segunda-feira, 21 de julho de 2014

O Que é Oração em Espírito?

O cumprimento de rituais nem
sempre é sinônimo de reverência.
Compreender isso é o primeiro passo
para entender o verdadeiro
significado de comunhão espiritual.
    Para entender o significado desse tipo de oração, primeiro é preciso saber diferenciar para não fazer confusão entre orar no ou com o Espírito [Santo] e orar com o espírito [humano] - note aí a diferença entre a letra “e” maiúscula e minúscula -. A primeira se refere a uma oração que, independentemente de ser verbalizada ou não, é aquela com a qual a pessoa se sente realmente em contato com o Espírito Santo e com poder espiritual, o que também pode incluir o ato de orar em línguas; e a segunda a uma oração silenciosa, privada, sem aparentar que se está orando. A utilização desses termos, não importa em que sentido, tem causado certa discórdia por parte daqueles que não conhecem seu significado. Não se trata aqui do fato de haver ou não necessidade de que sejamos ou não profundos conhecedores da língua portuguesa, mas é, na verdade, uma questão de interpretação bíblica que deve ser esclarecida para que sua aplicação errônea não continue levando pessoas a pensarem que não se deve orar em silêncio ou que, de fato, exista um tal de “espírito de oração”.
    Mas, afinal, quais são as bases bíblicas que nos ajudarão a resolver esse mal entendido? Antes de tudo, é preciso ressaltar que esse assunto é abordado na Bíblia por três vezes, analisemos, então, separadamente, a cada uma dessas referências:
    Efésios 6:18 - Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,”. Esse texto nos passa claramente a ideia de uma oração constante, pois fala sobre “orar o tempo todo”, mas como isso seria possível? A única forma de manter uma vida de constante oração é viver conectado ao Senhor por meio da santificação, ou seja: andar em Espírito ou viver cheio do Espírito. Há momentos em que não podemos parar para fazer uma oração formal, por isso é importante estarmos sempre em sintonia com o Espírito Santo, exercendo nossa fé com vigilância e perseverança em nossas súplicas, em todo o nosso modo de pensar, falar e agir.
    Judas 1:20 - Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo,”. Embora esteja no mesmo sentido do texto acima, aqui é possível notar a necessidade de uma oração dirigida a Deus de uma forma mais intensa. Isso expressa uma ideia de poder espiritual alcançado por meio do contato com Deus. Essas palavras expressam o quanto é necessário que haja edificação da fé por meio da oração, a qual resulta em poder espiritual. Esse tipo de oração pode ser tanto em voz alta quanto em voz baixa, como também em línguas espirituais ou na língua natural, pois não é o barulho ou o silêncio, tanto como o meio de se expressar ou sentir a presença de Deus, que definem a autoridade na hora de lutar contra as forças malignas, mas sim a fé, a santidade e o propósito de Deus na operação de um milagre ou no envio de uma resposta.
    1ª Coríntios 14:15 - Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.”. Os dois textos acima nos ensinam o valor da comunhão e da autoridade espiritual. Já aqui, aprendemos a aplicar esse valores com reverência e sabedoria, a qual pode ser traduzida como ordem e decência. Numa oração, nem tudo o que sentimos ou pensamos devemos falar, pois há coisas de nosso ser interior que devemos tratar apenas com Deus, pois a exposição de nossas intimidades podem provocar escândalos e resultar na perda da nossa credibilidade perante o homem. Quanto às coisas que podemos verbalizar em orações públicas, devemos ainda ter o cuidado quanto a maneira que vamos nos expressar. Por mais que estejamos alegres por nossa edificação espiritual, devemos também considerar o fato de que o Senhor pode nos usar em profecia enquanto oramos, e nos lembrar que há pessoas precisando compreender o que estamos falando para que elas também sejam edificadas. Mesmo em momentos de profunda comunhão com o Espírito Santo, é preciso que a razão se sobressaia diante da emoção, sabendo que estamos cheios e não possessos pelo Espírito Santo, o qual não nos obriga a nada e nos dá plena liberdade de pensamento e ação.
    Agora, pra encerrar, vamos tratar a respeito desse polêmico “espírito de oração”: ele existe na Bíblia? Não! Mas não vamos radicalizar e aprendamos a respeitar a liberdade de expressão alheia. Pois, quando analisamos a intenção de quem usa esse termo, conseguimos compreender que seu objetivo é dizer que está orando em pensamento: sem elevar a voz. Na verdade, a própria língua portuguesa lhe dá o direito de se expressar dessa maneira, pois, a palavra espírito também é definida como um sentido nem sempre expresso claramente ou um estado de comportamento; então, isso quer dizer que quando eu uso o termo espírito de oração estou dizendo que, em meu ser interior, estou em um estado ou comportamento de oração, ou seja: estou simplesmente orando em pensamento. E é ainda importante destacar que “orar em pensamento” não é o mesmo que “pensar que está orando”, por isso é importante termos a total certeza de que estamos realmente em contato com o Espírito Santo e não perdidos em nossos próprios pensamentos; essa é a razão pela qual muitos preferem orar em voz alta: suas condições psicológicas não lhes permitem acreditar que estão realmente orando se não abrirem a boca. Para vencer isso é preciso, primeiramente, conhecimento da Palavra para entender que as coisas de Deus são muito mais simples do que parecem e não meros rituais e, depois, plena certeza de sua comunhão espiritual. Em oração, nossos pensamentos valem tanto quanto nossas palavras se formos sinceros e fiéis àquEle com quem estamos nos comunicando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, seja ele crítico, elogioso, complementar ou simplesmente direcionado à esclarecer alguma dúvida.
Todos serão respondidos desde que estejam de acordo com o regulamento abaixo:
Não serão publicados comentários que contenham palavrões, ofensas, anúncios não autorizados, e/ou usuários anônimos.
Muito obrigado pela sua participação!

Obs.: Apenas respondemos quando percebemos que a pessoa realmente quer uma resposta, pois quando notamos que ela apenas quer arrumar confusão, simplesmente ignoramos.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.