deuses. Mas eles estavam tão cegos diante da vontade de serem iguais aos outros povos que ignoraram totalmente a Palavra ensinada pelo servo de Deus.
    Atualmente, a exemplo disso, o que vemos são multidões seguindo a homens que pregam o que elas querem ouvir, rejeitando e acusando de autoritarismo religioso aqueles que pregam contra o pecado.
Lc 21:36



Conclusão
    De modo individual, cada israelita pagou por seus pecados contra Jeová; porém, de modo coletivo, os propósitos divinos para com Israel foram e estão sendo cumpridos.
    Parte do propósito divino é a salvação dos gentios, caso contrário, seríamos considerados povos pagãos até os dias de hoje. Vivendo sob a Graça de Cristo, nenhum sacrifício é exigido de nós, a não ser a adoração e a obediência aos seus mandamentos, cujo o jugo é suave e o fardo é leve. Portanto, sejamos agradecidos e fiéis, atentando para Ele, vivendo vigilantemente aguardando aquele Grande Dia.
Hb 2:1
Edição e comentário: Jonas M. Olímpio

DICIONÁRIO
Arraial: Acampamento. Lugar, em campo aberto, onde pessoas ficam morando por algum tempo. O povo de Israel montou 41 acampamentos durante sua viagem pelo deserto (Nm caps. 2; 33). Essa palavra aparece 146 vezes na Bíblia (143 no Antigo e 3 no Novo Testamento).
Canaã: Antigo nome da região em que hoje estão situados o Estado de Israel, a Cisjordânia, a Jordânia Ocidental, o sul da Síria e o Sul do Líbano; Biblicamente é a Terra Prometida por Deus ao seu povo através de Abraão. O nome Canaã é alusivo ao filho de Cã e neto de Noé, ao qual se atribui a origem dos cananeus, conforme relato do capítulo 10 de Gênesis.
Deliberadamente: Com deliberação (decisão tomada individualmente ou em grupo sem uma ordem ou autorização superior. Rebelião).
Diligência: Zelo, cuidado, prontidão.
Elim: Segundo lugar onde os israelitas pararam na sua peregrinação pelo deserto (Êx 15:27).
Figura: Representação, por pintura ou escultura, de um corpo humano, ou de um animal (Lv 26:1), ou de um vegetal (2º Cr 4:3). Jeito; aspecto (1º Sm 28:14). Fiasco (2º Sm 6:20). Comparação (Jo 16:25). Forma; semelhança (Fp 2:7). Tipo (Hb 9:23-24). 
Idolatria: Adoração de Ídolos. Deus proíbe a adoração de qualquer imagem, seja de um deus falso ou do Deus verdadeiro (Êx 20:3-6). As nações que existiam ao redor de Israel eram idólatras, e Israel muitas vezes caiu nesse pecado (Jr 10:3-5; Am 5:26-27). Entre outras, eram adoradas as imagens de Baal, Astarote e Moloque e o Poste-ídolo.
Ídolo: A divindade representada por um objeto, o qual é adorado em lugar da própria divindade, o que caracteriza a idolatria.
Inóspito: Que não recebe com hospitalidade. Diz-se do lugar onde não se pratica a hospitalidade. Que não agasalha, ou não protege; desagasalhado. Que não serve para ser habitado; bravio.
Maná: Significa “que é isto?” (pois foi o que os israelitas perguntaram quando o viram no chão)). Alimento milagrosamente fornecido por Deus aos israelitas durante 40 anos no deserto. Era como uma semente pequena, muito branca (Êx 16:14-36; Dt 8:3; Js 5:12; Jo 6:31-35,48-51). O livro bíblico de Êxodo o descreve como um alimento produzido milagrosamente, sendo fornecido por Deus ao povo Israelita, liderado por Moisés, durante sua estada no deserto rumo à terra prometida. Segundo Êxodo, após a evaporação do orvalho formado durante a madrugada, aparecia uma coisa miúda, flocosa, como a geada, branco, descrito como uma semente de coentro, e como o bdélio, que lembrava pequenas pérolas. Geralmente era moído, cozido, e assado, sendo transformado em bolos. Diz-se que seu sabor lembrava bolachas de mel, ou bolo doce de azeite.
Mara: Significa "Águas Amargas". Local situado a leste do mar Vermelho, onde os israelitas, na sua marcha para o Sinai, encontraram uma fonte de águas amargas (Êx 15:23-25).
Monte Sinai: Também chamado de Horebe, está situado entre os golfos de Suez e de Ácaba. Nesse monte foi dada a Moisés a Lei (Êx 19:20-20.26). É também o nome do deserto ao seu redor (Êx 19:1).
Obscenidade: Caráter ou qualidade de obsceno. Ato, dito ou coisa obscena. Lascívia, torpeza. Palavrão.
Peculiar: Que diz respeito a pecúlio. Especial, privativo, próprio de uma pessoa ou coisa. Característica única.
Peregrinação: Viagem por terras longínquas.
Propensão: Inclinação, vocação. Ato ou efeito de propender. Tendência ou força natural que impele um corpo em uma direção determinada.
Refidim: Lugar onde os israelitas acamparam e batalharam antes de chegarem ao Sinai (Êx cap. 17; 19:2).
Sim: Significa "Espinho" ou "Barro". Uma cidade na parte oriental do Egito. A região deserta entre Elim e Sinai.
Sur: Significa "Muro". Um lugar a sudoeste da Palestina na fronteira oriental ou dentro da fronteira do Egito; os israelitas passaram pelo deserto de Sur depois de terem atravessado o mar Vermelho. Chamado também de deserto de Etã.
Taberá: Significa "Labareda". Um lugar no deserto de Parã.

AUXÍLIO COMPLEMENTAR
Mapa com as rotas mais aceitas da jornada dos israelitas pelo deserto.


Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 1º Trimestre de 2014 - Uma Jornada de Fé - Lição 6 | Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.