sábado, 2 de fevereiro de 2013

Um Homem de Deus em Depressão


Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  1º Trimestre de 2013 - Lição 5  |  Jonas M. Olímpio

Nenhum crente deve ser julgado
como carnal por enfrentar
situações depressivas, porque os
sentimentos e as reações
emotivas nem sempre estão
ligadas ao nosso sentido
espiritual; cada ser humano tem
uma estrutura diferente, e é por
isso que uma pessoa nunca
encara as coisas da mesma
forma que as outras
TEXTO ÁUREO
    Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados; 9perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos (2º Co 4:8,9);

VERDADE PRÁTICA
    Os conflitos de Elias o levaram a enfrentar períodos de depressão[1] e tristeza. Mas o Senhor ajudou-o superar.

PALAVRA-CHAVE
    Depressão: Distúrbio mental caracterizado por desânimo, sensação de cansaço, ansiedade em grau maior ou menor.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
1º Reis 19:2-8
2Então, Jezabel mandou um mensageiro a Elias, a dizer-lhe: Assim me façam os deuses e outro tanto, se decerto amanhã a estas horas não puser a tua vida como a de um deles.
3O que vendo ele, se levantou, e, para escapar com vida, se foi, e veio a Berseba[2], que é de Judá, e deixou ali o seu moço.

4E ele se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro[3]; e pediu em seu ânimo a morte e disse: Já basta, ó SENHOR; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais.
5E deitou-se e dormiu debaixo de um zimbro; e eis que, então, um anjo o tocou e lhe disse: Levanta-te e come.
6E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se.
7E o anjo do SENHOR tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque mui comprido te será o caminho.
8Levantou-se, pois, e comeu, e bebeu, e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe[4], o monte de Deus.

INTRODUÇÃO
·         Muitos admiram - e até idolatram - os servos de Deus mencionados na Bíblia, mas se esquecem que eles também eram seres humanos com falhas, sentimentos, medos e dificuldades assim como nós.
·         Assim também foi o profeta Elias: apesar de destemido e aprovado por Deus, sofreu muito com suas limitações humanas.
·         Elias tinha fé, temor e confiança em Deus; porém, sua situação não era nada fácil, pois, por cumprir fielmente a vontade divina, ele enfrentava perseguições, ameaças, dificuldades financeiras e se sentia abandonado.
·         A possibilidade de fiéis obreiros do Senhor manifestarem reações depressivas é tão real que até a Bíblia relata isso:
“Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.
(Hb 13:17)

I – Elias, um homem como os outros
1. Um homem espiritual
·         A espiritualidade de Elias é incontestável, pois sua coragem de dizer a verdade ao rei Acabe, enfrentar a rainha Jezabel, desafiar os profetas de Baal e pregar contra a idolatria a um povo idólatra são fatores que comprovam que ele foi um autêntico servo do Senhor.
·         Além do mais, ele era um verdadeiro adorador, através de sua atitudes vemos que em tudo o que ele fazia, colocava o nome do Senhor na frente, honrando-o em primeiro lugar.
·         E a maior prova de que Deus era com ele são as respostas de Deus às suas orações como, por exemplo, em 1º Reis 18:42-46, quando ele orou e o Senhor mandou chuva sobre a seca terra de Israel.
·         Valorosos homens espirituais usados tremendamente por Deus enfrentaram a depressão como, por exemplo, o rei Davi:
“Até quando te esquecerás de mim, SENHOR? Para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto? 2Até quando consultarei com a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando se exaltará sobre mim o meu inimigo? 3Atenta em mim, ouve-me, ó SENHOR, meu Deus; alumia os meus olhos para que eu não adormeça na morte; 4para que o meu inimigo não diga: Prevaleci contra ele; e os meus adversários se não alegrem, vindo eu a vacilar. 5Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação, meu coração se alegrará. 6Cantarei ao SENHOR, porquanto me tem feito muito bem."
 (Sl 13:1-6)

2. Um homem sentimental
·         Como qualquer ser humano comum, Elias também tinha sentimentos; pois quem não tem sentimentos também não consegue amar.
·         Em Tiago 5:17,18, o apóstolo declara que apesar de Elias ser um homem sujeito às mesmas paixões[5] - ou sentimentos - que os demais, através de sua oração, por três anos e meio não houve chuva sobre a terra, e que orando novamente, o céu deu chuva e a terra produziu o seu fruto.
·         Elias era um profeta de grande autoridade espiritual através de quem Deus fez maravilhosas manifestações sobrenaturais, mas isso não o tornou um ser sobrenatural, pois em sua vida natural ele continuava as mesmas reações humanas de qualquer homem normal.
·         Jesus não era depressivo, mas também expressava muito sentimentalismo como, por exemplo, quando ele chorou pela morte de seu amigo Lázaro e sobre o pecado do povo de Jerusalém:
“Jesus, pois, quando a viu chorar e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito e perturbou-se. 34E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem e vê. 35Jesus chorou. 36Disseram, pois, os judeus: Vede como o amava.”
(Jo 11:33-36)

“E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela,”
(Lc 19:41)

II - As causas dos conflitos de Elias
1. Decepção
·         Como homem, certamente, depois da extraordinária vitória sobre os profetas de Baal, Elias esperava que houvesse arrependimento e conversão em massa entre o povo de Israel, entretanto, poucos parecem ter se sensibilizado com essa grande manifestação do poder divino.
·         Ele talvez tenha imaginado que a própria Jezabel reconhecesse seu erro e se rendesse aos pés do Senhor, mas o resultado foi totalmente ao contrário de suas expectativas: ele se enfureceu e passou a persegui-lo ainda mais do que antes.
·         Decepções como essas provavelmente, por um breve período, o desanimaram no trabalho em que ele estava fazendo, mas não abalaram em sua fé.
·         A decepção - mesmo quando não justificada - leva a pessoa ao desânimo e à perda da vontade, ou do ânimo, de viver:
“Mas desgostou-se Jonas extremamente disso e ficou todo ressentido. 2E orou ao SENHOR e disse: Ah! SENHOR! Não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso, me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus piedoso e misericordioso, longânimo e grande em benignidade e que te arrependes do mal. 3Peço-te, pois, ó SENHOR, tira-me a minha vida, porque melhor me é morrer do que viver. 4E disse o SENHOR: É razoável esse teu ressentimento? 8E aconteceu que, aparecendo o sol, Deus mandou um vento calmoso, oriental, e o sol feriu a cabeça de Jonas e ele desmaiou, e desejou com toda a sua alma morrer, dizendo: Melhor me é morrer do que viver.”
 (Jn 4:1-4,8)

2. Medo.
·         Muitos crentes dizem não ter medo de nada, porém afirmam isso porque suas experiências não são como as de Elias, pois as ameaças que vieram sobre ele não eram meramente ministeriais ou profissionais, mas colocavam em risco a sua própria vida.
·         Parece irônico, mas o homem que havia acabado de matar 450 falsos profetas agora temia às ameaças de uma mulher, e sua reação imediata foi simplesmente fugir.
·         Como vemos em 1º Reis 17:3-7, essa já era a segunda fuga de Elias; porém, a primeira foi ordenada por Deus para guarda-lo da seca e da fome que viria sobre a terra, mas essa agora foi por medo de perder a própria vida mesmo.
·         Biblicamente, bem sabemos que Deus não se agrada dos covardes, mas é importante deixar claro que isso é quando ele manda o homem agir e este, por covardia, recua na batalha; com exceção disso, Ele nos ensina mesmo é a sermos prudentes:
“Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.
(Mt 10:16)

III - As consequências dos conflitos
1. Fuga e isolamento
·         Por um momento, o profeta estava com toda a força em suas mãos e teve ousadia suficiente para enfrentar a todos os idólatras da terra, mas, em seguida, sentiu-se tão impotente que só lhe restou a fuga como defesa; a instabilidade também faz parte da vida dos servos de Deus.
·         Há quem censure essa atitude de Elias, no entanto, nem Deus o repreendeu por isso, pois assim como há um tempo determinado para tudo, há também o tempo de lutar e o tempo de fugir para se resguardar; esse é, na verdade, um período que o Senhor nos reserva para nos reciclarmos, refletindo, meditando e buscando mais conhecimento para prosseguirmos com a luta posteriormente.
·         Ele tanto se isolou que chegou a pensar que todos os fiéis estivessem mortos e que ele tivesse ficado só, mas Deus o avisou de que a bênção do livramento não estava apenas sobre ele, e sim também sobre mais sete mil fiéis que não se renderam à idolatria.
·         O apóstolo Paulo também foi um homem de grandes experiências espirituais, mas também se entristeceu quando se viu sozinho na prisão, abandonado pelos companheiros de ministério. Ele somente não se entregou a depressão porque o assistiu e o fortaleceu:
“Procura vir ter comigo depressa. 10Porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para Tessalônica; Crescente, para a Galácia, Tito, para a Dalmácia. 14Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras. 16Ninguém me assistiu na minha primeira defesa; antes, todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado. 17Mas o Senhor assistiu-me e fortaleceu-me, para que, por mim, fosse cumprida a pregação e todos os gentios a ouvissem; e fiquei livre da boca do leão."
 (1ª Tm 4:9,10,14,16,17)

2. Autopiedade e desejo de morrer
·         Logo no início de sua fuga, Elias já deu uma clara demonstração de que estava em estado depressivo: quando recebeu o mensageiro com a ameaça de Jezabel, o ânimo que lhe restou foi o suficiente apenas para desejar a própria morte.
·         Em 1º Reis 19:4, podemos observar que ele estava tão frustrado que se deixou dominar por um terrível sentimento de inferioridade, como se tivesse falhado em sua missão e não tivesse conseguido ser melhor do que os que foram antes dele sem também cumprirem seus objetivos.
·         Sua depressão já tinha chegado num nível tão avançado que ele não tinha mais medo de morrer, pois desejava a morte; a sensação de fracasso havia tirado-lhe o desejo pela vida, e, de repente, aquele homem tão espiritual estava é precisando de ajuda espiritual.
·         Em 1º Reis 19:4, Ele mesmo explicou isso quando disse que havia sido muito zeloso pelo Senhor, mas que o povo de Israel havia profanado os altares sagrados, matando os verdadeiros profetas e perseguindo-o para matar.
·         Muitos negam essa realidade, mas Jó também entrou em depressão durante a sua dura batalha contra a doença e a miséria, porém, simplesmente, ele não blasfemou contra Deus:
“Sobrevieram-me pavores; como vento perseguem a minha honra, e como nuvem passou a minha felicidade. 16E agora derrama-se em mim a minha alma; os dias da aflição se apoderaram de mim. 17De noite, se me traspassam os meus ossos, e o mal que me corrói não descansa. 18Pela grande força do meu mal se demudou a minha veste, que, como a gola da minha túnica, me cinge. 19Lançou-me na lama, e fiquei semelhante ao pó e à cinza. 20Clamo a ti, mas tu não me respondes; estou em pé, mas para mim não atentas. 21Tornaste-te cruel contra mim; com a força da tua mão resistes violentamente. 22Levantas-me sobre o vento, fazes-me cavalgar sobre ele e derretes-me o ser. 23Porque eu sei que me levarás à morte e à casa do ajuntamento destinada a todos os viventes. 24Mas não estenderás a mão para um montão de terra, se houver clamor nele na sua desventura? 25Porventura, não chorei sobre aquele que estava aflito, ou não se angustiou a minha alma pelo necessitado? 26Todavia, aguardando eu o bem, eis que me veio o mal; e, esperando eu a luz, veio a escuridão. 27O meu íntimo ferve e não está quieto; os dias da aflição me surpreenderam. 28Denegrido ando, mas não do sol; levantando-me na congregação, clamo por socorro. 29Irmão me fiz dos dragões, e companheiro dos avestruzes. 30Enegreceu-se a minha pele sobre mim, e os meus ossos estão queimados do calor. 31Pelo que se tornou a minha harpa em lamentação, e a minha flauta, em voz dos que choram.
(Jó 30:15-31)

IV - O socorro divino
1. Provisão física
·         No momento em que ele dormia, aguardando a própria morte, um anjo do Senhor trouxe-lhe pão cozido e uma botija com água, dos quais ele se alimentou e torno a se deitar até que o anjo o despertou novamente, dizendo-lhe que se levantasse porque muito comprido seria o seu caminho.
·         Um detalhe interessante é que, apesar de desejar a morte, o profeta ainda teve interesse em se alimentar; isso mostra que no fundo ainda havia esperança e que ele ainda esperava solução para aquela caótica situação.
·         Depois disso ele se animou e caminhou por quarenta dias e quarenta noites de Berseba até o monte Horebe: mais de 320 quilômetros na caminhada.
·         A ansiedade, principalmente por provisões físicas, é um dos fatores que mais levam a depressão; é por isso que o Senhor Jesus nos alerta contra ela:
“Por isso, vos digo: não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo, mais do que a vestimenta? 31Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos? 32(Porque todas essas coisas os gentios procuram.) Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas; 33Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. 34Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.”
 (Mt 6:25,31-34)

2. Provisão espiritual
·         Com um simples alimento de pão e água Elias fez uma caminhada sobre-humana, e, ao final dessa viagem, ainda refugiou-se numa caverna: um sinal de que ele ainda temia pela sua vida.
·         Porém, foi nesse momento que Deus o chamou e se manifestou poderosamente diante dele, confortando e comissionando-o novamente às atividades proféticas.
·         Depois de partir dali, Elias conheceu a Eliseu, o qual o passou a servi-lo, ajudando-o em seu ministério.
·         O renovo espiritual - mesmo em meio a mais profunda tristeza -, está ao alcance de todos aqueles que buscam verdadeiramente aproximar-se de Jeová: basta clamar por Ele:
“Perto está o SENHOR de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade. 19Ele cumprirá o desejo dos que o temem; ouvirá o seu clamor e os salvará.”
 (Sl 14:18,19)

CONCLUSÃO
·         A vida do profeta Elias é um grande exemplo de que nem tudo são flores na vida de um obreiro do Senhor: mais uma prova de que a Teologia da Prosperidade é uma grande farsa.
·         Ele passou por um tortuoso de abatimento sob a permissão de Deus e os motivos para isso podem ter sido os mais diversos e não cabe a nós questioná-los.
·         A cura da sua depressão se deu quando o Senhor mostrou que ainda estava com ele, pois na verdade Ele nunca o abandonou, apenas o entregou a um período de provação conhecendo a estrutura do seu servo e com o objetivo de cumprir seus propósitos.
·         Remédios aliviam, mas somente Deus pode curar a depressão; por isso é importante que, não importa a origem da tristeza, estejamos sempre firmes e fieis na sua presença:
“bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
(Mt 5:4)

“E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas.”
(Ap 21:4)

Jonas M. Olímpio



A depressão provoca as
seguintes reações no corpo
humano: diminuição do
calibre dos vasos sanguíneos,
elevando a pressão arterial;
maior produção de fatores
coagulantes, permitindo a
formação de coágulos que
entopem as artérias;
desequilíbrio nas atividades
do endotélio estreitando os
vasos e produzindo
compostos inflamatórios;
emissão de sinais que elevam
a frequência cardíaca; redução
no sistema de defesa, deixando
o corpo vulnerável à várias
doenças. Muitos crentes têm
sido vítimas desse mal, mas a
Bíblia nos ensina a lidar com
isso procurando manter
domínio próprio
[1]Depressão: Existem dois tipos de depressão: a depressão mental e a depressão nervosa. A depressão mental é uma perturbação que atinge e mente e é caracterizada pela ansiedade e pela melancolia; e a depressão nervosa é um estado patológico de sofrimento psíquico assinalada pelo abatimento do sentimento de valor pessoal, por pessimismo e por desinteresse em relação à vida. Ambos os tipos também se caracterizam pela irritação e, geralmente, são causados pelo stress, podendo causar problemas cardíacos que podem levar até mesmo à morte.
[2]Berseba: [Significa "Poço das Sete"]. Poço que Abraão cavou no deserto e onde ele e Abimeleque fizeram um acordo de amizade. Como sinal desse trato, Abraão deu a Abimeleque sete cordeiras; daí o nome do lugar (Gn 21:22-34). Foi também o nome de uma cidade do extremo sul de Israel.
[3]Zimbro: Arbusto que cresce em regiões secas, atingindo até quatro metros de altura (1º Rs 19:4).
[4]Horebe: Também chamado de Sinai, está situado entre os golfos de Suez e de Ácaba. Nesse monte foi dada a Moisés a Lei (Êx 19:20-20.26). É também o nome do deserto ao seu redor (Êx 19:1).
[5]Paixão: Inclinação emocional intensa e descontrolada (Rm 1:26; 7:5).

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD   |  1º Trimestre de 2013 - Lição 5  |  Jonas M. Olímpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.